Home Política Internacional A construção do muro europeu

A construção do muro europeu

0

Do Brasil de Fato

Muro europeu vai começar pela Grécia

Internacional

Governo grego anunciou que vai construir um muro na fronteira com a Turquia para evitar a entrada de “imigrantes ilegais” 

17/01/2011 Esquerda.net 

O governo grego anunciou que vai construir um muro com cerca de 13 quilômetros de extensão e três metros de altura na fronteira com a Turquia para evitar a entrada de “imigrantes ilegais”. As posições da União Europeia são ambíguas sobre este assunto.

Atenas diz que a cooperação com Estados-membros da União Europeia “vai bem” nesta matéria e a Turquia já manifestou o seu incômodo. O modelo copiado pelas autoridades gregas é o muro entre a Califórnia e o México.

OmurO muro de Berlim caiu há mais de 20 anos, mas a metodologia não morreu e tem sido cada vez mais adotada no mundo. Ao muro da Coreia, ao muro que Marrocos impõe ao Sara Ocidental, ao muro Estados Unidos-México, ao muro da Cisjordânia, ao muro que Israel constrói na fronteira com o Egito, ao muro erguido entre o Paquistão e o Afeganistão virá a juntar-se agora o muro grego na fronteira com a Turquia. Será o segundo a separar zonas de influência dos dois países, contando com o que existe em Chipre.

A chamada “Fortaleza Europa” vai começar a ter forma física na zona fronteiriça de Orestidada, segundo as autoridades gregas. De acordo com dados de Atenas e da agência europeia Frontex, cerca de 200 imigrantes “ilegais” entram diariamente na Grécia por aquele ponto de passagem, apesar da presença de tropas no terreno. “É uma realidade dura e temos uma obrigação para com os cidadãos gregos de lidar com ela”, declarou o ministro grego da tutela, Christos Papoutsis, ao apresentar o projeto.

Diz a agência Frontex que nove em cada dez estrangeiros entram na Europa através da fronteira entre a Turquia e a Grécia e que 75% desse movimento se regista na zona de Orestidada ao longo de cerca de 13 quilômetros.

A maioria dos “imigrantes ilegais”, ainda segundo as mesmas fontes, são originários de países como o Afeganistão, o Paquistão, a Somália, alguns do Oriente Médio, como o Iraque, e do Norte de África, na sua maioria regiões onde as guerras conduzidas pelos Estados Unidos e a OTAN, com envolvimento da União Europeia, não resolveram e têm agravado os problemas sociais, humanitários e políticos.

Ao mesmo tempo existe algum paralelismo entre as situações grega e californiana para lá dos muros: ambas se caracterizam por elevadas dívidas públicas, mais grave do lado norte-americano.

Bruxelas mantém um silêncio quase absoluto sobre a estratégia fortificadora grega. Apenas Michele Cercone, porta-voz da comissária Cecilia Malstrom, comentou que “vedações e muros já provaram no passado que são medidas de curto prazo” pelo que é “importante que as fronteiras sejam geridas de modo a desencorajar e interromper o tráfico”.

A esta declaração de aceitação do muro, desde que “a curto prazo”, junta-se a declaração grega segundo a qual a cooperação com Estados-membros no âmbito da solução encontrada “vai bem”.

A oposição grega de esquerda considera desde já a medida “desumana e ineficaz”.

Oficialmente, a Turquia afirma que necessita de ter mais informação, mas que sendo o problema de âmbito internacional deverá ter uma abordagem internacional. Um autarca turco da região fronteiriça afirmou que o muro não resolverá o problema porque há outros meios de passagem, como por exemplo o rio Evros – de barco no inverno e a pé no verão.

Um diplomata europeu citado pelo jornal britânico Daily Telegraph transportou, entretanto, o problema da fortificação europeia para outros terrenos de debate que estão à tona. “É fácil imaginar como uma estrutura permanente sinalizará o campo anti-turco ou dará a impressão de uma fortaleza cristã europeia para manter os islâmicos do lado de fora”, disse. O mesmo diplomata, citado em condição de anonimato por estar em funções oficiais, acrescentou que “construir muros não ajuda neste tempo em que o importante é construir pontes”. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Sair da versão mobile