Comando da Secom deve ser passado a militar

Chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos, almirante Flávio Rocha é cotado para assumir cargo ocupado por Fabio Wajngarten

Almirante Flávio Rocha, nome cotado para assumir a Secom. Foto: Reprodução

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro decidiu pela mudança no comando da Secom (Secretaria de Comunicação Social) da Presidência da República, atualmente gerenciada pelo empresário Fabio Wajngarten.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, o presidente quer colocar mais um cargo nas mãos de militares: o mais cotado é o atual chefe da SAE (Secretaria de Assuntos Estratégicos), o almirante da ativa Flávio Rocha, que deve acumular as duas funções.

Com a mudança, Wajngarten deve assumir um cargo de assessor especial da Presidência da República, provavelmente locado em São Paulo, para onde o secretário costuma viajar com frequência, um dos motivos de seu desgaste no governo – além dos desentendimentos com a imprensa, com a sua própria equipe, com o ministro das Comunicações, Fabio Faria (a quem a pasta é subordinada) e com a própria Presidência da República, sobretudo envolvendo a política de comunicação durante a pandemia do coronavírus.

Tudo indica que a Secom continuará subordinada ao Ministério das Comunicações, uma vez que o almirante e o ministro são próximos, e Faria ajudou na articulação da ida do almirante para a Secom.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora