Com 260 mil vidas brasileiras perdidas, Bolsonaro diz que é preciso parar de “mimimi” sobre pandemia

O mandatário elogiou produtores rurais que continuaram trabalhando durante a pandemia e questionou "onde vai parar o Brasil se nós pararmos"

Foto: Poder360

Jornal GGN – “Chega de frescura, de mimimi. Vão ficar chorando até quando?” indagou Jair Bolsonaro (sem partido) nesta quinta-feira, 4 de março, sobre os efeitos drásticos da pandemia da Covid-19, que já matou cerca de 260 mil brasileiros e vem contabilizando recordes de óbitos diários na última semana.

A declaração ocorreu durante inauguração de um trecho da ferrovia Norte-Sul, em São Simão, no estado de Goiás. O mandatário elogiou produtores rurais que continuaram trabalhando durante a pandemia e questionou em seguida “onde vai parar o Brasil se nós pararmos”, em clara crítica aos governadores e prefeitos que têm adotado medidas de contenção na tentativa de frear o avanço da Covid-19.

“Vocês (produtores rurais) não ficaram em casa, não se acovardaram. Nós temos que enfrentar nossos problemas. Chega de frescura, de mimimi. Vão ficar chorando até quando? Temos que enfrentar os problemas. Respeitar, obviamente, os mais idosos, aqueles que têm doenças, comorbidades. Mas onde vai parar o Brasil se só pararmos?”, disse Bolsonaro.

Nesta quarta-feira, 3, o Brasil bateu, pelo segundo dia consecutivo, o recorde de óbitos pela doença em 24 horas, foram 1.910 mortes de acordo com o painel de monitoramento do Ministério da Saúde.

Nesta quinta, Bolsonaro chegou a lamentar as mortes, mas afirmou que “tem que ter uma solução”. “Até quando vão ficar dentro de casa, até quando vai se fechar tudo? Ninguém aguenta mais isso. Lamentamos as mortes, repito, mas tem que ter uma solução. Tudo tem que ter um responsável”, completou.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora