Bolsonaro nomeia militar que trabalha com Pazuello para a Anvisa

Em meio à suspensão da CoronaVac pela Anvisa, Bolsonaro decidiu trazer nome de seu próprio governo, o tenente do Exército Jorge Luiz Kormann, para diretoria

Foto: Marcelo Camargo/ABr

Jornal GGN – Em meio às polêmicas da suspensão da vacina CoronaVac pela Anvisa, o presidente Jair Bolsonaro decidiu trazer um nome de sua confiança e de seu próprio governo, o tenente coronel do Exército Jorge Luiz Kormann, para uma diretoria do órgão.

Nesta semana, o presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Antonio Barra Torres, que é aliado de Bolsonaro, deu o anúncio da suspensão da vacina, afirmando que a decisão era “técnica” e que a agência não será “contaminada” pela “guerra política”, ao se referir aos posicionamentos do presidente versus do governador de São Paulo, João Doria, que apoia a produção da vacina pelo Instituto Butantan.

Barra Torres tomou o centro das atenções com a polêmica, porque além de ter sido nomeado pelo próprio presidente, ele já participou de atos pró-governo, em Brasília, sem uso de máscaras, em apoio a Jair Bolsonaro, em março.

Agora, o mandatário mostra que não disfarçará na sua posição de impedir a vacina chinesa, que foi testada e com eficácia comprovada, no Brasil. O novo nomeado é Jorge Luiz Kormann, que assume uma diretoria da Anvisa e atuava, até então, ao lado de nada menos que Eduardo Pazuello, como secretário executivo do ministro da Saúde.

O nome de Kormann, contudo, precisa ser aprovado por uma comissão e pelo plenário do Senado. Ele assumiria a partir de 19 de dezembro deste ano, no ápice das decisões sobre o futuro da vacinação contra a Covid-19 no país.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora