Barroso, que Deus nos proteja dos homens bons, por Luis Nassif

Luís Roberto Barroso é uma pessoa horrível, com a alma marcada indelevelmente pelas cicatrizes da vaidade mais superficial e profunda que já vi em uma pessoa pública. Superficial porque envolta em um exibicionismo vulgar, voltado permanentemente para os holofotes; profunda por ter se incorporado indelevelmente em sua personalidade. É a prova definitiva de que a ocasião faz o personagem.

Hoje em dia há essa dúvida atroz, supondo que a malta que emergiu das redes sociais, vociferante, implacável, habitava a alma de cada brasileiro, e apenas veio à tona no liberou geral das redes sociais.

Barroso – e Luiz Edson Fachin – são as demonstrações cabais de como, em espíritos mais fracos e/ou mais ambiciosos, o cinzelamento da personalidade pública se dá de acordo com as oportunidades de mercado.

Houve um tempo em que o mercado demandava sensibilidade social, solidariedade, defesa dos mais fracos. E ambos aproveitaram o espaço, Fachin na condição de advogado de movimentos sociais no campo.

Barroso, cuja meta de advogado sempre foi a busca dos grandes clientes corporativos, o sucesso financeiro profissional, descobriu nas atuações pro bono (de graça) em temas morais a maneira de entrar em círculos internacionais. Foram incontáveis as vezes em que se apresentou como amicus curiae de grandes casos humanistas de repercussão. Como bom empreendedor jurídico, defendeu teses polêmicas e moldou a faceta de humanista.

Depois, se valeu do mais brasileiro dos cacoetes – as demonstrações de falsa intimidade com os grandões – para montar um círculo de amizades internacionais.

Tempos atrás, foi apresentado a um jurista eminente da Universidade de Frankfurt. O padrão alemão, na apresentação entre dois juristas, consiste em cada qual declinar seu nome e sua especialidade. Barroso apelou ao padrão brasileiro:

– Sou muito amigo do seu colega Fulano de Tal.

E o alemão, impassível:

– Eu também.

Barroso, algo atrapalhado:

– E frequento a associação Tal.

E o alemão:

– Eu também.

E se afastou sem nada a dizer.

Mas foi assim, como anfitrião do reino encantado do Rio de Janeiro – que até hoje atrai a admiração e a fantasia dos mais velhos -, que, sem dispor de um estudo significativo sequer, Barroso montou seu círculo de amizades internacionais. Puro empreendedorismo com pitadas de coaching.

Quando refluiu a maré social e teve início a onda punitivista, não levou muito tempo para Barroso – e Fachin – se enganchar na nova onda, coincidentemente logo após sofrerem bulling de blogs de direita, explorando vulnerabilidades de seus escritórios de advocacia.

Fachin surpreendeu o mundo jurídico ao negar habeas corpus a uma liderança camponesa detida no centro-oeste. Logo ele.

Ambos votaram pela prisão após segunda instância. Logo após a votação, estive com Barroso e pude testemunhar o incômodo dos ataques de blog de direita do Paraná, repercutidos pelos blogs de ultra-direita da Veja, a respeito da compra de um apartamento em Miami por sua esposa, sem usar o nome de casada.

De lá para cá, Barroso se tornou o mais implacável dos juízes, avalizando todas as arbitrariedades. E, dando-se conta do potencial do tema, lançou-se também na arena política e no mercado de palestras, não sem antes, demonstrando absoluto destemor em encarar o ridículo, de tratar Joaquim Nabuco, Ruy Barbosa e San Thiago Dantas como seus antecessores, de juristas que se tornaram políticos e intérpretes do Brasil.

Armado de leitura de orelha de livro de intérpretes do Brasil, inclusive das críticas de Sérgio Buarque à falsa intimidade dos brasileiros, ao jeitinho, à malandragem, e das perorações profundas de Flávio Rocha, Barroso se tornou um agente da libertação econômica do país. E passou a distribuir senso comum liberal a torto e a direito, uma filosofia de botequim, perdão, de pub, sobre sociologia e política.

Ao mesmo tempo, passou a praticar o exercício diuturno do ódio embalado por maneirismos, um ódio tão visceral, tão primário, tão ancestral, a ponto de abrir mão até de sentimentos tão antigos quanto a civilização: o respeito pelo adversário caído.

Sua posição ontem, de não aceitar adiar a prisão de Lula, até que o HC seja julgado pelo Supremo, é um dos episódios mais execráveis da história do Supremo, uma demonstração de selvageria só encontrada em tribunais inferiores, em procuradores sedentos de sangue, em delegados sedentos de protagonismo, em jornalistas sedentos de escândalo.

Todas as intervenções de Barroso mereceram correções de outros colegas. De Alexandre Moraes, quando Barroso informou não ter se lembrado de determinado precedente, e Moraes ter alertado que ele havia votado em tal questão. Ou da Rosa Weber lamentando a imposição da forma sobre o conteúdo.
 
É esse o iluminista? o homem que só faz o bem?  o cidadão que não recorre a espertezas, ao jeitinho, ao oportunismo, como todo brasileiro apud Barroso? Ou um huno, um visigodo, um justiceiro de periferia, que executa o adversário caído.

Por tudo isso, apenas os poetas conseguem decifrar o enigma STF atual. Decifrar Barroso, o Narciso, é mais simples.

Deus me proteja de mim

Chico Cesar

https://www.youtube.com/watch?v=5Yerk3Y4oU4

Deus me proteja de mim e da maldade de gente boa.
Da bondade da pessoa ruim
Deus me governe e guarde ilumine e zele assim

Deus me proteja de mim e da maldade de gente boa.
Da bondade da pessoa ruim
Deus me governe e guarde ilumine e zele assim 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

93 comentários

  1. Acabei de postar sobre esses

    Acabei de postar sobre esses tipos moralistas/meritocratas, tipo Barroso que pululam no MP e, infelizmente, em boa parte da esquerda, tb.

  2. ARRASOU

    Parabéns Nassif !

    Lavou a alma dos justos que querem uma Justiça HONESTA !

     

    Pegou mal a Globo usar suas artistas, Regina Duarte de novo ( merece um ovo, com todo or espeito as galinhas), para inflar ódio ao Lula e dar força a bruxa SUPREMA !

    A Globo está cavando mais fundo os eu buraco. Se não der PSDB e seus discípulos (DEM e A,Valle) ela ACABA !

    Contra a vontade de DEUS nada existe !

  3. Quando eu olho pra cara do Barroso
     

    vejo uma pessoa que não dorme uma noite sem chorar.

    Não passa um dia sem se arrepender.

    Ele leva uma vida típica de quem opta pelo poder, pelo sucesso e pelo dinheiro.

    Ele se esqueceu de fazer a escolha principal, que é ser feliz.

    E quem é feliz não tem prazer em prejudicar o outro.

    Meus pêsames ao barroso.

  4. Um caso de transferência

    Um caso de transferência: ao falar de Gilmar, na verdade Barroso falava de si, Freud explica.

    Nem de perto se parece com aquela figura que se mostrava civilizada ao dizer que o julgamento do mensalão era um ponto fora da curva.

  5. Os iconoclastas não sabem jogar xadrez!

    Há bons jornalistas bons?

    Quem sabe?

    Bem, com nunca considerei a necessidade de terrmos homens bons ou maus (mesmo que o adjetivo agora seja irônico), e muito menos a existência de deus…

    Me desculpo antecipadamente a TOLN, a torcida organizada luis nassif e seus integrantes, sócios e diretoria.

    Esse comentário foi feito em um post anterior:

    https://jornalggn.com.br/noticia/o-supremo-entre-a-pequenez-e-as-garantias-por-luis-nassif.

    Por conveniência e oportunidade, acho que o tema é similar ao que foi tratado lá, então repito o que disse:

     

     

    É um texto longo, presunçoso, iconoclasta, vaidoso, enfim, tanto pode ter sido escrito por uma prezada professora de “bom nível” (adorei esse rótulo), uma Hydra ou seja lá o que for, como disse o Jackson da Viola em um comentário lá atrás: 

    Um trader do Goldman Sachs entediado, cuja onda do alimento do cérebro (o pó de pirlimpimpim branco) está na curva descendente ou a décima quinta bailarina do Boslhoi que não quebrou a noz e nem entrou no filme.

    Engraçado como que as coisas têm, e verdadeiramente têm, como as pessoas, pesos e medidas diferentes.

    O advogado de Lula, que tentou esfolar vivo o dono do blog (Nassif), quando ele servia aquele jornal que ajudou a ditadura com veículos e sabe-se lá mais o quê, fez por merecer uma introdução (nariz de cera) digna de nota!

    Quem sou eu para meter o meu nariz (de cera?) nessa síndrome de Estocolmo?

    Um mero replicante idiota da objetivdade.

    Meu texto será ad ominem, e claro, de um homem para outro.

     

    1- Um pouquinho de (auto) biografia:

    Vou contar um pouquinho também de processos, reparações, e princípios.

    Em 2009 ou 2010, quando governava a cidade de Campos dos Goytacazes, também conhecida como planície goytacá, eu editava um blog chamado planície lamacenta.

    Todos sabiam na cidade que a prefeita era mera rainha da Inglaterra, e em uma enchente ela apareceu com o figurino laranja da defesa civil e eu aproveitei e tasquei: figurino compatível, prefeita laranja se veste como tal.

    Fui processado por danos morais e condenado a quinze mil reais de reparação, para um policial civil morto de fome e editor de um blog artesanal, imagina o impacto.

    Não respondi ao processo, porque não participei dele, até porque não tinha patrão rico nem advogado, mas principalmente porque não reconhecia legalidade e legitimidade no processo.

    Dois advogados amigos se propuseram a defesa, mas eu dei de ombros.

    Agora em 2016, por obra do protagonismo judicial, e da onda anti-política alimentada (agora sabemos) pelos algoritmos e “consultorias” e robôs feicebuquianos, venceu a eleição um grupo conservador na cidade de Campos do Goytacazes.

    Passaram a perseguição a Garotinho e sua família. Junto com eles um delegado da polícia federal, que agora também entrou com uma notícia-crime contra mim na 134ª DP (Campos) por suposta injúria, quando noticiei que sua irmã ajudou a construtora MRV a obter um desconto INDEVIDO (porque fora do prazo) de dez por cento em 1400 unidades imobiliárias do grupo na cidade.

    Passei a denunciar as perseguições e violações de direito e garantias, mesmo contra a vontade de alguns amigos, e passando a ser interpretado como “vira-casaca”.

    Recebi várias tentativas de compor com o grupo de Garotinho, e seu filho, Wladimir, volta e meia faz convites a conversas, para as quais estarei aberto, desde que não se trate de adesões e conversões.

    Até a desistência sobre a execução dos quinze mil foram colocadas!

    Afastei todas.

    Continuo a tratar os garotistas como patetas da lapa (bairro de origem dele), e a bater firmemente em suas gestões, mas sou mais crítico contra os que querem caçá-lo fora dos limites da lei e da Constituição.

    Continuo a me referir a Garotinho como Napoleão da Lapa.

    Conheço todos seus advogados, e os considero da mesma forma, antes e agora: Indigentes intelectuais.

    Se Garotinho e seu filho enxergavam em mim (mais) uma voz contra o atual prefeito rafael diniz? 

    Claro que sim, mas eu posso dizer que estou onde sempre estive, falando e escrevendo na forma e conteúdo que sempre escrevi.

    Eles mudaram a posição a meu respeito por motivos deles? Penso que sim, mas eu continuo a descrevê-los da mesmíssima forma!

    Tanto eles, quanto seus algozes.

     

    2- O PT e a Polícia. Como conciliar um pensamento de esquerda em uma corporação que serva para atacar os mais pobres?

     

    Como policial desde sempre me incomodou a minha militância partidária. 

    Em 2003 contava cerca de 25 anos de filiação partidária ao PT, onde ocupei por vários anos a Direção Municipal do PT (pela Articulaçãod e Esquerda), e uma vez a Regional.

    Lá na DR/RJ do PT, estive como testemunha e adversário da famosa tratorada que O DN então deu no RJ, quando mandou entubar a aliança com Garotinho em 1998, a despeito da Convenção Estadual ter indicado candidato.

    Eu era pela aliança, mas depois de perder a Convenção, passei a defender não a tese que me vencera, mas a garantia de que o resultado fosse respeitado.

    Desaprovava por princípio a tratorada (a boa e velha discussão sobre tática e estratégia), e a História me mostrou que estava certo:

    Aquela tratorada foi o início do fim do PT fluminense, que até hoje perambula como um zumbi putrefato e derivado de uma costela podre do mdb.

    Então, voltando a vaca fria, para resumir, busquei dizer a mim mesmo, desde sempre, que nunca esconderia ou deixaria de atacar a minha instituição por ela ser o que é: 

    Uma corporação pretora destinada a proteger ricos e brancos, enquanto mantém a choldra no seu lugar, a pobreza, a prisão ou o cemitério.

    Não, não, não, eu não tenho conflito (com disse o Hélio Luz, em quem sempre votei) em meter algema em pobre e cumprir o papel que a sociedade me delega.

    Porém, tenho consciência dele (do meu papel), e NUNCA, eu repito, NUNCA vou esperar que essa minha consciência individual ou de outros colegas (como os antifascistas, ligados ao delegado Zaccone) vá mudar a natureza da polícia, sem que haja mudanças estruturais no Estado, na sociedade e enfim, no sistema capitalista que lhe dá causa.

    Assim penso em relação ao judiciário e ao jornalismo!

    Essa é a diferença crucial entre mim e o editor desse blog, que talvez tenha causado ruído desnecessário em suas viscissitudes e idiossincrasias.

    Quando me ataca, Nassif revela mais de si do que de mim.

    Explico:

    Ele tem direito a visão romanceada de que há um bom jornalismo contra um mau jornalismo, um “velho” e tradicioal (de raiz?) e um “novo” jornalismo “fake”, ou superficial (nutella?), ou que o stf conseguirá se erguer porque é fundamental, ou porque há nas estruturas carcomidas do poder capitalista espaços para reformas que o tornem mais tolerável.

    Claro que ele tem direito a tudo isso, até porque dominar e disseminar essa narrativa que opõe “velho” e novo”, tradicional contra modernos dá legitimidade a ele e ao que ele pensa de si mesmo, e portanto, sua interação política com o mundo que o cerca, o que os weberianos e derivados chamam de “legitimação pelo discurso”.

    Mas não pode ter direito  a querer impor isso como verdade imutável, ou como parâmetro que divisa um argumento a ser considerado, e a grosseria de rejeitar qualquer argumento que não use tal premissa.

    Não se exige do Nassif aquilo que ele nunca PODERÁ ser: Um revolucionário, um outsider!

    Não, ele é parte desse sistema e imagina poder operar com e para ele. 

    Imagina que pode domesticar os canibais e chamá-los ao jantar.

    Ok, tudo bem…respeito isso!

    A introdução sobre o advogado de Lula mostra isso, é mais ou menos assim:

    “Bem, agora que está do nosso lado, vamos procurar um jeito de dizer o que não quero dizer, mas tenho que dizer”.

    A mesma coisa com o stf:

    Se o stf disser que Lula não pode ser preso, pode concorrer, ou mais longe, é inocente, aí tudo está bem, e fez-se justiça, ou nas palavras dele, cumpre-se a “receita” de recuperação da credibilidade do stf.

    Então, o stf que DEVERIA dizer que TODO O PROCESSO CONTRA LULA É ILEGAL, E QUEM SABE ENVIAR CÓPIAS AO CNJ, CNMP, E CORREGEDORIA DA PF COM UM PROCESSSO DISCIPLINAR CONTRA OS JUÍZES, PROMOTORES E DELEGADOS QUE ALI ATUARAM, torna-se “garantista” novamente por que adiou a prisão?

    Como se dissesse a moro e seus torquemadas:

    “Olha, a prisão de Lula é ato nosso! Ele é nossa “presa”. Nós que decidimos, e ponto!”

    Vamos ao texto em si, que merece uma autópsia detalhada para determinar em laudo técnico (médico-legal) a causa mortis do pensamento da esquerda brasileira em seu setor de jornalismo e plataformas digitais de comunicação!

    “Hoje o Supremo teve um breve momento de legitimidade, como garantidor de última instância de direitos fundamentais da cidadania.”

    Comentário: Errado. O trecho parece invocar a conhecida história do “guarda bom, e guarda mau”, esquecendo o óbvio: 

    Não há guarda bom e guarda mau, mas um sistema de opressão que leva você a acreditar dessa falsa dicotomia. 

    O judiciário brasileiro, assim como todo e qualquer judiciário de periferia capitalista, serve apenas a manutenção de uma percepção manipulada ideologicamente de que há um “estado de direito”, quando na verdade é estruturado em um “estado de privilégios”, porque os direitos se destinam, de verdade, a quem tem grana.

    “O discurso final de Fachin, recusando até a medida liminar, impedindo a prisão de Lula antes do julgamento final, mostrou a parcialidade infinita dele, Barroso, Fux e Alexandre Moraes.”

    Comentário: Dois erros graves. 

    Deveria consultar antes quem entende do assunto (há alguém?). 

    Todo juiz é parcial, senão todo processo terminava em “empate” (sem sentença decisória). O que está em jogo não é se esse ou aquele juiz merece mais ou menos respeito ou consideração, se é mais ou menos parcial aos seus botões ideológicos. 

    O que está em jogo é que tipo de sistema legal teremos daqui por diante. 

    Prisão em segunda instância, prisão preventiva, prisão temporária, enfim, prisão como cura para todos os males, desde a gonorreia até tumor cerebral já está em vigora faz tempo nesse país.

    É só olhar as cadeias e os cartórios judiciais criminais. 

    alexandre moraes, o lex luthor do stf, mandou prender garotos com armas de paintball por terrorismo, alguém aí tem notícias deles? Pois é.

    Outro erro é desconsiderar (os motivos já disse lá em cima) o natureza do stf e do judiciário em si dentro das estruturas de poder e dinheiro nas quais estão inseridas, e claro, o papel que vão desempenhar.

    O aparente apodrecimento do stf, com seu protagonismo desde 2006 (eu diria desde sua criação), é só um sintoma do endurecimento das condições humanas e interpretações sobre a legalidade dentro dos “novos tempos capitalistas”.

    Quem se surpreende com isso ou é tolo ou cínico.

    Os canibais às vezes usam talheres e bons modos, outras vezes arrancam os pedaços a dentadas mesmo.

    No entanto, o ato (canibalismo) é o mesmo!

    “Se a liberdade depende do julgamento do HC, e se o Supremo não terminou o julgamento, é óbvio que precisa se suspender a possibilidade da prisão até o julgamento final. Suponha que, no julgamento final, o STF conceda o HC. O mal – a prisão – já teria sido consumada.”

    Comentário: 

    Aqui está a essência do pensamento nassifiano, e diria em boa parte, da esquerda brasileira. 

    Diz o ditado que dá origem a uma tese cara ao Direito: Árvore envendenada não dá bons frutos (The Fruits of The Poison Tree Theory). 

    Ora, um processo ilegal só pode levar a ilegalidades em seu TODO.

    O debate sobre HC preventivo é antigo e NUNCA, eu repito, NUNCA vai chegar a um consenso, porque, de fato, ele funciona (o HC) ou não de acordo com a cara (e o bolso) do freguês.

    Para o remédio requerido (o HC) deve-se provar que há uma iminente (em potência) lesão a direito líquido e certo (de natureza ambulatória, ir e vir, porque os demais são julgados em sede de ordem de segurança), geralmente cometidos com abuso ou excesso do coator (autoridsade que pratica ou decreta o ato).

    Ora, se o próprio stf julgou que pode prender após sentença de 2ª instância, e ainda assim ao mesmo tempo, há no colo do marco auréllio (o narciso) julgamentos pendentes sobre o tema, fica CLARO e EVIDENTE que a interposição do pedido de HC direto ao stf, sem o resultado do julgamento dos embargos (o advogado disse que está decidido, mas ainda assim entrou com os embargos, como assim?????) e sem o julgamento do stf (marco auréllio), o que temos é uma chicana, um atropelo de instâncias e mais, eu diria litigância de má-fé da defesa de Lula.

    Claro que eu defendo o direito da liberdade de Lula, mas não por vias parecidas com as que usam seus carrascos.

    A liberdade de Lula decorre do fato de que ele é inocente e foi julgado em processo ilegal!!!

    Mas claro, assim como o advogado de Lula passou a ser “brilhante”, mesmo depois de ter perseguido o editor desse blog, agora o stf conseguirá recompor-se se “ajudar” Lula.

    Ou seja: Com a cabeça na guilhotina, esperamos que o carrasco desista, ou que o mecanismo falhe.

    Ou pior: Queremos para Lula o mesmo que urramos e gritamos contra quando foi com daniel dantas e gilmar mendes: 

    HC COM SUPRESSÃO DE INSTÂNCIA!!!!

    É inacreditável que uma questão tão óbvia dessa tenha sido ignorada por Ministros pequenos.

    Comentário: Bem se há ali ministros pequenos, há os grandes. Quem serão? Depende do resultado? Então…

    • Nassif e Douglas.

      Reafirmo minha convicção: os dois são ótimos!

      Não há porque brigarem (ou não há por que se preocupar se brigam). As divergências são honestas, e o Douglas, como o Nassif, tem o que contar e o que contribuir para o debate.

      Quanto ao Nassif (na visão do Douglas), não há nada de errado em uma pessoa mudar de opinião, desde que as novas opiniões sejam honestamente expostas. O importante são as opiniões e as fontes das opiniões.

      Transparência, enfim.

      Minha história tem alguns pontos de contato com a de Douglas: também vivi a Polícia Civil (porém como simples escriturário, 3 anos e meio, década de 70), e também via (e criticava) muitas coisas. Ganhava salário pouco acima do mínimo, para 48 horas semanais (pra valer), mas o meu maior ganho, coisa sem preço por preço alto demais, foi a experiência. Obrigado, Estado de São Paulo! (numa época anterior ao PSDB).

    • Amigo Douglas, preste mis

      Amigo Douglas, preste mis atenão nessas suas idéias fixas em cima do Nassif, uma análise de consciencia talvez lhe caia bem,  é o que penso. abraço.

  6. Os SUPREMOS precisam voltas a

    O SUPREMO precisa voltar a ser mortal

    O STF deve dispor de mandato pra seus membros, de dia e hora pra FANTASIA acabar e eles voltarem a ser as abóboras que sempre foram

    È INIMAGINÁVEL, depois de tudo ocorrido (e graças a DEUS TELEVISIONADO) que a democracia brasileira se permita conviver com um Poder tão discrepante, tão independente da sociedade, como é o Judiciário frente aos demais

    Um Poder de NABABOS vitalícios  ..gente arrogante que pensa que por estar aonde estão podem acabar por se passar como reis ou IMPERADORES

     

  7. O ministro é especialista em
    O ministro é especialista em defender teses faceis. Nao havia polemica real na defesa da uniao de pessoas do mesmo sexo ou da interrupcao de gravidez de fetos anencefalos. Tirando um certo segmento fundamentalista da populacao não havia resistência a essas teses. Barroso representa com precisão a versão de modernidade Rio-Zona-Sul da família Marinho e seu neo-coronelismo. São liberais naquilo que não ameaça o seu poder, os usos e costumes sociais urbanos globalizados, mas são verdadeiros coronéis nordestinos quanto a qualquer pessoa ou política que ponha em risco o modelo de poder econômico-social que lhes beneficia, por isso perseguem ferozmente Lula e o PT.

  8. Um pouco de humor para

    Um pouco de humor para aliviar a tensão antes do fds: Nassif, explica: o que é essa tal de “vaidade mais superficial e profunda” de Barroso. Abraço procê!

    • Deve ser profundamente,

      Deve ser profundamente, superficial rs

       

      Acho que o min. Barroso não tá curtindo muito o STF, não. Ele ia se dar melhor com o pessoal do MP. Agora, já era. E, o duro ( pra ele, não pra nós),é que, parece que os ministros garantistas, finalmente, resolveram colocar ordem na quitanda e, lembrar ao MPF que a chefia do Judiciário é do STF e não tem essa de lado-a lado- com MPF e MENOS AINDA , submetido ao parquet como vem sendo  de uns anos pra cá. 

      Espero, sinceramente, que a Corte, tenha acertado o passo para lutar pelo país e não contra.

      E, Min. Carmem, de boa, tapinha nas costas da gringa do MPF, não fica legal e dá uma apequenada na Corte.

  9. Barroso Zelig

    Um camaleão, cujas cores são ditadas pelos holofotes. Talvez um já um pouco cego não consegue ver o esmaecimento dos holofotes.

    Do papel de juiz iluminista e garantista,  numa troca de holofotes se tornou esta figura vociferante que me lembrou um comentário sobre o filme Zelig

    (Trecho da wikipedia:

     É observado inicialmente numa festa, por F. Scott Fitzgerald, que percebe que, ao mesmo tempo em que circula entre os convidados louvando as classes afluentes num sotaque refinado e esnobe, Zelig se mistura aos criados na cozinha, vociferando enfurecidamente contra os “gatos gordos” num forte sotaque proletário. 

    https://www.revistaforum.com.br/cinegnose/2011/11/24/no-filme-zelig-woody-allen-faz-uma-fabula-sobre-a-psicologia-de-massas-do-seculo-xx/

    ….., um homem pacato e desinteressante que passaria anônimo na história, não fosse a estranha capacidade de transformar sua aparência na das pessoas que o cercam (na presença de chineses adquire traços orientais, na presença de judeus transforma-se num rabino etc.). É o “camaleão humano”, estranho caso que intriga psicólogos, psiquiatras e neurologistas que não conseguem chegar a um diagnóstico. Com o auxílio da técnica do “croma key” Woody Allen inseriu seu personagem e outros atores em imagens reais de cinejornais da época, antecipando técnicas usadas em filmes como “Forrest Gump” (1994). 

  10. É preciso proibir as redes sociais para o judiciário.

    Ontem, o Nassif botou dicas para recuperar a imagem do Supremo, entre elas a proibição das transmissões ao vivo, que desde 2005 ganharam visibilidade inédita com as consequências evidentes. É preciso ir além. O CNJ deveria proibir o judiciário inteiro de usar redes sociais, não se trata de censura, longe disso, mas da total incompatibilidade com a função. 

    Juízes, promotores, desembargadores, procuradores federais e regionais  deveriam ser proibidos de ter perfil em rede social (Twitter,Facebook, Instagran, You Tube, etc). É totalmente incompatível e produz os estragos que estão aí. Redes sociais proporcionam visibilidade e protagonismo que exacerbam a vaidade e destroem as instituições. 

    Há o bom uso, e há muitos exemplos, como o juiz de Manaus, Luiz Carlos Valois, por exemplo, assim como procuradores que fazem  o uso correto, responsável e ético das redes. Mas há também os pavões exibicionistas que disputam protagonismo, como um certo juiz de Brasília que tempos atrás após proferir uma sentença polêmica correu ao Facebook e escreveu: “Sentença que acabei de prolatar” e publicou na íntegra, no melhor estilo “Veja mamãe, sem as mãos”. 

    Atualmente as redes sociais são terra de ninguém, e o judiciário aderiu em peso, salvo as exceções de praxe. Não é possível continuar assim, procuradores e juízes dando pitaco em tudo, questionando instâncias superiores, promovendo uma verdadeira zona, destruindo as instituições. 

    Não sei como é nos outros países, mas no Brasil a máxima de que “juiz fala nos autos” virou piuada, ao contrário, falam o tempo todo, sobre tudo, se intrometem em tudo. Infelizmente os integrantes do judiciário que fazem bom e correto uso das redes pagariam pelo mau uso, pois não é possível fazer um manual do que pode ou não ser publicado no perfil pessoal de cada um, é impossível. Logo, proíba-se as redes. Não tem outro jeito. 

    É preciso ir além das transmissões ao vivo das sessões do STF. 

    • Discreção rigorosa, é o mínimo

      Na minha opinião enquanto um juiz estiver na ativa ele deve ser proibido de fazer palestras, dar entrevistas, escrever em jornais e até dar aulas, só depois de aposentado, pois numa simples aula o juiz pode usar o exemplo de um caso que esteja dependente de sua decisão e expor sua sentença previamente.

      Deveria ser assim, enquanto na ativa juiz deve ser mudo e calado, sem exceções.

    • A vantagem da publicidade, é
      A vantagem da publicidade, é que passamos
      a conhecer como eles realmente são.

      Privar o brasileiro, cidadão votante disso,
      é alienar o processo político do mais
      interessado.

      Afinal, pegá-los de calças curtas? Ora, não
      tem preço.

    • stf

      Você está absolutamente correto. Estudei cinema e uma das dificuldades de um documentário é que, de acordo com as idéias de Andre Bazin, a câmera transforma o objeto filmado. Portanto, filmar a verdade é impossível salvo espionagem, que tem toda a sorte de desvios éticos.

       

      Assim sendo, o que está se decidindo ao vivo nao representa a vontade e/ou entendimento dos senhores magistrados, logo eles, que devem servir de exemplo para todos os outros.

  11. Barroso é fake.

    Barroso é fake.

    Pura falsidade do inicio ao fim.

    Esse processo contra Lula é fake desde o inicio, sendo que foi instaurado graças a uma reportagem fake da Globo sobre os apaartamentos da Bancoop, que não tem nada a ver com Moro ou Lava Jato ou Petrobrás. Moro nem é o juiz natural da causa, sendo um juiz fake no caso. A sentença é fake. Esperamos que no próximo dia 4 o STF corrija isso anulando a sentença fake, um vez que provado está que se trata de fraude processual de cabo a rabo, não há nada que se aproveite nesse processo  de perseguiçao politica contra Lula.

    • E se fosse o Dantas no pelourinho?

      Como até o mundo mineral sabe, a operação Farsa a Jato está eivada de irregularidades e ilegalidades, pelo menos no caso do ex-Presidente Lula, as quais demandam espaço maior que o de um blog. Logo a acusação e a denúncia são decorrentes destas inúmeras ilegalidades que as enquadra em frutos de uma árvore envenenada, foi usada com êxito pela defesa do banqueiro Daniel Dantas. Portanto, para realmente entrar no mérito da “condenação” de Lula é preciso reconhecer-se a nulidade de tudo o que conduziu às falsidades contidas no processo, sem o quê não há julgamento algum do mérito (pitaco de leigo).

  12. Barroso pagajoso

    O ministro Barroso é o tipo de gente pegajosa, cuja voz melíflua causa um tipo de repulsa e nojo que as pessoas educadas só conseguem conter por lhe negarem qualquer intimidade e o manterem a distância.

  13. Falso Iluminista, verdadeiro ilusionista

    Este ministreco se considera um produto do Iluminismo e, ao mesmo tempo, é contra as liberdades democráticas, contra o cumprimento da Constituição do país e contra a Declaração Universal dos Direitos da Pessoa Humana. Em resumo, ele não sabe o que é o Iluminismo.

     

     

  14. Considerações sem

    Considerações sem dor.Carminha,assim que não entregar a encomenda,será expelida.Ou requer a aposentadoria ou renuncia.Se o ogro Carlos Marun,em cima do fiasco Lula,atrelada talvez a maior derrota das Organizações Globo,despacha Barroso via impecheament.Os Fefês,Fux e Fachin,se recolherão as suas respectivas insignificâncias.

    • Estou convencido que aqui no
      Estou convencido que aqui no Blog tem muito cadastrado que padece do mesmo mal de Geddel.Ser amigo do alheio.O que me teem roubado de estrelas,faz com que a grana encontrada no bunker do gatuno,serveria apenasmente para passar troco.

  15. Prezados Camaradas
    Prezado

    Prezados Camaradas

    Prezado Nassif

    “O mercado demandava social”. Este mercado de ódio é uma construção do PiG, que envenenou nossa sociedade com objetivos políticos. Estes caras aproveitam a onda não porque são fracos, são exatamente o que você falou: punguistas que aproveitam a ocasião para embolsar uns trocados.

    Cada vez mais me convenço de duas coisas:

    1 – A globo é um câncer, e sua metástase está destruindo o país. Ou você coloca um cabresto nesse mosntro, ou você (e o País, que vai se fragmentar) é destruído

    2 – Como faz falta Leonel Brizola. Se ele fosse presidente, hoje a globo era umas emissora comunitária do Jardim Botânico

      • Não foi só o barroso

        Não foi só o barroso não.

        Teve mais. Se não me engano foram NOVE nomeações feitas pelo PT. Sem contar os PGR antonio francisco, roberto gurgel e rodrigo janot.

        Tirando o Lewandowski, todo o resto foi horrível. O resultado esta aí.

        Que o PT aprenda a olhar com respeito que deve a indicação de indíviduos para cargos de poder.

        Neste caso podemos dizer: que aprendam com o fhc. 

    • troca o disco….

      Confia tanto na pessoa, casa com ela e ele/a te trai.

      Confia tanto no teu sócio e ele te rouba.

      Confia tanto no teu deputado e ele vira casaca.

      Confia etc. etc., portanto mais uma vez raciocínio de testa da cazzo.

  16. Depois da queda do avião do

    Depois da queda do avião do Teori, parece que acabou qualquer resistência ao Golpe que poderia surgir dentro do STF.

     

     

  17. Pitaco

    “E, como bom empreendedor jurídico, defendeu teses polêmicas e moldou a faceta de humanista. (…) Puro empreendedorismo com pitadas de coaching.”

    No lugar de empreendedor jurídico, eu usaria alpinista/alpinismo jurídico-social.

  18. Nassif lacrou. É esperar o ilusionista engolir o anzol…

    Na sessão do STF de 21/03, o ardiloso e inescrupuloso Gilmar Mendes cevou o plenário, mas só o ministro ilusionista mordeu a isca e acabou no samburá do tucano: “feche seu escritório de advocacia, ministro!”. Hoje, Nassif lacra com a melhor descrição dos anões políticos e vermes morais, ex-garantistas, neoconvertidos ao justiçamento dos indesejáveis. Tenho certeza que o ministro ilusionista engolirá o anzol. Prepare-se, Nassif. A vaidade e maucaratismo do ilusionista poderá render-lhe aborrecimentos. Estaremos de olho em eventual abuso de poder ou desvio de poder contra si. Grato por seu desabafo. 

  19. Três Luíses

    Não são três Juízes, são três luíses. Fuck-se, Facin e Barroso (hehe).

    Versão suprema dos 3 do TRF-4, Huguinho, Zezinho e … Luisinho! (Vc que fez esta brilhante comparação, Nassif!, sensacional!!!, falas tão combinadinhas como aqueles personagens de Patópolis (olha só! rsrs), em que um completava a fala do outro, formando uma frase.)

    Ou seja, prevalecem as personalidades, os luíses, em vez do comportamento esperado pelo cargo que ocupam, de Juízes.

    Personalismo. Em vez do cumprimento do dever.

    E tudo isso contra o Grande Luís, aquele que representa a Alma do Brasileiro, como Gandhi era a Alma do Indiano.

    Ele mesmo sabe disso, pois em um discurso ele disse mais ou menos assim: “Eu não eu. Eu sou vocês!”.

    Não gosto de personalismos, como está claro no início deste meu comentário.

    E não cultivo a personalidade de Lula, como pode parecer, mas simplesmente é fato que ele encarna já há algum tempo a Alma do Brasileiro.

    Só cultivo mesmo é a Alma do Brasileiro, o Povo Brasileiro.

    Quanto a vc, Luis Nassif, mais um Luís, sempre a analisar com perfeição os fatos e as pessoas.

    Mas se poupe, cuidado para não entrar na vibração negativa do rancor. É difícil rsrs.

    Quantos luíses, né? Engraçado…

  20. O doutor Barroso enganou todo

    O doutor Barroso enganou todo mundo. Ela tava era debochando com a gente quando falou que era um homem com ideias provinientes do Iluminismo. Porra nenhuma do Iluminismo que se imagina. O iluminismo dele tá para a filosofia, assim como a música, a música está para o topete do Fux.

    Vai que que o Barroso frequentou na juventude, reuniões de grupos de garotões onde se vadiava de sociedade secretas fictícias, tipo: Os Illuminati do Fifó Dourado, ou algo similar.

    Orlando

     

     

  21. As pessoas desejam posições
    As pessoas desejam posições de destaque, mas nem sempre elas tem as aptidões necessárias para desempenha-las de maneira satisfatória.
    Churchil foi um 1o. lorde do almirantado medíocre durante a primeira guerra mundial. A única operação militar que ele planejou resultou em derrota para os turcos em Galioli. Mas ele se tornou um grande primeiro-ministro durante a segunda guerra mundial.
    FHC escreveu livros supostamente sofisticados e foi um presidente medíocre que estropiou a economia do Brasil.
    Saint-Exupéry acreditava ser um aviador habilidoso e foi abatido em combate. Será eternamente lembrado como um grande escritor, um verdadeiro mestre da narrativa em primeira pessoa.
    Barroso foi um advogado bem sucedido. Mas se transformou num juiz vaidoso, autoritário e raivoso. Ao invez de sorrir ele range os dentes e vocifera ofensas como se fosse irmão gêmeo de Gilmar Mendes.
    A melhor coisa da vida é moderar a ambição, compreender a marcha da vida e seguir em frente (como diz uma música muito bonita). “Sturm und drang” é bom, mas apenas na literatura alemã do século XIX.

  22. Barroso: advogado da Globo

    Gilmar Mendes pode ser tudo, menos idiota. Aliás, penso que ele é muito inteligente e age estrategicamente. Ele demonstrou para quem quiser ver o papel execrável de Luiz Roberto Barroso no STF.

    (1) no dia 21/03 Gilmar provoca Barroso, que se irrita e surge o bate-boca. Gilmar finalizada com uma frase: “Recomendo ao ministro Barroso que feche o seu escritório de advocacia”.

    (2) no dia seguinte, na votação do HC de Lula, Barroso vota exatamente como deseja a Globo,  rasgando a Constituição e até “esquecendo” de ter votado de modo diferente em outra situação (apontado por Alexandre Morais).

    Gilmar demonstrou: Barroso continua advogado da Globo. Atuando agora como ministro do STF.

  23. Barroso e o sobrinho

    Gilmar Mendes (PSDB/MT) fez um singelo pedido ao ministro Barroso para que ele feche o seu escritório. O ministro constitucionalista da Globo manda em seguida uma carta para a assessora do Merdal, Carminha, com o teor: “Diante da afirmação falsa feita hoje no Plenário, venho formalmente comunicar a Vossa Excelência que me desliguei do escritório que integrei, em data anterior à minha posse, e que jamais atuei em processo pro ele patrocinado ou por qualquer dos seus sócios”. Só que o ministro saiu mas deixou o sobrinho Rafael Barroso Fontelles entre os sócios do escritório de advocacia. Aí ministro fica difícil fazer a sua defesa sem ser Manifestoche na minha humilde opinião.

    http://www.bfbm.com.br/web/pt/quemsomos/apresentacao.htm

  24. Defensor dos interesses da Globo, Barroso desrespeita a justiça

    Defensor dos interesses da Globo, Barroso desrespeita a justiça

    Ex-advogado da Globo, Luís Roberto Barroso (vê-se neste episódio) continua defensor dos interesses desta Organização – criminosa, para muitos – no stf. Como juiz, tem a obrigação de ouvir e prestar atenção à defesa do paciente, quando ela se pronuncia, especialmente da tribuna, ao discursar e expor seus argumentos finais. Não é o que faz Luís Roberto Barroso, desrespeitando o paciente, seu defensor, todos os seus pares no tribunal e a própria justiça. Ao não tomar conhecimento desta parte essencial dos autos, ignorando a defesa do paciente de um Habeas Corpus, na sua luta por liberdade, o senhor Luís Roberto Barroso falta ao decoro e se mostra indigno do cargo que exerce.

    O vídeo abaixo mostra a argumentação final do advogado José Roberto Batochio na tribuna do plenário do stf, em cerca de 16 minutos. O vídeo mostra Barroso em 11 ocasiões, somando cerca de 3 minutos. Em todas elas, o defensor da Globo está analisando papéis ou material na tela do seu computador, ignorando a defesa de Lula. Em todas elas, jamais está prestando atenção no advogado, na sua argumentação.

    Ao se comportar desta forma, na sua falta de decoro, provavelmente o que mais temia Luís Roberto Barroso era ver exposto o seu autoritarismo escroto, era tomar um tapa na sua cara e na cara de quem tanto defende – a Globo -, nas palavras estrondosas e históricas de Batochio, que ressoaram no recinto e em todo o Brasil: 

    “Quando na Constituinte de 87, quando na Constituição de 88, nós escrevemos o plexo de direitos que compõem o Capítulo dos Direitos e Garantias Individuais e Coletivos, nós procuramos, sim, positivar no texto nobre da mais alta hierarquia legislativa do nosso país essas garantias, para que nós pudessemos ter o instrumental necessário para repelir as outras investidas do autoritarismo, vestisse ele verde-oliva ou envergasse a cor negra da asa da graúna. De onde vier será repelido porque nós, brasileiros, não aceitamos viver sob o tacão autoritário de quem quer que seja, e por esta razão é que nós escrevemos na Carta Política que antes do trânsito em julgado nenhum cidadão pode ser considerado culpado.” (minutos 06:48 a 08:02)

    – – – – – – – – – – – – – – – 
    Trechos com aparições de Luís Roberto Barroso, um dos defensores dos interesses da Globo no stf: 00:00 – 00:28 ; 01:50 – 02:05 ; 04:03 – 04:07 ; 05:39 – 05:49 ;  07:07 – 07:22 ; 08:28 – 08:44 ; 09:15 – 09:35 ;  10:50 – 11:19 ; 11:33 – 11:41 ; 13:33 – 13:49 ; 14:25 – 14:31

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=8Blwr3ZbNys%5D

  25. Dândi togado

    Não me surpreendo com o melífluo Barroso. Nunca me iludi com o dândi togado, com o punitivismo medieval, sob o disfarce da erudição retumbante e oca. Por outro lado, a questão essencial que está em jogo, no stf, é a forma como a “Justiça” da Casa Grande conduzirá a fase final do golpe contra a democracia. A inabilitação do Lula para o pleito de 2018 poderá se dar apenas através da “Ficha Limpa” ou será necessário encarcerá-lo, mesmo sob o risco de uma imensa reação social? Nenhuma ilusão com o stf. Nessa altura do campeonato, até o mundo mineral sabe que o golpe veste toga. 

  26. A maldade
    Fico imaginando, será que já se sabia desse lado escuro, obscuro, cinzento do Fachin?? Porque é recente, até ontem ele era o advogado do MST, como alguém pode se metamorfosear tão rápido assim? Esses caras de voz mansa me dão medo…

  27. Diante do espelho, fitando a

    Diante do espelho, fitando a propria face , o “iluminista” Barroso disse para si mesmo:

    Eu sou uma pessoa horrível, uma mistura de mau caráter com psicopatia…

  28. TEMOS JUIZ QUE GANHA 500 MIL
    TEMOS JUIZ QUE GANHA 500 MIL POR MES. TAMBÉM TEMOS POLÍTICOS QUE ROUBAM 500 MIL POR MÊS OU SERIA SEMANA OU DIA OU HORA OU MINUTOS. PARA MIM ESSES MALDITOS TRÊS PODERES DA REPÚBLICA DEVERIAM SER EXTINTOS. É COMEÇARMOS DO ZERO.

  29. Que Deus nos proteja dos homens bons…
    Lúcida e principalmente esclarecedora, para os muitos que não compreendem as fragilidades das conveniências sociais, como o ser humano necessita SER mais que parecer ser.
    Só não ando profundamente decepcionado com tudo a nossa volta porque aprendi que não devemos esperar nada das pessoas.
    Parabens.

    • os chantageados e os chantagistas

      Não tenho provas mas, por cognição sumária e por convicção, me parece evidente que barroso, fachim, fux, gilmar, carminha, raquel, janot estão com o “rabo” preso em seus passados, regiamente levantados por NSA/CIA, que abasteceram seus melhores agentes em nosso país – globo e seus capachos – com as informações que levarão à lama ou à prisão tais personagens … 

      A vulgaridade, o baixo nível, o mau-caratismo dessa gente suprema deixa suas almas nuas e não há toga que as revista da vergonha e da indignidade em que transformam o stf ..

      Deram o golpe mas deixaram suas bundas sujas a vista de todos … 

  30. Por certo me passou a
    Por certo me passou a obrigacao de parabenizar Nassif pelo texto sobre a figura lombrosiana de Luiz Roberto Barroso,um ser abjeto.O Moreno Vivo nos seus melhores momentos.Gostaria de aproveitar esse comentario para dirigir-me a cadastrada “lenita” e lhe pedir sinceras desculpas por ter feito uma descortesia em resposta a um comentario feito por ela.As minhas descupas lenita.

  31. Por certo me passou a
    Por certo me passou a obrigacao de parabenizar Nassif pelo texto sobre a figura lombrosiana de Luiz Roberto Barroso,um ser abjeto.O Moreno Vivo nos seus melhores momentos.Gostaria de aproveitar esse comentario para dirigir-me a cadastrada “lenita” e lhe pedir sinceras desculpas por ter feito uma descortesia em resposta a um comentario feito por ela.As minhas descupas lenita.

  32. BARROSO, QUE DEUS NOS
    O que é isto?É matéria paga pelos Ptistas? Meus Deus, o Ministro Barroso está correto o Habeas Corpus de Lula deveria ser julgado de imediato, não tem “conversinha”de adiamento.Este HC é protelatório, uma jogada suja dos advogados do Lula para abrir a porteira da impunidade para todos canalhás de plantão,de todos partidos políticos e organizações criminosas. Parafraseando a frase francesa “O BRASIL NÃO É UM PAÍS SÉRIO! “

  33. Peço desculpas

    Peço desculpas a Nassif e a todos os eventuais leitores que se depararam com um comentário infeliz que postei aqui, afirmando que Barroso não era dos piores ministros do STF, certamente desorientado por seu eventual brilho acadêmico. Ao votar constrandido contra a liminar para livrar Lula da prisão, Barroso provou que ele, sim, é uma pessoa ruim, possuida por maus sentimentos – no caso, destituição cabal de toda sensibilidade ante os imperativos da prudência jurídica. Na prática a teoria é outra; me deparei com minha falta de discernimento no juízo anterior e espero ser mais ponderado doravante.

  34. Debate num STF de antigamente. Ou é nos dias de hoje?

    – Vossa Excelência é uma azêmola!

     

    – Data vênia, cavalgadura é Vossa Excelência – e das claudicantes!

     

    – Quem é Vossa Excelência para vir com bazófias e prosápias, cheio dessas paparrotices de boquirroto contumaz? 

     

    – Se Vossa Excelência iterar o que enunciou, eu lhe rompo a face!

     

    – Rompe bulhufas! Vossa Excelência prima por ser um grande portador de nádegas flácidas!

     

    – Saiba Vossa Excelência que eu não sou de deglutir batráquios nem de posicionar o prolongamento caudal em meio aos membros inferiores. Abjure o que asseverou ou eu…

     

    – Ou eu o quê, seu Vossa Excelência de excrementos fecais! 

     

    – … eu estipulo que Vossa Excelência vá ter com a vulgívaga que o deu à luz!

     

    – Vá Vossa Excelência fornicar com sua própria pessoa! Eu já me encontro com a bolsa escrotal inflada desses seus vitupérios e invectivas. Vossa Excelência é uma pessoa hórrida, ominosa, rebarbativa e com diagnóstico inequívoco de afecção psíquica!

     

    – Ora, vá recolher pequenos frutos de palmáceas nativas da Mata Atlântica! Vossa Excelência deslustra, vexa e encalistra esta egrégia judicatura. 

     

    – Proxeneta!

     

    – Sicofanta!

     

    – Pederasta!

     

    – Pederasta é o membro viril! Vá Vossa Excelência ser…

     

    (Interrompemos momentaneamente os debates nesta Suprema Corte para a pausa do café. Em quinze minutos, o STF retoma suas atividades)

     

    >>> Não sei quem é o criativo autor desse palavrório.

     

     

  35. Barroso e os os outros três

    Acompanhei com a maior atenção a discussão e a votação da liminar propota pelo Dr. Batochio. Observei as expressões e ouvi as palavras dos que votaram contra. Confesso que não me impressionaram. É que tenho o costume de desconfiar de gente que substitui o conteúdo pela enfase, quando fala. Deram-me a impressão de terem procedido como alguém que, desejando passar para o outro lado do córrego, recua da margem em que está para reforçar o impulso do salto. Aposto que o primeiro a mudar de lado na votação do dia 4 de abril será o cabeludo do Fux. Em seguida, o seu antípoda, o Morais. Depois, …  

  36. Recebi informações fidedignas
    Recebi informações fidedignas de que no STF tem assento outro Pavão Misterioso.Nao tenho como afirmar peremptoriamente.Agora,a tomar pelo pescoço do bicho(?),dá para notar que aquele Pitbull é Lesse.

  37. Recebi informações fidedignas
    Recebi informações fidedignas de que no STF tem assento outro Pavão Misterioso.Nao tenho como afirmar peremptoriamente.Agora,a tomar pelo pescoço do bicho(?),dá para notar que aquele Pitbull é Lesse.

    • Classe política e judiciária.
      Resumindo em apenas três palavras. Todos os políticos e ministros da suprema côrte, são uns, apedeutas, déspotas e nefastos. Não precisa comentar mais nada sobre essa raça.

  38. Da terra ao pó
    Caro Nassif,

    Cumprimento-lhe pela postagem. O fato de termos reservas com relação a maior parte dos digníssimos membros do Judiciário não impede constatar que uns são mais oscilantes que outros, ao sabor das conveniências. Evidentemente, haverá os especialistas em odiar, neste espaço, incapazes de se ater ao teor do que você observa. Um abraço.

  39. Da terra ao pó
    Caro Nassif,

    Cumprimento-lhe pela postagem. O fato de termos reservas com relação a maior parte dos digníssimos membros do Judiciário não impede constatar que uns são mais oscilantes que outros, ao sabor das conveniências. Evidentemente, haverá os especialistas em odiar, neste espaço, incapazes de se ater ao teor do que você observa. Um grande abraço.

  40. A intenção em fazer LULA o
    A intenção em fazer LULA o ícone supremo de todos os males ,aflora o sentimento sanguinário de hipócritas que se esconderam sempre a traz do manto que os abrigou de se mostrarem como verdadeiras aberrações.

  41. A intenção em fazer LULA o
    A intenção em fazer LULA o ícone supremo de todos os males ,aflora o sentimento sanguinário de hipócritas que se esconderam sempre a traz do manto que os abrigou de se mostrarem como verdadeiras aberrações.

  42. Antes de tudo e antes que os

    Antes de tudo e antes que os arautos da interpretação de texto me ataquem, apresso-me em dizer que votei na Dilma duas vezes. Mas debitem na conta de Dilma os medíocres Fux, Weber, Barroso e Fachin. Vou deixar Zavascki fora da lista da mediiocridade.

    Imaginei que, com a aposentadoria de Joaquim Barbosa, a impressionante demora de Dilma em escolher seu subsitituto decorresse do desencanto da presidenta com seus conselheiros (Zé Cardozo entre eles), pois provavelmente caíra a ficha ante ministros tão medíocres. Mas quem ela foi buscar no longo e cauteloso garimpo? Fachin! Durante esse período de garimpo, testemunhei a militância sugerir Eugênio Aragão, Pedro Serrano etc. Enfim, bastaria, para uma boa escolha, um ministro com histórica posição de ‘sacação’ sobre o papel da mídia brasileiira. Mas não. Desde quando cunhou a frase (soprada pelo marketeiro João Santana) de que o “único controle da mídia que aceito é o controle remoto”, Dima optou por esse republicanismo redeglobiano que carcomeu o PT. 

  43. Peço desculpas

    Peço desculpas por ter postado aqui um comentário defendendo Barroso dos desacertos do STF. O voto do ministro contrário à concessão da liminar em favor de Lula é, de fato, uma das mais pervertidas manifestações de um homem público a que já assisti. Fui enganado pelo brilhareco acadêmico do ministro e fracassei em meu discernimento político. Vou redobrar o esforço de ponderação doravante. Gilmar venceu em coerência e integridade.

  44. “De tanto ver triunfar as

    “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.”

  45. Gilmar Mendes, o lindo.
    Não se percam pelo título. Acho GM horrível em todos os sentidos. No entanto, não posso deixar de constatar que Gilmar Mendes, dentre esses 11 ministros, é o único autêntico ou, se não o único, é o mais autêntico. Gilmar Mendes vota de acordo com a sua conveniência, e nisso ele é honesto, muito honesto. Ele defende tucanos não importando a questão. Muda de opinião de acordo com as circunstâncias e liga o seu “foda-se”, defecando e andando para o que vão dizer dele depois. Ele decide questões em que nem poderia atuar. Concede habeas corpus para as pessoas mais perigosas. Decide HC em plantão, mesmo estando impedido de fazê-lo. Por isso Gilmar Mendes merece respeito pela sua autenticidade e também pela sua coragem diante de ministros tão fracos, tão frágeis, tão mesquinhos, tão midiáticos. Gilmar não se importa se a Globo vai criticá-lo ou se a folha de São Paulo vai execrá-lo. Ele Decide, e mesmo ele sendo antiPT, não posso deixar de elogiar a sua autenticidade. Portanto, perto de Barroso, Gilmar é lindo.

  46. Quem acompanhou mais de perto

    Quem acompanhou mais de perto o calvário do Cesare Battisti década passada sabe que o Luis Roberto Barroso, que foi seu advogado, era um liberal sincero – no sentido norteamericano da palavra. Um progressista, digamos. Alguém consciente da perseguição política a Cesare Battisti. Alguém que se sentia mal só em ir até uma prisão, pelo que aquilo representava de negação da humanidade.

    Pois bem, feito Ministro do STF, Barroso se tornou um torpe punitivista, conservador em muitos aspectos, que quer cadeia logo, e que já não enxerga perseguidos políticos.

    Toffoli, advogado de carreira do PT, foi escolhido para Ministro do STF para ser o ‘Gilmar Mendes’ do PT lá dentro. O que se tornou? O principal aliado do Gilmar Mendes.

    Não foram os governos do PT que escolheram mal os Ministros do STF. A função é mais forte que a má vontade do indivíduo. A estrutura, a instituição, é que é conservadora pela sua natureza. Ela carrega uma função na sociedade. A posição faz o indivíduo e não o contrário.

    É uma fantasia achar que as posições institucionais são relativamente neutras, que basta os indivíduos certos nelas.

    Os indivíduos são o que a posição que ocupam exige deles.

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome