As extravagâncias da família Kadafi

Do Estadão

WikiLeaks revela extravagâncias da família Kadafi

Telegramas americanos comentam gastos e disputas dos filhos do líder líbio, além das excentricidades do ditador

24 de fevereiro de 2011 | 0h 00 – O Estado de S.Paulo

WASHINGTON

Após o ano-novo de 2009, a mídia ocidental noticiou que Saif al-Islam Kadafi, um dos filhos do líder líbio, Muamar Kadafi, havia pago US$ 1 milhão a Mariah Carey para ela cantar apenas quatro músicas numa festa na Ilha de St. Barts no Caribe.

No jornal que controlava, Saif negou com indignação a notícia – o grande gastador, disse ele, era seu irmão, Muatassim, consultor de Segurança Nacional da Líbia, segundo um telegrama diplomático americano enviado de Trípoli. Segundo o telegrama, foi também Muatassim que pediu em 2008 US$ 1,2 bilhão do presidente da corporação nacional de petróleo da Líbia para criar sua própria milícia. Isso lhe permitiria equiparar-se a outro irmão, Khamis, comandante de um grupo de forças especiais que “efetivamente serve como unidade de proteção do regime”. No momento em que o clã Kadafi conduz uma luta sangrenta para permanecer no poder na Líbia, os telegramas obtidos pelo WikiLeaks oferecem um relato vívido dos gastos perdulários, do nepotismo galopante e das rivalidades ásperas.

Os vislumbres das palhaçadas do clã nos últimos anos que chegaram aos líbios, apesar do rígido controle da mídia por Kadafi, contribuíram para a ira pública que está extravasando agora. E as tensões entre filhos emergiram como um fator no caos desse país rico em petróleo.

Embora os telegramas descrevam os filhos de Kadafi disputando posições diante do envelhecimento de seu pai, eles foram muito bem tratados. “Todos os filhos e favoritos de Kadafi supostamente recebem rendimentos contínuos da Companhia Nacional de Petróleo e de subsidiárias de serviços petrolíferos”, diz um telegrama de 2006.

Um ano atrás, um despacho reportou que a proliferação de escândalos provocara uma vertiginosa queda do clã e “fornecera a observadores locais sujeira suficiente para uma novela”.

Muatassim havia repetido a farra de ano-novo de St. Barts, desta vez contratando os cantores Usher e Beyoncé. Outro irmão, Hannibal, por sua vez, tinha voado para Londres após ser acusado de abusar fisicamente de sua mulher, Aline, e após a intervenção de uma filha de Kadafi, Ayesha, que viajou a Londres apesar de estar “grávida de muitos meses”, informou o telegrama. Ayesha, acompanhada da segunda mulher de Kadafi, Safiya, mãe de seis dos oito filhos dele, “aconselhou Aline a dizer à polícia que havia se ferido num “acidente”, e não mencionar nada sobre abuso”, segundo o despacho.

http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110224/not_imp683797,0.php

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora