Ciro admite que pode disputar São Paulo

Por Mauro

O Ciro e o Lula combinaram, só pode… Nunca vi uma guerra de nervos tão bem planejada… Deixaram o Serra numa sinuca de bico… Se fugir o Ciro pega, se ficar o Ciro come… Parece com aqueles filmes de adolescente “Te pego na saída…!!!”

24/02/2010 – 12h05

Ciro admite que pode assumir “desafio” de disputar governo de SP

Publicidade

GABRIELA GUERREIRO

da Folha Online, em Brasília

Em reunião nesta quarta-feira com representantes de nove partidos de São Paulo, o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) reiterou sua disposição em ser candidato à Presidência da República nas eleições de outubro –mas admitiu a possibilidade de mudar de ideia caso o cenário nacional o leve para a disputa ao governo de SP.

Ciro disse que há um “cenário remoto” que permite a sua candidatura ao Palácio dos Bandeirantes, embora seu desejo seja concorrer ao Palácio do Planalto.

“O cenário de ter que ir para o governo de São Paulo é quase impossível, mas se o cenário nacional precisar desse desafio, eu não titubearia em ir. Quem alimentou a decisão de ser único, na política, deu com os burros n’água”, afirmou.

Nos bastidores, Ciro é pressionado pelo Palácio do Planalto a abandonar a corrida presidencial porque parte do PT teme que a sua candidatura traga impactos negativos à ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) –pré-candidata petista à presidência da República.

Alguns petistas temem que Ciro chegue ao segundo turno na disputa com o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), caso o tucano consolide a sua candidatura.

Ciro disse que o seu desejo de disputar a Presidência da República “não depende” de conversa com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mas reconheceu que, se Serra não for candidato, o cenário nacional passará por mudanças que afetam diretamente a sua decisão.

“A vida recomenda certa prudência. Não deve ser nosso o primeiro lance. Há dúvidas se o governador de São Paulo será candidato a presidente. Na minha avaliação, não será. E isso muda o quadro”, afirmou.

Ciro disse que não tem a “segurança” de que o projeto iniciado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja garantido apenas com a candidatura de Dilma como representante da base aliada governista. “Quantos por cento dos brasileiros estão informados de que a Dilma é a candidata do Lula? Por que um presidente que tem o apoio de mais de 80% da população, somente 27% declaram apoio a Dilma?”, questionou.

O deputado disse que se considera “muito melhor candidato” do que todos os que demonstraram disposição em entrar na corrida presidencial, incluindo a pré-candidata petista. “A Dilma é extraordinária, mas não tem o histórico de 20 anos de eleição que eu tenho.”

Apoio

O presidente do PT de São Paulo, Edinho Silva, disse que o bloco de nove partidos dispostos a apoiar a eventual candidatura de Ciro no Estado vão esperar a decisão do deputado. “Nunca tivemos em São Paulo um campo partidário como esse atual. Hoje, a liderança que mais unifica é a do Ciro Gomes”, afirmou.

Silva reconheceu, porém, que a “leitura” de Ciro sobre o cenário político nacional é diferente da feita pelo PT –por isso o deputado insiste na candidatura à Presidência. “Ele acha que o Serra pode não ser candidato, que pode ser o [governador de Minas] Aécio [Neves]. O que para nós altera o cenário é quem será o candidato do PSDB ao governo de São Paulo”, afirmou.

O grupo de nove partidos (PSB, PT, PDT, PC do B, PTC, PRB, PSC, PTN e PT do B) marcou uma nova reunião com Ciro em quinze dias. Eles voltam a se reunir no início de abril, quando termina o prazo para que os candidatos nas eleições de outubro deixem os cargos que ocupam no Executivo –como Dilma e Serra.

“Aí teremos um cenário mais definido para conversar. Para nós, o ideal era ter uma candidatura definida para que fôssemos construindo palanques para a Dilma em São Paulo. Mas temos clareza que o centro da tática eleitoral é a disputa pela Presidência”, afirmou Silva.

Por Edmar Melo

O Ciro Gomes é mais inteligente do que se imagina. Ele não vai disputar o governo de São Paulo porque nem é doido nem besta. Aliás, Ciro já descartou publicamente tal candidatura. Entretanto, qual motivo levou Ciro Gomes a transferir seu título de eleitor para São Paulo se não nutria a intenção de se candidatar a governador? A resposta a essa indagação se encontra no Art.14 parágrafo 7° da Constituição Federal que reza: “7º – São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes consangüíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, do Presidente da República, de Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de quem os haja substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato eletivo e candidato à reeleição”. Como se vê, o Ciro pretendia apenas atender, em primeiro lugar, um pedido do Lula e, em segundo, eventual questionamento da sua candidatura a presidente da Republica, posto ser irmão do atual governador do estado do Ceará. Deu pra entender?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome