Elite está aterrorizada com a vitória da esquerda no Peru, diz especialista

Steven Levitsky também alertou sobre os riscos de ingovernabilidade que cerca o mandato do candidato do partido socialista Peru Livre

O candidato presidencial Pedro Castillo levanta um lápis amarelo, símbolo da sua campanha, que reflete sua trajetória como líder educativo. | Foto: ARGMedios

Jornal GGN – O diretor do Centro de Estudos Latino-Americanos da Universidade de Harvard, Steven Levitsky , avaliou nesta quarta-feira, 16, que a elite peruana está apavorada e, por isso, disposta a ferir a democracia contra a vitória nas urnas do candidato da esquerda à presidência, Pedro Castillo. O especialista também falou sobre os riscos de ingovernabilidade que cerca o mandato do candidato do partido socialista Peru Livre.

“Eles [a elite] estão aterrorizados e dispostos a apoiar iniciativas antidemocráticas para impedir a presidência de Castillo”, disse Levitsky em entrevista ao jornal equatoriano El Universo. Para o especialista há, inclusive, “alguns atores no setor de negócios e da mídia” que estão dispostos “a fazer qualquer coisa” para tirar Castillo do poder.

O candidato da esquerda, Castillo, foi declarado o novo presidente do Peru na terça-feira, 15. Com 50,125% dos votos na eleição, disputada no último dia 6, ele derrotou Keiko Fujimori, do partido de extrema-direita Força Popular. 

Numa atitude desesperada e já conhecida, Fujimori chegou a alegar “irregularidades” e até mesmo “fraude” na apuração das urnas. Mas, Levitsky aponta que “o nível de descontentamento no Peru é muito alto há anos e agora está pior com os efeitos da pandemia da Covid-19”, sendo assim “a tendência dos eleitores é votar contra os candidatos que representam o ‘status quo’ de Lima e Keiko Fujimori representa isso, quando a maioria quer outra coisa”. 

O especialista pondera, no entanto, o que Castillo pode fazer sobre retaliações do parlamento durante sua gestão. “No melhor dos casos, Castillo poderia construir uma aliança e fazer um governo de centro-esquerda , é possível, embora difícil. Uma recuperação bem-sucedida é possível, mas provavelmente fracassará. Como há muita desconfiança entre os dois lados, embora Castillo tente se reconciliar com a oposição, o conflito e os problemas de ingovernabilidade são quase inevitáveis ​​”, explicou Levitsky.

Com informações de La República.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome