Lançada no Rio a Rede de Comunicadores pela Reforma Agrária

no Viva Favela

no cmi brasil

 

A Associação Brasileira de Imprensa foi palco, na noite desta quarta-feira (30/6), do encontro de lançamento da Rede de Comunicadores pela Reforma Agrária no Rio de Janeiro. No auditório do sétimo andar, quase todas as cadeiras estavam ocupadas. Os presentes assistiam ao debate com a coordenadora do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Marina dos Santos, e o jornalista Paulo Henrique Amorim, que mantém o blog Conversa Afiada (www.conversaafiada.com.br).

 

Marina explicou que existem dois projetos em disputa no campo hoje, o da agricultura camponesa e o do agronegócio, este último defendido pelos grandes meios de comunicação. A coordenadora do MST enumerou uma série de consequências nefastas do modelo do agronegócio, como a concentração de terras, o uso de agrotóxicos e sementes transgênicas e o êxodo rural, promovido em grande parte pela modernização do trabalho no campo.

 

“Existem hoje 4,8 milhões de famílias sem-terra, segundo o IBGE. A maioria dessas famílias é fruto do êxodo, desse modelo”, disse Marina. Ela lembrou ainda que o êxodo rural é responsável por muitos problemas sociais. É o caso, por exemplo, dos enormes contingentes populacionais vivendo em favelas, com péssimas condições de moradia e muitas vezes sem saneamento básico.

 

Marina ressaltou ainda a importância da criação da Rede de Comunicadores pela Reforma Agrária e dos blogs que ajudam a “desconstruir as notícias mentirosas contra o MST”, lembrando que em todas as CPIs criadas pelos defensores do agronegócio foram utilizadas matérias da Veja e do Estadão para criminalizar o MST.

 

Na trincheira do cyberespaço

Paulo Henrique Amorim expôs em sua fala a importância da internet como espaço democrático de comunicação e contra-informação. Ele citou o trabalho de diversos jornalistas que mantém hoje blogs de qualidade, como Luis Nassif (www.advivo.com.br/luisnassif), Rodrigo Vianna (www.rodrigovianna.com.br), Eduardo Guimarães (http://eduardoguimaraes.com.br), Luis Carlos Azenha (www.viomundo.com.br) e o político Brizola Neto (www.tijolaco.com).

 

O jornalista lembrou também o caso do blog Fatos e Dados (www.petrobras.com.br/fatosedados), da Petrobras, criado para desmentir as reportagens de O Globo, nas quais se basearam a abertura de uma CPI contra a empresa. “O melhor desinfetante é o sol. Temos que trabalhar para abrir janelas. Nosso trabalho é tirar o MST do gueto e colocá-lo no centro da discussão democrática”, disse.

 

PHA foi enfático em sua crítica à grande mídia, a qual chamou de “PIG” (Partido da Imprensa Golpista). Segundo ele, o PIG está em estado terminal e sua única função hoje é criar crises: “A batalha da informação não vai ser travada no PIG, na Globo. Nosso trabalho, repito, é abrir janelas. Precisamos lutar pela implantação maciça do Plano Nacional de Banda Larga”.

 

A rede

Após o debate, o assessor de comunicação do MST, Igor Felippe Santos, explicou que a rede de comunicadores nasceu depois da CPI criada contra o movimento, por iniciativa de jornalistas indignados com as informações publicadas na grande imprensa. A rede foi fundada em uma reunião no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo e agora está se expandindo para os demais estados.

 

Igor explicou que a rede mantém um blog, mas que este não deve ser o foco dos comunicadores. O foco, segundo ele, deve ser levar as informações que circulam na rede aos veículos onde cada um dos jornalistas membros trabalham. O endereço do blog éwww.reformaagraria.blog.br.

 

Acesse também o site da campanha nacional pelo limite da propriedade de terra:www.limitedaterra.org.br

 

 


Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora