Bolsonaro disse que vai vetar “extra” do Fundão, sem ser possível

Na prática, o mandatário não poderá impedir esse adicional, devendo vetar a proposta inteira ou trechos do projeto

Foto: Annie Zanetti/TV Brasil

Jornal GGN – Alvo de amplas críticas, Jair Bolsonaro afirmou que irá vetar o “extra de R$ 2 bilhões” aprovados pelo Congresso do fundo eleitoral de 2022. Na prática, contudo, o mandatário não poderá impedir esse adicional, devendo vetar a proposta inteira ou trechos do projeto, e não partes das quantias determinadas.

Na saída do Palácio da Alvorada, Bolsonaro negou que irá vetar o total do fundão aprovado pelos parlamentares há duas semanas. “Vou deixar claro uma coisa. Vai ser vetado o excesso do que a lei garante”, disse.

“A lei garante quase R$ 4 bilhões o fundo. O extra de R$ 2 bilhões vai ser vetado. Se eu vetar o que está na lei, estou incurso na lei de responsabilidade. Espero não apanhar do pessoal como sempre”, continuou.

Entretanto, o mandatário não poderá impedir esse extra sem vetar o texto do projeto. Entre os critérios estabelecidos pelos parlamentares, um cálculo possibilitará que seja destinado cerca de R$ 5,7 bilhões do fundão.

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, concedeu um prazo de 10 dias para que o Congresso Nacional justifique os critérios aprovados no fundo que irá financiar as eleições 2022.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

3 comentários

  1. Isso lembra um episodio de seriado de TV onde o tio tenta comprar o sobrinho propondo 500 dólares contra uma sugestão de 1000 dada pelo pai do garoto. Aí o pai sugere ao filho dividir a diferença com o tio e ele então pede 250…
    Coisas de Besteinaro.

  2. Eu pus um bem à venda. Apareceu uma pessoa com uma proposta de compra. Eu disse a essa pessoa que o preço era R$ 600,00. Ele pediu um abatimento. Eu vendi o bem por R$ 400,00. O bem valia R$ 200,00.
    E a caserna foi reduzida a um puxadinho do Planalto.
    Os Mamões estão no governo

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome