O caso do dossiê no Roda Viva

Nassif, a enquadrada da Dilma na folha merece destaque:

“Ela deu a entender que a história do dossiê foi levada a público pelos próprios adversários da campanha. “Acho que está em curso uma tentativa de atribuir a nós questões que não fazem parte do nosso ambiente político”.

Ainda falando sobre a repercussão do caso, a candidata entrou em bate-boca com Sérgio Dávila, diretor de Redação da Folha de S.Paulo, e pediu que o jornal mostrasse as provas que diz possuir sobre uma suposta quebra de sigilo bancário de um dirigente do PSDB. Ela disse que só não processou o jornal porque é a favor da liberdade de imprensa e que o entendimento da campanha era que o jornal estava protegendo a fonte.”

http://ultimosegundo.ig.com.br/eleicoes/dilma+fala+sobre+inexperiencia+nas+urnas…

Comentário

Essa loucura da Folha não tem fim. Criam um escândalo sem provas. Desafiados a mostrar, não mostram. Depois do terceiro ou quarto dia sem apresentar uma prova consistente sequer, era evidente que estava blefando. Especialmente após as respostas iradas e desafiadoras do José Eduardo Dutra. Quando o jornal recebe uma carta no tom empregado pelo Dutra, de duas uma: ou mostra as provas e desmoraliza o missivista; ou recua.

A loucura da Folha é tão grande que mostrou não ter provas e também não recuou.

Agora Sérgio Dávila se expõe dessa maneira, colocando o tema de forma agressiva a uma candidata que tem os microfones abertos para responder. É pedir para sofrer.

Amanhã o trecho do programa com a pergunta e a resposta certamente estará no Youtube, bombando e corroendo mais ainda a imagem do jornal.

Agora, a resposta para a questão dos juros não convence. De um lado, diz que a relação dívida pública/PIB é das menores do mundo. Em seguida, diz que só irá convergir para juros internacionais quando a relação dívida/PIB cair mais. E completa dizendo que a redução dos juros nos demais países se deve às medidas anticíclicas e à necessidade de financiar os déficits? Ué, e onde entram as metas inflacionárias?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora