Governo do Maranhão multa Bolsonaro por promover aglomeração

A multa pode ser de R$ 2 mil até R$ 1,5 milhão e o presidente tem 15 dias para apresentar sua defesa

Imagem: Reprodução

da Revista Fórum

por Ivan Longo

O governo do Maranhão, comandado por Flávio Dino (PCdoB), vai autuar o presidente Jair Bolsonaro por ter promovido aglomerações durante sua passagem pelo estado nesta sexta-feira (21), segundo informa a equipe de comunicação do governo maranhense.

Decreto estadual prevê pagamento de multa para quem desrespeitar as medidas restritivas adotadas para conter o avanço do coronavírus. Sem máscara, Bolsonaro se aglomerou com apoiadores em mais de uma cidade justamente no dia em que foram identificados casos da cepa indiana do coronavírus no estado, considerada extremamente agressiva.

Durante os atos com os apoiadores, além de desrespeitar as medidas restritivas, o presidente atacou Flávio Dino, o comparando com o líder da Coreia do Norte, Kim Jon-un.

Dino respondeu dizendo que não tem tempo “para molecagens”, e o presidente do diretório do PCdoB no Maranhão, deputado federal licenciado Márcio Jerry, anunciou que vai acionar a Justiça Eleitoral contra Bolsonaro por campanha eleitoral antecipada.

“Bolsonaro fez hoje (21), em Açailândia, nova propaganda eleitoral negativa antecipada. Usando dinheiro público, o que é absolutamente ilegal. Farei em nome do PCdoB do Maranhão representação contra ele à Procuradoria Regional Eleitoral”, disse Jerry.

O auto de infração que o governo do Maranhão aplicará contra Bolsonaro por promover aglomeração está sendo redigido na noite desta sexta. Trata-se da primeira atitude do tipo tomada por uma mandatário estadual contra os passeios do presidente em meio à pandemia.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome