Home Análise Falta de tato não faz de Mercadante um delinquente, por Maria Cristina Fernandes

Falta de tato não faz de Mercadante um delinquente, por Maria Cristina Fernandes

Falta de tato não faz de Mercadante um delinquente, por Maria Cristina Fernandes

Jornal GGN – Maria Cristina Fernandes, em sua coluna no Valor, comenta sobre a delação premiada de Delcídio do Amaral e sobre a gravações das conversas entre o ministro Aloizio Mercadante e José Eduardo Mazargão, assessor de Delcídio. Para ela, a “escassa vocação” do ministro para a política não o transforma em um criminoso, argumentando que Mercadante recebeu o assessor de um senador “abandonado pelo partido e governo” sem perceber que poderia ser alvo de revanche. 

A colunista crê que o grampo não parece comprovar obstrução da Justiça, ressaltando que as gravações mostram Mercadante buscando uma saída institucional para Delcídio. “O grampo revela um aliado que, mesmo alijado do núcleo do poder, tenta evitar que uma fera ferida destrua o mandato da presidente a quem é leal”, afirma. Leia mais abaixo:

Do Valor

Escassez de tato não faz do ministro um delinquente

Maria Cristina Fernandes

A escassa vocação de Aloizio Mercadante para a política não faz dele um delinquente. O ministro da Educação recebeu o assessor de um senador preso e abandonado pelos pares, partido e governo sem se dar conta de que poderia ser alvo de uma revanche. No encontro, Mercadante se propõe a buscar parecer jurídico que fundamente um pedido do Senado pelo relaxamento da prisão do senador Delcídio do Amaral (sem partido­-MS).

Vazado no dia em que o ministro Teori Zavascki pôs fim ao sigilo da delação do senador Delcídio do Amaral ­ que coloca Aécio Neves, Renan Calheiros e Michel Temer no mesmo balaio de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff ­- o grampo não parece comprovar obstrução de Justiça.

É um Mercadante em busca de uma saída institucional para Delcídio que emerge da gravação: “Eu vou tentar um parecer jurídico que tente encontrar uma brecha para que o Senado se pronuncie junto ao Supremo com o pedido de relaxamento da prisão, porque ela não se justifica mais”.

Leia mais

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

8 COMMENTS

  1. Mas chantagear prefeito em troca de apoio contra impeachment faz
    Délio acusa Mercadante de pedir apoio em troca de verba 

    A União liberaria os recursos para o município se Lacerda conseguisse, em troca, votos dentro do PSB contra o impeachment de Dilma Rousseff

     Fonte NormalMais Notícias    PUBLICADO EM 15/12/15 – 04h00TÂMARA TEIXEIRA

    O vice-prefeito de Belo Horizonte, Délio Malheiros (PV), publicou nesta terça-feira (15) em seu Facebook um vídeo com uma grave denúncia envolvendo o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, e o prefeito Marcio Lacerda (PSB). Segundo ele, ao cobrar do ministro R$ 20 milhões que estão pendentes em Brasília referentes a creches da capital, o prefeito ouviu uma proposta indecorosa do petista. A União liberaria os recursos para o município se Lacerda conseguisse, em troca, votos dentro do PSB contra o impeachment de Dilma Rousseff.

    Em um vídeo de pouco mais de um minuto, e em tom nervoso, Malheiros narra a suposta conversa “assustadora” entre Lacerda e Mercadante. “O prefeito Marcio Lacerda disse que ligou para Brasília para cobrar R$ 20 milhões que o ministério deve à Prefeitura de Belo Horizonte que é a contrapartida na construção das Umeis. Sabe qual foi a resposta do ministro da Educação? Disse para o prefeito: eu vou repassar esses R$ 20 milhões, mas você vai me garantir os votos do PSB, que é o partido do prefeito, contra o impeachment da Dilma”. No vídeo, Délio diz que “isso não é postura ética”. “Não é possível que a educação seja prejudicada porque o prefeito não consiga os votos contra o impeachment”, esbravejou o vice-prefeito.

    Questionado se Marcio Lacerda o confidenciou a negociata que ele narrou nas redes sociais, Délio disse que soube da informação a partir de um blog. O referido blog, por sua vez, credita em sua publicação a suposta proposta de Mercadante – que teria ocorrido na semana passada – a auxiliares do prefeito. Oficialmente, a assessoria de Lacerda disse desconhecer que tal proposta tenha acontecido.

     

     

    Na última quinta-feira (10), fez uma entrevista exclusiva com Lacerda, que foi publicada na edição de ontem. Durante a entrevista, Mercadante ligou para Lacerda. A reportagem acompanhou a conversa e, pelas respostas do prefeito, não identificou nada que sugerisse o pedido do ministro de apoio político contra o impeachment em troca de verbas. Lacerda disse ao ministro o que já havia afirmado minutos antes durante a entrevista: que era contra o pedido de impeachment da presidente.

     

  2. Sem noção!

    Imprudência e ingenuidade TOTAL!

    Na atual conjuntura onde há gasolina espalhada por todo lado, como um tolo o mercadante torna-se faísca!

    Milhões de Brasileiros pobres podem ser afetados!

    Que ele tenha juizo, que não teve e AGORA SE AFASTE DO GOVERNO!

  3. “falta de tato”?
    Esse nível

    “falta de tato”?

    Esse nível de cumplicidade com companheiro trapação é inaceitável. Ele colocou em risco o governo. Sempre foi o número de 1 de Dilma 1. 

    Se tivesse o mínimo de noção pediria logo demissão. Ele é só problema para o governo daqui pra frente. Se permante, reforça a ideia de que agiu com o consentimento de Dilma.

     

     

  4. Não nutro nenhuma admiração

    Não nutro nenhuma admiração por Mercadante. Sua atuação política está muito aquém do que esperamos de um quadro importante do governo. Porém, é sempre necessário buscar a verdade e evitar as famosas manipulações da grande mídia. Para isto, é importante nos informarmos em várias fontes (estou certo de que todos aqui já estão carecas de saber disto). Vai aí uma importante matéria sobre o assunto do momento:

    http://www.ocafezinho.com/2016/03/16/mercadante-divulga-trechos-omitidos-por-veja/

  5. Essa gravação, feita por

    Essa gravação, feita por terceiro, não tem valor jurídico algum.

    Só mesmo o uso político e o alarde da mídia golpista. 

    Além do mais, na própria gravação está a defesa de Mercadante. Ele diz textualmente que não quer interferir.

    ofereceu apoio jurídico e político ao Delcídio. Qual o crime?

    O resto é blá blá blá.

  6. Vai, vai mesmo
    Nassif: concordo que não se pode tratar o ministro Mercadante como um delinquente, como, já comprovado, o senador delator, que até plano de fuga traçou.
    Mas que ele pisou na jaca, isto é verdade. Se foi displicente e ingênuo, que pague o pato. É política.
    O recado para ele vem do cancioneiro popular, através de Nora Ney (1958), que é a voz momentânea da Presidenta Dilma
    https://youtu.be/0lmuOVtfWOI
    Ouça é dê sua opinião!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Sair da versão mobile