Flávio Dino propõe Pacto Nacional pelo Emprego ao governo Bolsonaro

Dino entende que, com a pandemia e o crescente desemprego no País, é preciso que o presidente da República se reúna com governadores, empresários e sindicalistas para uma busca conjunta por soluções.

Brasília - Governador do Maranhão, Flavio Dino, fala com a imprensa após reunião com a presidenta Dilma, no Palácio do Planalto (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Jornal GGN – Flávio Dino, governador do Maranhão, enviou ofício ao presidente Jair Bolsonaro propondo a criação de um Pacto Nacional pelo Emprego, a ser lançado ‘em caráter de urgência’. Dino entende que, com a pandemia e o crescente desemprego no País, é preciso que o presidente da República se reúna com governadores, empresários e sindicalistas para uma busca conjunta por soluções.

Dino foi motivado pela confirmação do crescimento previsto para as taxas de desocupação, anunciada, inclusive, pelo secretário de Política Econômica do governo Bolsonaro.

O cenário pede uma ação rápida e Dino enviou a Bolsonaro o pedido de uma reunião, liderada por ele., com os governadores e os presidentes das confederações empresariais e centrais sindicais, para a construção de ‘’Pacto Nacional pelo Emprego”, ‘com medidas emergenciais de geração de emprego e renda’. Na carta, Dino aponta para a necessidade de propostas para proteção dos pequenos e microempresários, bem como um plano de obras públicas.

Leia abaixo a íntegra da proposta de Flávio Dino:

Excelentíssimo Senhor Presidente da República,

A pandemia causada pelo novo coronavírus impôs aos governantes desafios de ordem humanitária, sanitária e econômica sem precedentes.

No Brasil, o último boletim Focus divulgado pelo Banco Central aponta uma estimativa de retração do PIB de 5,95% em 2020, a maior queda de nossa história.

O desemprego no país subiu para 12,9%, indicando o fechamento de milhões de postos de trabalho com relação ao trimestre anterior, segundo dados divulgados pelo IBGE no último dia 30 de junho. O mesmo instituto aponta que mais de 700 mil empresas fecharam as portas até a primeira quinzena de junho.

Conforme entrevista publicada hoje, o Sr. Secretário de Política Econômica do Ministério da Economia antecipa que haverá crescimento da taxa de desemprego no 2º semestre.

Penso que precisamos planejar com urgência medidas para evitar o cenário projetado pela citada autoridade federal.

Considerando este cenário desafiador, gostaria de sugerir uma reunião liderada por V. Exa. com os governadores e os presidentes das confederações empresariais e centrais sindicais para que possamos construir um “Pacto Nacional Pelo Emprego”, com medidas emergenciais de geração de emprego e renda.

Neste encontro, também seria de extrema importância a apresentação de propostas para proteção dos pequenos e microempresários, assim como um plano de obras públicas, indispensável para recolocar o país no rumo do crescimento.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

5 comentários

  1. Bozó pacto é genocida, irresponsável, perseguidor das esquerdas,descumpridor da CF/88, indigno não merece confiança muito menos respeito das ESQUERDAS deve ser afastado e colocado na cadeia.

  2. Admiro Dino e sua missão de desintoxicar o Maranhão, terra natal de meu pai, daquela praga que foi quase meio século de clã Sarney – não é pouca coisa conseguir deixar como legado um dos mais pobres estados do Brasil mesmo contando com vantagens climáticas e geográficas incríveis. Mas ele mostrou um bom senso que não é possível com Bolsonaro, que logo tratou de lhe contra atacar.É como achar que o Fernandinho Beira-Mar vai se arrepender do que fez e tornar-se padre. E no mesmo instante, DEM E MDB espertamente ficam com a estratégia um pé no governo Bolsonaro e outro numa chapa para tentar derrotá-lo em 2022, provavelmente com Dória. A esquerda precisa urgentemente ter uma visão realista da situação e parar de gastar energia com coisas que não darão em nada – como sugestão de pacto, Corte de Haia, cassação da chapa Bolsonaro-Moro,etc. Bolsonaro só não completa o governo se duas coisas acontecerem ao mesmo tempo = aprovação de 15 por cento pra baixo e desembarque do Centrão. Sem isso, esquece.

  3. O presidente tentou , foi na porta errada (STF) mas tentou…
    Flávio Dino quer ficar de líder da esquerda mas acho que não rola.
    Pacto não gera emprego , existe algum precedente histórico disto ?
    O Tio Patinhas era um pato que gerava emprego , pagava mal todavia.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome