Estadão e Folha e o jornalismo-poste

No início da campanha, a mulher era tratada pelos espertos como poste. Começa a crescer nas pesquisas, continua como poste, na visão dos espertos. Passa o candidato dos jornais… que insistem espertamente no poste. No Roda Viva, há uma polêmica entre o poste e o esperto: o poste deixa o esperto com cara de poste.

Chamar o pequeno de poste é grosseria; chamar o grande, é despeito. Manter a mesma grosseria nas duas circunstâncias, é falta de esperteza, ou como se fazer jornalismo com postes. Descrever uma entrevista onde quem entrou como esperto saiu como poste, é ridículo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora