Dilma pergunta a Marina

A pergunta é sobre o crack (certamente para poder aproveitar a tréplica para vender seu peixe).

Marina dá alguns dados estatísticos sobre crack e propõe trabalho integrado entre União, estados e municípios dentro de visão integrada. Diz que debateu questão quando esteve no Rio Grande do Sul. E que Luiz Fernando Soares, seu assessor, teria entregue a Tarso Genro proposta. Marina cobrou no Rio Grande do Sul. Uma semana depois soube que governo federal desarquivou proposta que era para ter sido implementada desde setembro do ano passado.

Dilma diz que tem que combinar três eixos. Primeiro, reagir com autoridades, monitoramento das fronteiras. Diz que Brasil cumprimentado pelo Departamento de Estado por causa do controle da fronteira. Mas questão principal a prevenção e o apoio – através do tratamento especializado, utilizando comunidades terapêuticas.

Marina insiste que combate às drogas não pode ser encarado como problema meramente moral, mas adoecimento da sociedade. Propõe justiça restaurativa, como no Rio Grande: em vez de prender juventude, pensar na reabilitação.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome