Aurélio Garcia: governo temia incidente diplomático na Venezuela

 
 
 
Assessor de Dilma condena ‘proselitismo’ da iniciativa de senadores da oposição no País vizinho
 
Vera Rosa – 19 Junho 2015 | 21h 15
 
Brasília ­ O assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, repudiou nesta sexta­feira, 19, a “tentativa” de senadores da oposição, liderados por Aécio Neves (PSDB­MG), de transformar a frustrada visita a líderes políticos presos na Venezuela num “embate político­ideológico”
 
Garcia comparou a situação da Venezuela a um “paiol de pólvora” e afirmou que, diante da crise, é necessário mediação, e não “proselitismo”. “Se você está num paiol de pólvora, não entra fumando e, menos ainda, acende um fósforo”, disse ele.
 
Estado ­­ Os senadores de oposição, hostilizados no aeroporto de Caracas, exigem do governo uma posição mais dura. O governo vai reagir?
 
Garcia ­ Em primeiro lugar, o governo brasileiro criou as condições materiais para que a delegação pudesse ir lá. Fiquei preocupado porque era interferência num assunto interno de outro país. Além disso, a agenda dos senadores era parcial. Não estava programado, por exemplo, nenhum contato com Capriles (Henrique Capriles, governador do Estado de Miranda, principal líder de oposição, mais moderada, ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro).
Estado ­­ Isso teria provocado o incidente?
 
Garcia ­ Todas as informações que temos é que houve certa agressividade por parte de 30 manifestantes, mas ninguém saiu ferido. O veículo em que os senadores estavam foi alugado pela embaixada. O problema adicional foi o megaengarrafamento de Caracas. Houve personalidades muito mais relevantes que estiveram lá, como o ex­primeiro ministro da Espanha, Felipe González, e não sofreram nenhum tipo de constrangimento.
 
Estado ­­ O senhor acha que os senadores estão tentando criar um fato político contra o governo Dilma?
 
Garcia ­ Eu não acho nada, porque, como diria Noel Rosa, quem acha vive se perdendo. Nós nos opomos a que esse episódio se transforme num incidente diplomático. Os que querem fazer isso cometem um equívoco. Estamos preocupados com a situação da Venezuela, que é complexa, mas não queremos fazer disso um embate político­ideológico. Se você está num paiol de pólvora, não entra fumando e, menos ainda, acende um fósforo. Quem conhece a vida política da Venezuela sabe que lá as coisas não são fáceis. Os santos estão nas igrejas… Não se chega a uma solução pacífica apoiando um dos lados, mas, sim, negociando com as duas partes
 
Estado ­ Quais podem ser as consequências dessa crise para o Brasil?
 
Garcia ­ Tentamos resolver a situação de tensão via Unasul. Mas precisamos ter cuidado. Há risco de conflito para o povo venezuelano, com muitas mortes e sofrimento. Uma crise assim afetaria o Brasil, que tem significativa relação de comércio com a Venezuela, teria efeito desastroso sobre a Colômbia, porque o governo venezuelano ajuda muito no processo de negociação com as Farc e com o Exército de Libertação Nacional, e comprometeria o funcionamento do Mercosul e da Unasul. São fatores importantes para que todos trabalhem com tranquilidade, sem fazer proselitismo nem para o governo nem para a oposição. Para nós interessa a preservação da democracia, a paz e uma solução negociada.
 
Estado ­ O governo vai chamar o embaixador do Brasil na Venezuela para se explicar?
 
Garcia ­ Isso não está em cogitação. O governo brasileiro já se manifestou contra atos extremados e não é o caso de dar mais extensão a esse episódio.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

16 comentários

  1. Não dá pro Marco Aurélio ir

    Não dá pro Marco Aurélio ir para o Ministério da Justiça? Pelo menos não demonstra o medo e a covardia do José Eduardo Cardoso.

  2. E ………………………….

    Marco Aurélio é um excelente mediador de relações externas, mas como bom mediador, não diz tudo e nem poderia fazê-lo.

    Na realidade, o que está por trás de todo este jogo, é a intenção do império em detonar o Mercosul e seus integrantes, pois não se conforma que as colonias de seu quintal se libertem !!!!

    Os mercenários, aliados aos quinta-colunas estão trabalhando para este propósito, e cabe aos governos eleitos destes países, serem competentes para contrapor às vontades do império.

    Será que irão conseguir ? Só o tempo dirá !!!!!!!!!!!!!!

  3. OPERAÇÃO COPA AMÉRICA

    Próximo passo da trupe democrática: exigir guerra contra a Venezuela.

    Vai se chamar OPERAÇÃO COPA AMÉRICA.

    Parece que o chefe de torcida Aécio já requisitou avião da FAB pra levar a galera pro Chile.

    “O senhor acha que os senadores estão tentando criar um fato político contra o governo Dilma?”

    “Eu não acho nada, porque, como diria Noel Rosa, quem acha vive se perdendo.”

    Garcia tá mal. Não percebe nem o óbvio.

    “Tentamos resolver a situação de tensão via Unasul.”

    Só mesmo um governo que tem como carranca na proa a figura de  Dilma “Inútil Paisagem” Rousseff vê ”situação de tensão” nesse ato de pantomima.

    Interessante é que a gestão petista gosta de colher o bônus político dos governos progressistas surgidos na América do Sul – particularmente, com a ascensão de Hugo Chávez – , mas, na hora de chegar junto, tira o corpo fora.

    Quem não encara conflito não sai do lugar – e, quando muito, só sobrevive de marketing.

    Seguem dois documentários bastante instrutivos: “The War On Democracy”, do John Pilger; e “Ao Sul da Fronteira”, do OliverStone.

    https://www.youtube.com/watch?v=jg-CE6D-zV0

    https://www.youtube.com/watch?v=dlidWZoy9ag

  4. Intromissão pataquática (nada a ver com patos ou água)

    Embora sejam poderes independentes, a política externa de um país é exercida pelo executivo ou ministério deste em QUALQUER país. 

    A intromissão de um legislativo neste contexto SEM a devida coordenação com o M.R.Exteriores (que conduz negociações e mantém as relações com os demais países, amigos ou não) é evidentemente uma pataquada que pode trazer riscos às relações entre os países envolvidos.

    Quando são de oposição (aos dois países) então, é algo inimaginável. Pior ainda, travestida de missão “oficial”, não sugerida localmente nem solicitada externamente.

    A incompetência desta nossa oposição é tanta que uma visível manobra provocativa e midiática transforma-se em mico. a.

    Vergonha que nem ser dizer se é alheia ou de todos nós.

    Que afinal nos “representam”…

  5. Não duvido nada se a

    Não duvido nada se a “intrépida trupe” não tenha contratado os manifestantes para criar um factóide.

    Cabia uma investigação por parte de profissionais isentos e imparciais da nossa parcialíssima imprensa…

  6. Engraçado esse “temor do

    Engraçado esse “temor do governo de causar incidente internacional ” ou ” acatar o principio de não intervenção em assunto interno “

    Porque o governo do PT fez isso em Hondurar ao permitir que o Zelaia fizesse discurso politico dirigido ao s hondurenhos a partir de nossa embaixada!!!!!!!!!!!!!!

    O governo Brasileiro DEU UM GOLPE no mercosul ao tirar o Paraguai do bloco no tapetão sob medida para colocar nele a Venezuela, alegando com isso defender ( olha a piada !!! rs ) as clausulas democraticas do bloco

    Ou seja o Brasil alijou o Paraguai que é uma naçao estratégica para nos devido Itaipu e os brasileiros que lá vivem, FEZ UMA INTERVENÇÃO  DIRETA pois apesar de imoral o ato contra Lugo estava previsto nas leis do pais.

    e agora vem com essa conversa furada?

    Só mesmo para a platéia de cumpanheiros aplaudir …rs

    • O Paraguai sofreu um golpe

      O Paraguai sofreu um golpe judiciário semelhante ao que querem executar por aqui, com apoio de certos juizes iMORais, portanto, naquele momento deixou de ser democracia.

      Zelaia foi deposto num golpe de estado e se refugioi na embaixada brasileira, temendo por sua integridade física e de lá, falou para os seus compatriotas que o elegeram.

      Faça o seguinte, mande seus valorosos e intrépidos TUCANODEMOS ao Egito para “exigir” que aquilo se transforme numa democracia, ou para GUANTÂNAMO, pedir que soltem os centenas que estão presos sem acusação formal ou julgamento justo.

      O problema de vocês, CANALHAS da direitra, é não terem limites…

      • Não tem essa de falar para

        Não tem essa de falar para compatriota nenhuma partir de embaixada não viu esperto?

        Por acaso o senador Boliviano falou algo desde nossa embaixa na Bolivia?

        Não tente ser mais esperto do que é e sobre limites, só rindo né?

        rs

  7.  
    O Aécio ainda é um molecão

     

    O Aécio ainda é um molecão que vive sua boemia às custas da fama do avô. É um daqueles casos de anomia da Meritocracia, lacuna normativa grave. Mas o Aloyso Nunes é um bacharel em Direito, formado em lugar sério, foi até presidente do XI. Não conhece a Constituição?

     

    Art. 4º A República Federativa do Brasil rege-se nas suas relações internacionais pelos seguintes princípios:

    (…)

    III – autodeterminação dos povos;

    IV – não-intervenção;

    (,,,)

    VII – solução pacífica dos conflitos;

    (…)

    Art. 52. Compete privativamente ao Senado Federal:

    (nononononono)

    (…)

    Art. 49. É da competência exclusiva do Congresso Nacional:

    (nonononono)

    (…)

    Art. 52. Compete privativamente ao Senado Federal:

    (nononono)

    (…)

    Art. 55. Perderá o mandato o Deputado ou Senador:

    (…)

    II – cujo procedimento for declarado incompatível com o decoro parlamentar;

    (…)

    § 1º – É incompatível com o decoro parlamentar, além dos casos definidos no regimento interno, o abuso das prerrogativas asseguradas a membro do Congresso Nacional ou a percepção de vantagens indevidas.

    (…)

     

    Art. 21. Compete à União:

    I – manter relações com Estados estrangeiros e participar de organizações internacionais;

    (…)

    Art. 76. O Poder Executivo é exercido pelo Presidente da República, auxiliado pelos Ministros de Estado.

    (…)

    Art. 84. Compete privativamente ao Presidente da República:

    (…)

    VII – manter relações com Estados estrangeiros e acreditar seus representantes diplomáticos;

     

    Da simples leitura se vê que, por pura falta de competência constitucional, nosso senadores não tem que ir marchar até Caracas para intervir em outro Estado e arrumar confusão, como se fossem um Marcelo-kim Kataguri Reis do planalto central. Quem tem que se relacionar com a Venezuela é a Presidência da República, de preferência através do Itamarati, que é tecnicamente preparado para isso. Tá na hora de tirar o vandalismo da agenda política.

  8. lembra ai

    Dilma tem que que lembrar ao povo brasileiro em cadeia de radio e tv, quem são os senadores que visitaram a Venezuela.

    Ricardo Ferraço, tem um pai que foi prefeito de Cachoeiro de Itapemirim-ES onde fez uma pessima administraçao, ao ponto de sair no fantastico da globo uma reportagem sobre uma obra superfaturada e inutil, tem varios processos na justiça, que estao parados sem julgamento, sendo que a dois anos numa numa operação da policia e ministerio publico  estadual (ES) predenderam varios ex-prefeitos inclusive a esposa do pai dele, e o proprio pai foi citado. e esta sendo processado.

    Agripino ta respondendo varios processos na justiça, sendo que no ultimo foi acusado e o reu tem provas, de receber um milhão em “propina”.

    Por que Nassif não faz um perfil dos nove senadores, que foram ate a venezuela, dizendo sua historia politica  o que defederam na vida, e os processos que respondem. 

  9. A viagem dos idiotas

    Diante de tudo o que aconteceu, só posso chegar à conclusão de que, DESGRAÇADAMENTE, não temos um governo. Temos, sim, um GOVERNICHO. Como pode um governo facilitar, colocar avião à disposição com o custo da viagem por conta do contribuinte, alugar um transpote em Caracas, tudo isto para levar baderneiros à Venezuela? Ah! Façam-me o favor!. A continuar assim, nas proximas eleições, o PT não vai fazer nem para o café. Aguardem só.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome