Receita Federal acusa Ricardo Barros de ocultar R$ 2,2 milhões

A partir da investigação da Receita, a Polícia Federal abriu um inquérito contra Barros por suspeita de prática de lavagem de dinheiro decorrente de corrupção

Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo Bolsonaro na Câmara e ex-ministro no governo Temer, Foto: Reprodução

Jornal GGN –  O líder do governo Jair Bolsonaro (sem partido) na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), é acusado pela Receita Federal de simular operações financeiras para ocultar a origem de depósitos bancários que somam R$ 2,2 milhões, feitos entre 2013 e 2015. A informação é do jornal “Folha de S. Paulo”.

“Foi constatada a existência de empresas estruturadas e engendradas de tal forma a fugir da devida tributação de suas receitas, bem como mascarar e simular rendimentos para o contribuinte [Ricardo Barros]”, esclareceu a Receita.

A partir da investigação da Receita, a Polícia Federal (PF) abriu um inquérito contra Barros por suspeita de prática de lavagem de dinheiro decorrente de corrupção.

O fisco ainda multou o parlamentar em 150% sobre o valor do imposto devido, índice que é aplicado em casos de sonegação, fraude ou conluio. A cobrança, que inclui juros de mora, é de R$ 3,7 milhões.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador