Fundação Palmares censura obras sobre Marighella

Presidente da autarquia também afirmou que serão retiradas do acervo “obras de glorificação a Che Guevara”, "de marxismo e perversão sexual"

Sérgio Camargo e Jair Bolsonaro. | Foto: Reprodução/Facebook

Jornal GGN – O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, anunciou por meio das redes sociais, ontem (1), que todos os arquivos relacionados ao guerrilheiro Carlos Marighella, líder de um dos maiores movimentos de resistência contra a ditadura militar, serão excluídos do acervo da instituição. 

Camargo também afirmou também serão retiradas “obras de glorificação a Che Guevara” e “livros que promovem pedofilia, sexo grupal, pornografia juvenil, sodomia e necrofilia”, sem citar quais arquivos do acervo contém esses tópicos.

Hoje, o presidente da autarquia ainda afirmou que em breve anunciará a lista do acervo excluído, com mais 300 livros repletos “de marxismo e perversão sexual”.

Vale ressaltar, no entanto, que a ação ocorre em meio a uma série de censuras promovidas pela Fundação.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome