Bolsonaro nomeia mulher do líder do governo na Câmara para conselho de Itaipu

Maria Aparecida Borghetti assume o cargo de Carlos Marun, que teve a exoneração publicada hoje. O ex-ministro foi nomeado para o Conselho de Administração pelo ex-presidente Michel Temer

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Jair Bolsonaro (sem partido) nomeou a ex-governadora do Paraná, Maria Aparecida Borghetti, para o cargo de conselheira da hidrelétrica de Itaipu  Binacional, de acordo com publicação do Diário Oficial da União (DOU), desta quinta-feira, 6. Borghetti é esposa do líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR). 

Borghetti assume o cargo de Carlos Marun, que também teve a exoneração publicada hoje. O ex-ministro foi nomeado para o Conselho de Administração pelo ex-presidente Michel Temer. 

No dia 22 de abril, Borghetti teve uma reunião com Bolsonaro em Brasília. Na ocasião, ela publicou uma foto nas redes sociais e escreveu: “Estou em Brasília e pude entregar em mãos a réplica do nosso Palácio Garibaldi ao presidente da República Jair Bolsonaro. Agora, um dos símbolos da história de Curitiba estará no Palácio do Planalto, centro de decisões do país!”.

Borghetti ficará na usina de Itaipu até maio de 2024. O conselho é formado por 14 integrantes, sete brasileiros e sete paraguaios, que se reúnem seis vezes ao ano e decidem sobre regimento interno, orçamentos, entre outras questões administrativas da hidrelétrica. 

Nepotismo 

Em fevereiro, Barros, marido de Borghetti, defendeu durante entrevista a contratação de parentes de políticos para cargos públicos. O nepotismo, no entanto, é proibido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por violar o princípio constitucional da impessoalidade na administração.

“O poder público poderia estar mais bem servido, eventualmente, com um parente qualificado do que com um não parente desqualificado”, disse o parlamentar ao Estadão. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora