Militares se apresentam a Dilma

Acho bom que a Dilma coloque o Jobim no lugar que até seria melhor que não estivesse. 

Do Estadão.com.br

Sem Jobim, Dilma cobra lealdade de militares

AE – Agência Estado

Em recado para a área militar, a presidente eleita, Dilma Rousseff, escanteou o ministro da Defesa, Nelson Jobim, do processo de confirmação nos cargos dos atuais comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica. Dilma recebeu ontem, na Granja do Torto, separadamente, o general Enzo Peri, o almirante Júlio Soares de Moura Neto e o brigadeiro Juniti Saito, quando cobrou “lealdade” a ela, que é comandante-suprema das Forças Armadas. A presidente foi aconselhada e decidiu manter Jobim no Ministério por entender que a pasta está bem conduzida, em meio a um processo de consolidação da área da Defesa.

OencO encontro com os três comandantes, nos moldes que ocorreu, foi sugerido pelo ex-ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos Mangabeira Unger, que teve muito contato com os militares durante a elaboração da Estratégia Nacional de Defesa. Dilma acatou, inclusive, a sugestão de que a conversa fosse separada e a sós, sem a presença de Jobim, a quem os comandantes estão subordinados, para que ela pudesse pedir a lealdade de conduta a ela e não ao ministro. Jobim havia sugerido sua presença no encontro, mas não foi atendido. Foi avisado de que outra reunião entre ele, a presidente e os três comandantes seria marcada para breve.

Dilma, que já conhecia os três comandantes – com os quais debateu problemas de cada um em sua passagem pela Casa Civil -, manterá todos os três nos respectivos cargos. Em nenhum dos encontros se tratou de direitos humanos ou da criação da chamada “Comissão da Verdade” – mas com todos os três foi debatida a atuação das Forças Armadas no Rio de Janeiro.

Ela assegurou que a presença das tropas no Estado será uma coisa episódica, como prevê a legislação, e não por tempo indeterminado, como desejava o governador Sérgio Cabral. Avisou, ainda, que não haverá participação das Forças Armadas em novas ações nos morros do Rio. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. 

Por Cesar Ferreira

A mídia é mestre em manipular e não existe prova melhor do que o efeito desse texto nos comentários que vejo aqui…

Notem, o Estadão coloca palavras na boca da Dilma (“escanteou”, “cobrou lealdade”) e todo mundo assume inconscientemente como sendo esse o pensamento e objetivo da Dilma em relação ao Jobim.

Pelo visto não será surpresa quando o pessoal mais radical a esquerda começar a chamar o Lula de “molusco” como fazem os comentaristas imbecis no Estadão porque já fazem comentários do tipo “Não entendo porque o Lula apóia o Jobim”. Pois é, não entendem! Mas tem certeza absoluta que o Jobim é péssimo!

O cara está fazendo uma excelente política que defende explicitamente a não dependência de tecnologia estrangeira, inclusive contrariando interesses americanos? Sim, ele está.

Mas e daí, na nossa “cabeça” (feita) o Jobim é um traidor que toma cafezinho com os americanos. Assim, “fora Johnbim”… Ele tem que sair e a Dilma colocar um cara super afinado com a esquerda. Se esse novo ministro vai produzir resultados objetivos como o Jobim tem conseguido pouco importa, o que importa é a posição ideológica!

… E os interesses americanos (que pesam o resultado objetivo e não a “cordialidade” do Jobim) agradecem!!!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome