STJ mantém prisão de Paulo Preto

Reprodução GloboNews
 
 
Jornal GGN – O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou, por unanimidade, pedido de liberdade de Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, ex-diretor da Dersa, empresa controlada pelo governo tucano de São Paulo e sua nomeação foi na gestão Serra. A decisão foi da Quinta Turma.
 
Paulo Preto é conhecido como operador do PSDB. Ele atuou em várias gestões tucanas no governo paulista. Ele foi preso preventivamente pela Polícia Federal no começo de abril, sob a suspeita de participação em esquema de desvio de recursos em diversas obras da região metropolitana de São Paulo, entre 2009 e 2011. Uma das obras listadas é a construção do Rodoanel.

 
A Quinta Turma do STF seguiu decisão do relator do caso, ministro Reynaldo Soares da Fonseca que, no mês passado, negou um pedido de liminar no mesmo habeas corpus.
 
Para o relator, o pedido de prisão contra o operador está bem fundamentado, não havendo motivos para substituir a prisão preventiva por medidas cautelares diversas da reclusão. O Ministério Público Federal (MPF) informou que, durante as investigações, uma colaboradora afirmou ter sido ameaçada por ele.
 
A defesa, em nota, afirma ser a medida arbitrária, sem fundamentos legais.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora