Cúpula do MPF pede que Aras investigue Bolsonaro por abuso de poder

Nos últimos dias, presidente fez sucessivas ameaças às eleições de 2022 caso voto impresso não seja adotado

Jornal GGN – Cinco integrantes da cúpula do Ministério Público Federal (MPF) pediram ao procurador-geral Augusto Aras que investigue o presidente Jair Bolsonaro por conta do crime de abuso de poder.

Segundo representação enviada a Aras e publicada pelo jornal Folha de São Paulo, as declarações de Bolsonaro parecem ultrapassar o exercício direito constitucional à liberdade de impressão, e existe a necessidade de “pronta atuação do procurador-geral da República”, que também exerce o papel de procurador-geral eleitoral, cuja responsabilidade é defender o regime democrático.

O posicionamento teve como base as recentes declarações do presidente, que sucessivamente tem dito que as eleições de 2022 podem não correr caso não exista um sistema confiável – que, para Bolsonaro, é o voto impresso. Augusto Aras é o presidente do Conselho Superior, responsável pela deliberação administrativa dentro do MPF, e seu silenciamento quanto às falas de Bolsonaro são alvo de críticas tanto de seus pares como de políticos da oposição.

Augusto Aras é o presidente do Conselho Superior, responsável pela deliberação administrativa dentro do MPF, e seu silenciamento quanto às falas de Bolsonaro são alvo de críticas tanto de seus pares como de políticos da oposição.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome