A morte do suspeito

Da Folha

Ex-secretário de governo de Yeda é achado morto

DA AGÊNCIA FOLHA, EM PORTO ALEGRE

O ex-secretário do governo gaúcho Marcelo Cavalcante, 41, foi encontrado morto por volta das 6h de ontem no lago Paranoá, em Brasília. Demitido no auge de um escândalo de corrupção que afetou o governo de Yeda Crusius (PSDB-RS) no ano passado, ele estava desaparecido desde sábado.

De acordo com a Polícia Civil, em análise preliminar, o corpo do ex-chefe do escritório do governo gaúcho em Brasília não apresentava sinais de violência ou marcas de disparo. As linhas de investigação são suicídio ou assassinato.

Yeda divulgou nota lamentando a morte do ex-auxiliar, a quem chamou de ” exemplar servidor”. Em junho do ano passado, ela demitiu Cavalcante durante o escândalo político gerado pela descoberta de desvio de R$ 44 milhões no Detran-RS.

O rombo veio à tona em novembro de 2007, quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Rodin, prendendo 13 pessoas. Cavalcante foi exonerado após a CPI do Detran exibir a gravação de um telefonema entre ele e o ex-tucano Lair Ferst, acusado de ser um dos líderes da fraude. Ambos negavam.

No grampo ele prometia intermediar reunião entre Ferst e técnicos da secretaria estadual de Fazenda. O ex-secretário também recebeu uma carta, endereçada e não entregue à governadora, em que Ferst tratava sobre a fraude na autarquia.

A PF não encontrou indícios para investigar formalmente Cavalcante, que trabalhava no gabinete do deputado federal Cláudio Diaz (PSDB-RS). (GRACILIANO ROCHA)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora