Ataques antidemocráticos foram financiados pelo exterior, diz Toffoli

Investigados não são ‘um grupo de malucos’, disse ministro do STF a partir da quebra dos sigilos bancários

Jornal GGN – A quebra de sigilos bancários revela a existência de financiamento internacional a pessoas que usam as redes sociais para atacar as instituições brasileiras, como o Supremo Tribunal Federal (STF), dentro da investigação que apura atos antidemocráticos e fake news no país.

“Esse inquérito que combate as fake news e os atos antidemocráticos já identificou financiamento estrangeiro internacional a atores que usam as redes sociais para fazer campanhas contra as instituições, em especial o Supremo Tribunal Federal e o Congresso Nacional”, disse o ministro Dias Toffoli, durante entrevista ao Canal Livre, da TV Bandeirantes, neste domingo (21/02).

Toffoli não deu detalhes sobre os financiadores e financiados, mas ressaltou que a investigação dessa informação está sendo aprofundada pelo ministro Alexandre de Moraes.

O ministro do STF ressaltou que os dados sobre financiamento internacional revelam que os ataques feitos contra as instituições não são feitos por “um grupo de malucos”. “Há uma organização por trás disso, que ataca inclusive a imprensa tradicional e séria”, destacou Dias Toffoli. “Temos que estar atentos, e o inquérito está em excelentes mãos.” As informações são do jornal Folha de São Paulo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora