Caminhoneiros param avenida Paulista pelo fim do isolamento

O motim era pelo fim da quarentena decretada pelo governo do estado e pela prefeitura de São Paulo, clamam por isolamento vertical e apoiam o presidente Jair Bolsonaro.

Foto Felipe Pereira - UOL

Jornal GGN – Caminhoneiros estacionaram seus veículos na avenida Paulista nesta segunda-feira, ocupando duas faixas. O motim era pelo fim da quarentena decretada pelo governo do estado e pela prefeitura de São Paulo, clamam por isolamento vertical e apoiam o presidente Jair Bolsonaro. As informações são do UOL.

Segundo a reportagem, a fila de caminhões cobriu três quadras de extensão, antecedida por uma carreata de vans. Além das buzinas, o protesto incluía um caixão com imagens de Bruno Covas e de João Doria. E mais adesivos de ‘fora Doria’, alvo principal.

A Polícia Militar chegou a negociar com os manifestantes, para que deixassem a avenida às 15h30, e seriam escoltados para fora da cidade.

Um dos motoristas afrontou a PM dizendo que não sairia do local pois isso seria acatar as ordens de João Doria. Ato contínuo, arregimentaram manifestantes que se sentaram na avenida, impedindo a dispersão.

Os PMs acompanharam a movimentação da calçada e um capitão tentou fazer a linha dura, o que não surtiu efeito. Foi desacatado por um manifestante e ficou por isso mesmo.

Meia hora depois a manifestação se dispersou com reclamos contra a polícia de João Doria.

A Secretaria de Logística e Transportes, em nota, lamentou a ação dos caminhoneiros e listou a série de medidas tomadas para permitir que o trabalho da categoria continue. Lamenta, no entanto, que a manifestação seja contra o isolamento, único meio eficaz de garantir a saúde da população em momento que a pandemia já matou 3.743 pessoas no estado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora