STF investiga se Padilha tem fazenda em área ambiental protegida

 
Jornal GGN – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, aceitou um pedido de abertura de inquérito contra o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por crime ambiental.
 
A investigação é sobre a construção de um canal de drenagem Balneário Dunas Altas, em Palmares do Sul, no Rio Grande do Sul, local de preservação permanente. A obra foi realizada pela sociedade Girassol Reflorestamento e Imobiliária Ltda, que tem como um dos sócios o ministro da Casa Civil.
 
O departamento da Polícia Federal do Rio Grande do Sul apurou que Padilha não é apenas um dos sócios da empresa que realizou as obras, como também teve o seu nome mencionado em uma placa nas proximidades do local: “Fazenda Giriva – Posse de Eliseu Padilha”.
 
Um parecer da Divisão de Assessoramento Técnico do Ministério Público do Rio Grande do Sul indicou que parte das obras, no local onde foi realizada a abertura de um valo, na conexão entre as Lagoas do Potreirinho e do Capão Alto, teve materiais depositados nas áreas vegetais protegidas.
 
Ainda, os procuradores encontraram que o local onde a placa mencionando uma suposta fazenda de Eliseu Padilha não poderia ser demarcado, por ser de proteção ambiental.
 
Assine
 
Leia, abaixo, a íntegra da decisão do STF:
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora