A elite pró-governo

Comentário ao post “O papel da PGR com a denúncia de Marcos Valério

É impressionante a catequização feita em algum ponto da vida de muitos comentaristas, um completo desligamento da realidade, pensam e falam por cartilhas, com honroras exceções como o Daniel.

1.A “”elite””, a “”direita” como categorizações uniformes para um Pais e uma sociedade complexa como a brasileira, não faz o menor sentido. Há uma elite ENORME que está ao lado do PT, os beneficiarios de

R$350 bilhões em emprestimos do BNDES, o maior deles levantou mais de R$20 bilhões e passa os fins de semana em St.Baarth no Caribe onde esta ancorado seu iate, os dirigentes de fundos de pensão, o maior deles tem US$100 bilhões de ativos, são elite em qualquer praça financeira do mundo, tapete vermelho na City londrina, a elite do Congresso , da “”base aliada”, os 23 mil cargos de confiança na Administração Federal não são elite? Há muito elite ao lado do Governo pela propria imantação de poder e recursos que qualquer Governo produz em qualquer Pais.

2.A direita é difusa, há uma direita conservadora democratica e civilizada, que ambiciona o Poder dentro da Democracia e que abomina guerras politicas que fracionam o Pais. Os bancos ganharam muito dinheiro com o Governo Lula e querem manter suas posições de proeminencia mundial no ranking dos 100 maiores bancos, são aliados naturais do Governo.

As confederações e federações de empresarios, ligados ao Governo, CNI, CNT, FIESP são elite e são pro-governo, jogam com ele, impulsionam e pagam pesquisas de aprovação de Lula e Dilma, fazem para agradar o PT. A FIESP hoje parceira do Palacio para capitalizar a baixa populista das contas de luz, mero jogo demagogico para as industrias que tem 83% de sua energia no mercado livre  e portanto não terão redução da energia regulada, desculpa usada pela FIESP para criar o tema.

As grandes empreiteiras com bilhões em obras do PAC, com sondas para entregar à Petrobras, com grandes obras na Venezuela, em Cuba e na Bolivia, 100% financiadas pelo BNDES e beneficiadas pela politica externa bolivariana do Itamaraty, são elites e são governitas desde criancinhas.

Então não existe essa frente unica de elites contra o PT, existe uma vasta elite pro-PT, outras neutras, outras voluveis de acordo com seus interesses, outras que vivem bem com qualquer governo. Há uma elite oportunista que politicamente pode ser petista na União, tucana no Estado e peemedebista no municipio, dependendo de ligações pessoais e de negocios. É tambem possivel ser petista na politica economica e anti-petista na politica externa.

Analise politica precisa sair da area dos sologans e reducionismos como se de um lado tem operarios perseguidos e de outro uma elite  Maria Antonieta. O Brasil é bem mais complicado e não cabe mais esse primarismo de dividir o Brasil em dois, dá para dividir em 20 e ainda assim não se esgota a analise politica de um Pais de 200 milhões, de tanta diversidade social, cultural e geografica.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome