O fim da herança de 1974

Caso a atual oposição realmente se desintegre no pós eleição teremos um momento único para o surgimento de um movimento ou partido político que não tenha nascido sob a influência dos efeitos da ditadura militar.

Dos atuais partidos a grande maioria é composta por oponentes de 64. Da extrema esquerda a centro direita eles se dividirem em pelo menos 20. Do que seria a banda civil do regime restou o ex-pefelê. Formado geralmente por fisiológicos que não possuem estrutura para sobreviver longe dos cargos públicos. A prova foi o definhamento na era lula.

O pmdb não é um partido político consistente é uma confederação de interesses. São especialistas na divisão do butim. É um dem com maior vocação para o adesismo. Em 2002 foi derrotado pelo pt e na posse do lula já era sócio do governo.

O psdb que nasceu do que seria a ala ética do pmdb perdeu-se no caminho. Nestes oito anos fora do poder federal se fragmentou. O grupo dominante não conseguiu manter a coesão e se perdeu em dois projetos pessoais distintos de poder o atual com o serra e 2014 com aécio, que não conseguem se entender. O governador de Minas acredita que nas próximas eleições conseguirá aglutinar ao seu redor os sócios menores do pt e terá ainda a seu favor o desgaste do lulismo após 12 anos no poder. É um dos maiores interessados numa atual derrota tucana.

Quanto ao pt saberemos se vencer e não ocorrer a revolta da criatura. Um futuro governo dilma terá sucesso se ela se mantiver submissa e não quiser agir por conta própria. No caso dela não importam os votos populares, mas a boa vontade da nomenklatura. Nem dentro do próprio partido ela possui uma base forte. Será totalmente dependente do padrinho, que com certeza sera o árbitro nas disputas internas do governo. Caso o pmdb consiga a maior bancada federal e maior número de governadores a situação dela ficará ainda mais frágil. O custo do apoio para a governabilidade irá encarecer.

Os demais partidos, tirando os radicais da esquerda se enfrentando no gueto, não conseguem se diferenciar e muito menos possuem condições de aspirar a um papel de destaque. Continuarão orbitando grupos maiores.

Independente de quem seja o vitorioso este será um momento para o surgimento de um grupo oposicionista à direita. O pt continuará ocupando a esquerda. O psdb obrigatoriamente terá que migrar para ver se recupera uma parte do espólio do seu sócio, mesmo assim não fará uma guinada radical. Vai continuar disputando os votos da esquerda do pmdb ao pp. Na mesma faixa do pdt, do psb, do pr e do ptb.

Talvez agora possamos ver o surgimento de um partido sem subordinação ao politicamente correto que discrimina qualquer posição política fora dos parâmetros estabelecidos após a constituinte de 1988. Estas eleições devem marcar o início de um novo ciclo. Felizmente deve ser a última com todos os candidatos oriundos de uma mesma ala ideológica. Em 2002, 2006 e 2010 tivemos entre os principais candidatos a presidente apenas o alckimin que aparentemente não fez genuflexão à utopia revolucionária do socialismo. Mesmo assim foi escolhido para perder, dentro do projeto pessoal serra presidente. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome