Bolsonaro nega “tratoraço” e chama jornalistas de “canalhas”

O presidente Jair Bolsonaro ironizou o "tratoraço", com a revelação de um orçamento paralelo de R$ 3 bilhões de seu governo a emendas parlamentares

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro ironizou o “tratoraço”, com a revelação de um orçamento paralelo de R$ 3 bilhões de seu governo a emendas parlamentares, denunciado pela imprensa.

“Como que um orçamento foi aprovado e discutido por meses e agora apareceu R$ 3 bilhões?”, questionou, chamando ainda os jornalistas de “canalhas”.

Neste domingo (09), o jornal O Estado de S. Paulo revelou 101 ofícios encaminhados por deputados e senadores ao governo para a aquisição de 6.240 tratores e equipamentos agrícolas superfaturados em até 259% acima do valor de mercado.

Denominado de “Bolsolão” ou “tratoraço”, a oposição pediu a abertura de investigações pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e o Ministério Público Federal (MPF).

Desde que as denúncias foram feitas, foi a primeira vez que o mandatário falou sobre o assunto. De forma irônica, negou que existiu um orçamento paralelo, e lembrou da denúncia anterior de superfaturamento do Orçamento para a aquisição de leite condensado por órgãos do governo.

“Eu faço um churrasco aqui (no Palácio) e apanho. Agora inventaram que eu tenho um orçamento secreto agora. Eu tenho é um reservatório de leite condensado ali, três milhões de latas”, riu, sem explicar ou dar respostas efetivas.

Fugindo das respostas, o mandatário ofendeu os veículos de comunicação e disse que “não tem o que falarem”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora