Os escândalos de Sarkozy e a Internet

Caro Nassif,

Há alguns dias um escândalo sem precedentes vem abalando o governo Sarkozy na França. A acusação mais recente é de que o presidente teria recebido envelopes de dinheiro “meio-formato” (o que, evidentemente, já é motivo de piada) da bilionária Liliane Bettencourt, dona da L’Oreal e de uma das maiores fortunas da França. O arranjo se parece com o nosso velho conhecido caixa 2 de campanha, retribuído por um corte de impostos que teria beneficiado a empresa em mais de 30 milhões de euros. O próprio ministro do trabalho de Sarkozy, Eric Woerth (envolvido atualmente na reforma da previdência),  teria recebido 150 mil euros alguns dias antes da campanha eleitoral.

Alors, como a maior parte das acusações parte de uma ex-contadora da família Bettencourt, até aqui anônima, e de um site internet, o Mediapart, os partidos políticos de apoio ao governo, com a ajuda dos canais oficiais – que ontem convocaram para os debates noturnos só defensores de Sarkozy, como um dos jornalistas principais do Figaro – vêm dizendo que tudo se trata de “coisas da internet” e de campanhas de difamação orquestradas no twitter e nas redes sociais, enfim, desmerecendo-as como se faz aqui. De todo modo, num período bastante conturbado da economia européia, acho importante acompanharmos a confusão.

Segue o link das denúncias:

http://www.mediapart.fr/

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora