Lula-Alckmin? Ex-governador não se decidiu sobre planos políticos

Geraldo Alckmin (PSDB) não abandonou seus planos de se alçar ao Palácio do Planalto e tampouco deu respostas sobre filiação

Jornal GGN – Geraldo Alckmin (PSDB), quatro vezes governador de São Paulo, renunciando duas vezes -em 2006 e em 2018- para tentar a Presidência da República, não abandonou seus planos políticos de se alçar ao Palácio do Planalto.

Deixado de lado no próprio partido e buscando outro para o abrigar, Alckmin ainda não se definiu sobre o aceno de articuladores do PSB e do PT sobre uma tentativa de se aproximar de Lula para ser o seu vice em uma possível chapa em 2022.

Mas a simples ideia da união Alckmin-Lula já incomoda diversos aliados do ex-governador. O PSB de Márcio França foi um dos partidos que estava gestando a aliança. Entretanto, o partido do qual Alckmin estava próximo de se filiar – PSD – não mostrou gostar da ideia.

Isso porque o interesse do PSD é o de lançar o atual presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) à Presidência. Ainda, a sigla acredita ter mais chances em cargos de senador do que no Planalto, como o do apresentador Datena, aonde deve investir esforços eleitorais.

A intenção é de obter negociações e poder de barganha com apoio a um eventual segundo turno de outros partidos na disputa presidencial. Caso Alckmin filie-se ao PSD, essa possibilidade não existira.

Outro interesse do partido é de manter Alckmin aonde já tem ninho eleitoral assegurado: o governo de São Paulo. Na disputa local, lançaria Alckmin com Márcio França de vice.

Mesmo assim, a pior votação presidencial do PSDB com Alckmin em 2018 e o isolamento a que foi submetido não diminuiram os desejos do ex-governador a um cargo no Planalto. Enquanto isso, o ex-governador anuncia dar uma resposta (sobre filiação e também seu futuro político) nas próximas semanas.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Nick McHavel

- 2021-11-18 23:53:42

Alberto Fernandez após derrota moderada nas eleições do domingo afirmou que o triunfo foi sobreviver. Lá não teve polarização como Brasil ou EUA. Alguém explica o fenômeno porteno? Foi o Papa? D10S ? Mas aqui não devemos confiar somente na Fortuna (a deusa dos petistas). Sem a Virtude, num ambiente de guerra que será 2022 com fome e talvez peste não sobreviveremos mais 4 anos. Lula precisa de um(a) vice FORTE, LEAL e VITUOSO(A). Em quem você pensou?

j

- 2021-11-18 21:48:38

Tipicamente um tucano de alta plumagem. Sempre em cima do muro.

Edivaldo Dias de Oliveira

- 2021-11-18 16:47:00

Em outra palavras, Geraldo continua onde sempre esteve, durante toda a carreira. No muro. De lá não sai, de lá ninguém lhe tira, a menos que seja enxotado. E ainda assim não sabe onde se atira.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador