Carta de seis presidenciáveis pela “consciência democrática” poupa Bolsonaro

Assinado por sócios da vitória bolsonarista em 2018, manifesto prega união "independente de filiação partidária" sem congregar nomes da esquerda

Jornal GGN – Seis presidenciáveis lançaram na quarta, 31 de março, um manifesto pela “consciência democrática” que exalta a democracia como o melhor dos sistemas políticos e chama atenção para ameaças autoritárias no Brasil. O manifesto, contudo, não faz nenhuma menção direta ao desastroso governo de Jair Bolsonaro, que celebrou, no mesmo dia, o golpe militar de 1964.

O manifesto fala ainda em união de civis e militares, “independente de filiação partidária”, na “luta pela liberdade” e “defesa da consciência democrática”, mas não congrega nenhum nome associado a partidos de esquerda.

A carta é subscrita apenas por Ciro Gomes, Eduardo Leite, João Amoedo, João Doria, Luciano Huck, Luiz Henrique Mandetta – potenciais candidatos da centro-direita que, direta ou indiretamente, foram sócios da vitória eleitoral de Bolsonaro em 2018.

Leia, abaixo, o manifesto na íntegra:

Manifesto pela consciência democrática

Muitos brasileiros foram às ruas e lutaram pela reconquista da Democracia na década de 1980. O movimento “Diretas Já”, uniu diferentes forças políticas no mesmo palanque, possibilitou a eleição de Tancredo Neves para a Presidência da República, a volta das eleições diretas para o Executivo e o Legislativo e promulgação da Constituição Cidadã de 1988. Três décadas depois, a Democracia brasileira é ameaçada.

A conquista do Brasil sonhado por cada um de nós não pode prescindir da Democracia. Ela é nosso legado, nosso chão, nosso farol. Cabe a cada um de nós defendê-la e lutar por seus princípios e valores.

Não há Democracia sem Constituição. Não há liberdade sem justiça. Não há igualdade sem respeito. Não há prosperidade sem solidariedade.

A Democracia é o melhor dos sistemas políticos que a humanidade foi capaz de criar. Liberdade de expressão, respeito aos direitos individuais, justiça para todos, direito ao voto e ao protesto. Tudo isso só acontece em regimes democráticos. Fora da Democracia o que existe é o excesso, o abuso, a transgressão, a intimidação, a ameaça e a submissão arbitrária do indivíduo ao Estado.

Exemplos não faltam para nos mostrar que o autoritarismo pode emergir das sombras, sempre que as sociedades se descuidam e silenciam na defesa dos valores democráticos.

Homens e mulheres desse país que apreciam a LIBERDADE (sic), sejam civis ou militares, independentemente de filiação partidária, cor, religião, gênero e origem, devem estar unidos pela defesa da CONSCIÊNCIA DEMOCRÁTICA (sic). Vamos defender o Brasil.

Ciro Gomes, Eduardo Leite, João Amoedo, João Doria, Luciano Huck, Luiz Henrique Mandetta

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora