Fachin reconhece Justiça de Curitiba incompetente para julgar caso da Transpetro

O ministro do STF retirou das mãos da 13ª Vara Federal de Curitiba a ação penal contra os empresários Germán Efromovich e José Efromovich

Jornal GGN – O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), retirou das mãos da 13ª Vara Federal de Curitiba a ação penal contra os empresários Germán Efromovich e José Efromovich, no caso da Transpetro.

Trata-se de ação que teve como base a delação premiada de Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro (Petrobras Transportes S/A), que admitiu receber vantagem indevida ao contratar o Estaleiro Ilha S.A (Eisa) para a construção de navios. A propina teria sido paga em conta no exterior.

Da mesma forma como as acusações envolvendo os emedebistas Romero Jucá e Edison Lobão – originadas no famoso vazamento de conversas em que os políticos tratavam com Machado um “grande acordo nacional” para a derrubada de Dilma Rousseff e “botar o Michel [Temer no poder]” – foram retiradas da Lava Jato de Curitiba, este caso da Transpetro também foi.

Fachin reconheceu a incompetência da Vara Federal do Paraná para a investigação dos dois empresários do estaleiro, Germán Efromovich e José Efromovich, que agora será levada à Justiça do Distrito Federal.

Leia a decisão de Fachin aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora