Eficácia da vacina contra coronavírus será conhecida em setembro, diz laboratório parceiro de Oxford

Vacina será testada em 10 mil voluntários, mas produção que mira 2 bilhões de doses já começou

Jornal GGN – O grupo farmacêutico britânico AstraZeneca afirmou à BBC, nesta sexta-feira (5), que o resultado da fase 3 do estudo sobre a vacina contra coronavírus, que atestará ou não a eficácia do imunizante, deve sair em setembro deste ano.

A candidata mais promissora no enfrentamento ao coronavírus está liberada para ser testada em 10 mil pessoas, 2 mil delas no Brasil, em São Paulo e no Rio de Janeiro. Após a aplicação da vacina, os voluntários devem ser expor naturalmente ao vírus. Por ser epicentro da pandemia no mundo, o Brasil foi escolhido para a fase 3, que conta com a participação da Rede D’Or, no Rio, e da Unifesp, em São Paulo.

“Em setembro devemos saber se temos ou não uma vacina eficaz”, disse à rede britânica BBC o diretor executivo da AstraZeca, Pascal Soriot.

A AstraZeneca anunciou nesta semana que não espera o resultado final sobre a eficácia da vacina para começar a produzir as doses. A meta é atingir 2 bilhões de doses, metade delas para habitantes de países em desenvolvimento, em parceria com o Instituto Serum, da Índia.

O Brasil tem hoje 614 mil casos de covid-19 e mais de 34 mil mortes. Autoridades negociam para que o País possa produzir a vacina, já que participa dos testes.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora