Eleições na Alemanha terminam sem um vencedor claro

Disputa entre social-democratas e conservadores deixa sucessão de Angela Merkel em aberto; coalizões devem definir novo chanceler

Angela Merkel deixa o governo alemão após 16 anos

Jornal GGN – A sucessão de Angela Markel está em aberto: as primeiras sondagens mostram que o Partido Social-Democrata e a União Democrata Cristão (partido da atual chanceler) ficaram praticamente empatados nas eleições mais pulverizadas da Alemanha do pós-guerra.

O candidato do SPD é o atual vice-chanceler e ministro das Finanças Olaf Scholz, enquanto a CDU é representada por Armin Laschet, atual presidente da legenda e governador do estado da Renânia do Norte-Vestfália.

Segundo o site Deutsche Welle, o resultado apertado deixa a sucessão de Merkel em aberto e dependente de uma sucessão de coalizões que podem levar meses para serem finalizadas – adiando a saída de Merkel do poder após 16 anos.

Clique aqui e veja como colaborar com o jornalismo independente do GGN

Os eleitores alemães não votam nos candidatos, e sim nos partidos. Desta forma, a legenda que irá comandar o país é aquela que obtiver mais cadeiras no Parlamento Federal, ou aquela com mais chances de formar uma coalizão com mais de 50% das cadeiras.

Como nenhum partido conseguiu mais de 25% dos votos, alianças serão necessárias e, muito provavelmente, deverão envolver três partidos – algo que não acontece desde o final dos anos 50. As negociações devem voltar os holofotes para os Verdes e Liberais, fazendo com que o próximo governo não seja completamente voltado à esquerda ou à direita.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome