Lula é a opção A, B e C para o PT, afirma Gleisi Hoffmann

Jornal GGN – A senadora pelo PT Gleisi Hoffmann concedeu entrevista a Luis Nassif, no GGN, abordando os tantos e importantes temas atuais. Ela analisa o PT, antes e durante a Lava Jato, sua importância na construção de um Brasil e os ataques que sofre com a tentativa de riscá-lo do mapa. Analisa os caminhos possíveis e desejáveis para o PT, e a opção Lula para 2018.

Gleisi diz da máxima criada pelos grupos majoritários de influência no Senado, que usaram o famoso “basta tirar a Dilma que o resto volta ao normal”, que foi tão propalado e tão negado nos resultados do governo Temer. A base formada para tirar Dilma vendeu isso para a sociedade, bem como a questão de que o vice tinha mais experiência política e daria muito mais vez e voz ao Congresso. A expectativa com isso era grande e foi por terra: a economia não melhorou e é ela que faz o ânimo da sociedade, a política centrada só no Congresso sem a sociedade começa a fazer água, e isso começa a ter influência na opinião pública, fazendo com que a sociedade seja mais crítica.

Segundo ela, não podemos nos esquecer que em 2018 temos eleições e os congressistas ouvem suas bases. Temer não será candidato, mas os congressistas tentarão se manter no cargo, há este termômetro. Nesta situação está Renan e outros que apoiaram a deposição de Dilma e agora estão vendo que a coisa não está tão boa. Temer não foi detectado tão fraco como está se saindo pois antes fazia a política do parlamento, conversar com deputados, troca de favores, e ele levou este estilo para a presidência da República. O projeto de Nação que estas pessoas que tomaram o poder estão levando para o Brasil hoje é essa, desmontar a previdência, cortar recursos, desmontar a Petrobras, desmontar conteúdo nacional, eles não tem sequer uma política estruturada de direita, são somente serviçais do capital financeiro.

A Lei do Abuso teve uma discussão muito positiva dentro do Senado. Primeiro que foi simbolicamente importante aprovar a lei de Abuso de Autoridade, que não vai afetar só o Judiciário, mas sim a todos, inclusive os congressistas. Ninguém quer viver com abuso de autoridade. Era um projeto de lei que estava no Senado desde 2009 e o Senado Requião foi muito eficiente na condução do debate, foi de uma forma muito boa, foi ouvida toda a sociedade, e inclusive o Moro participou, e o projeto final ficou muito bem equilibrado.

A questão da Lava Jato não é um tema que perturba tanto quanto no início. As pessoas já perceberam que é preciso mudar, não com a criminalização da política  mas com a mudança do que está errado no sistema político. O que conta é a democracia, ela é que precisa ser preservada. O próprio Congresso já se movimenta contra esse tipo de ação da Lava Jato, de colocar tudo para a mídia, misturar tudo. Então há uma reação melhor a este projeto.

Para Gleisi o PSDB acabou, esfacelou. E relata a inoperância deste partido dentro do próprio Senado e na Câmara. O que fazia e o que tem hoje de denúncias travando seus representantes.

Fala também da delação do Pallocci e os riscos que ele mesmo está correndo, pois que estão negociando com ele. Ela teme que façam com ele o que fizeram com Léo da OAS e Marcelo Odebrecht, ou seja, só aceitam se falar o que eles querem.

Quanto ao Supremo Tribunal Federal, apesar de tudo, ainda é o único recurso que se tem contra tanto desmando. Mesmo se politizando, querendo assumir um papel que não é dele, com ministros que dão suas sentenças com base na política e na opinião pública do que na Constituição, ainda é o último recurso.

Fala muito da mídia e sua atuação em toda esta situação, seja antes ou depois da Lava Jato, sempre ciente do que acontecia mas que fez o jogo de cena, manipulando a informação para atingir Lula e o PT.

Veja a seguir a entrevista na íntegra.

https://www.youtube.com/watch?v=GiWYe6Gq1xU&feature=youtu.be width:700 height:394

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

5 comentários

  1. Gostei da Entrevista

    Gostei da Entrevista !

    Poderia ter mais tempo de entrevista com a Gleise que é muito articulada e simpática. Fala muito bem. 

    Achei interessante a percepção da necessidade do PT puxar a frente de esquerda, mas faltou um pouquinho de autocritica, principalmente quanto ao distanciamento do partido com relação aos movimentos sociais. Realmente tiveram diversas conferências, mas na hora da tomada de decisão, quem ganhou a disputa foram as igrejas evangélicas, os latifundiários, entre outros. 

    Desejo demais que o PT faça a autocritica e que esse seja realmente um momento de mudança positiva do partido. Ela seria uma ótima presidente para o PT. 

  2. Presidenta do PT…ptuzzzz….

    Não é um discurso e posição que se espera da liderança de um Partido como o PT!….Horrível!…Não somos filinhos de papai!….

  3. Sem dúvida alguma

     

    Plagiando o grande e inesquecível, Millôr Fernandes, “Livre pensar é só pensar”, vamos imaginar que diante do monstruoso equívoco do povo a reboque da turma de preto (informação) e da irresponsável grande mídia “livre”, acabou dando toda força para o sujo golpe contra a Presidente Dilma/PT, mulher honesta, nacionalista e humana, eleita pelo povo.  Apesar dessa estranha escolha do povo, Deus, compadecido pelo desespero que vai se alastrando por todo o Brasil decorrente do proposital desmantelamento da vibrante economia Dilma/PT de pleno emprego e muita confiança, interna e externa – sem ver saída para o Brasil sob o controle dos golpistas –  Deus resolvesse rebobinar o tempo, dando nova chance para o povo escolher. Diante de tamanho inusitado, com toda a certeza desse mundo (e do outro) que o povo jamais embarcaria em semelhante golpe. Alguma dúvida?  

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome