Covid-19 SP: “Se possível, façam orações em casa”, diz Gabbardo

"Permitimos a liberação das igrejas, mas com muitas restrições para reduzir o risco. O ideal é que, se possível, as pessoas façam suas orações em casa, evitem ir a qualquer tipo de evento público", afirmou o coordenador-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus

Foto: GovSP

Jornal GGN – O governo de São Paulo decidiu manter o funcionamento das igrejas, classificando as atividades religiosas como essenciais. No entanto, o coordenador-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus, João Gabbardo, pede para que as pessoas “façam as suas orações em casa”. 

Na segunda-feira, 1 de março, o governador João Doria (PSDB) assinou um decreto que autoriza a abertura de igrejas, mesmo diante do retrocesso à fase vermelha em São Paulo. 

“Permitimos a liberação das igrejas, mas com muitas restrições para reduzir o risco. O ideal é que, se possível, as pessoas façam suas orações em casa, evitem ir a qualquer tipo de evento público, mesmo nas igrejas. Mas, se forem, que o façam com todos os cuidados possíveis de distanciamento e de não cumprimentar pessoas”, afirmou Gabbardo em entrevista ao Uol.

“Pessoas que vão [às igrejas] devem ser alertadas: estão indo para uma zona de risco. Não tem chance das pessoas estarem dentro do ambiente cantando e é impensável estarem sem máscara”, completou Gabbardo.

A partir de sábado, 6 de março, o estado de São Paulo passará para a fase vermelha, mantendo o funcionamento apenas serviços essenciais como farmácias e supermercados. Porém, uma adaptação do governo permitirá que alguns serviços e atividades continuem, com a abertura de igrejas e escolas.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora