Nilson Lage: ou uma “força oculta” se levanta contra o golpe, ou o Brasil vai ser dividido

Por Nilson Lage*

No Facebook

O Brasil se encaminha para a etapa final de um processo que acompanho e prevejo há anos.
Só a idade provecta, a desimportância pessoal e a mídia restrita que uso permitiram que expusesse minha certeza que, por certa, se confirma – assim mesmo porque me recuso a discutir com os apaixonados, os crentes e os convictos, que fazem dos desejos esperança e contam que alguém os realize.

Só um tarado formalista ou um bacharel brasileiro poderiam aceitar que o que ocorre tem algo remotamente parecido com democracia.

O legal não é legítimo: por meios institucionais, essa gente jamais devolverá o poder.
Ao contrário de 1964, quando o golpe foi dado contra o trabalhismo e no contexto da guerra fria, esse objetiva desmontar o Brasil – e o fará.

Quem se opuser será desacreditado, desmoralizado, combatido como criminoso, condenado por crimes quer os tenha ou não cometido, ou terá morte suspeita – provavelmente em desastre de avião, que é o mais fácil.

Radicalizaram.

O dragão da maldade comanda o Judiciário, o Legislativo, o Executivo, a mídia, as igrejas, armou um exército policial paralelo – uma espécie de SS frente a Wehrmacht. A dissidência será contida em guetos, sob pressão social, e se condenará a validar, pela existência, a iniquidade.

Ou uma improvável força oculta (nem poderia, obviamente expor-se) ergue-se com a força dos terremotos por sobre a desinformação da massa e o engano dos letrados – terá que buscar no povo forças para revolver o lixo o e enfrentar águias, hienas e urubus que cercam a carniça – ou .podemos cogitar do fracionamento do país em estados menores que (dou, como exemplo, guardadas nítidas diferenças, a Iugoslávia) poderiam, talvez, viver sob menor pressão e enfrentar com eficácia os problemas sociais que infernizam – e infernizarão cada vez mais – a nossa vida.

*Nilson Lage é professor titular da UFSC

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

44 comentários

  1. Não é de se duvidar. A dança

    Não é de se duvidar. A dança macabra das “elites” , no compasso dos norte-americanos, pode resultar na consolidação de um totalitarismo modelo século XXI, moldado pela juristocracia e midiocracia ou pelo esfacelamento da república, menos provável.  No atual estágio, a democracia é um paciente em coma induzido.  

  2. Guerra fratricida, será o nosso destino .

    Dos que estão nos poderes, poucos são os salafrários que ainda não perceberam este trágico destino dos brasileiros .

  3. É, estamos colocando

    É, estamos colocando esperanças nas tais “forças ocultas”, porque no mundo real tá tudo dominado. Tem horas que me passam umas coisas pela cabeça e acabo cantarolando Vinicius:

    “Aos sábados em casa tomo um porre
    E sonho soluções fenomenais
    Mas quando o sono vem e a noite morre
    O dia conta histórias sempre iguais”

    Começo mesmo é a me exergar na pele do protagonista do filme Brazil, quando tem aqueles delírios no final, ou da personagem de Bjork, em Dançando no escuro, que também fica sonhando que tudo vai acabar bem.

  4. “ou .podemos cogitar do

    “ou .podemos cogitar do fracionamento do país em estados menores que…”

    Nem uma coisa nem outra. Voltaremos in totum a 1890; sem Floriano, Hermes e com muito mais encilhamento. Não interessa ao Império administrar dois ou um monte de estados menores se um único estado faz isso e mantém os outros sob pressão numa aparência de unidade.

    E a tal da força oculta? A mesma que tem comandado desde o desastre de D. Sebastião, quando ainda éramos Portugal, claro.

  5. Força oculta

    Pelo acompanhamento dos escritos do professor Nilson Lage pelo Facebook, principalmente nos últimos dias, depreende-se que por “força oculta” (aspeadas pela editoria do GGN) entenda-se aqueles três rapazes vestidos de verde-oliva, azul e branco. Segundo o professor, já estaria havendo uma dissensão quanto a uma possível intervenção. A falta de solução, de horizonte para o fim da crise/agonia seriam as causas dessa dissensão, que certamente se agravaram depois desta semana de vexame internacional do Brasil. Porém, penso que seria uma versão 2017, mais ou menos do tipo em que os três rapazes teriam um colóquio com o ilegítmo, na base do ou dá ou desce (renúncia). Um empurrõzinho, digamos. A julgar pelas declarações do rapaz de verde-oliva na comissão do Senado, impensável os três rapazes convocando uma rede nacional para comunicar a troca da guarda, seria feito tudo do modo mais “institucional” possível. 

  6. Ou seja, quase 200 anos

    Ou seja, quase 200 anos depois, a fragmentação da américa espanhola se repetirá na ‘américa portuguesa’. E do jeito que não há líderes com capacidade pra juntar um país fraturado, o caminho vai ser cada oligarquia política já garantir o seu estado e vida que segue. E do jeito que a elite dividiu o povo de cima a baixo, não será difícil cada estado culpar o outro por seus problemas e assim conseguir, internamente, apoio para se separar do país. Bem, pra evitar isso precisaríamos de Lincoln…então não há como evitar. Talvez a discussão seja se será uma divisão pacífica ou sangrenta, guerra civil. 

  7. A porteira está aberta…

    Qualquer um…

    Não precisa mais ser a CIA…

    Qualquer pais sul-americano, asiático – qualquer país do mundo, empresas e investidores com interesses no Brasil – (A friboi foi UMA DAS empresas que investiram no golpe! E olha que até então não haviam antecedentes da friboi e agora, as empresa mundialmente famosas em  arrebentar paises? Basta especular a moeda e bye bye…) com ferramentas da internet – que plantar asneiras na rede, divide o país!

    Não precisa ser uma superpotência!

    Num país em que o Jornal nacional, Veja, folha e estadão são levados a sério, corre um alto risco de ser golpeado pela internet!

    Tem gente que acredita que o Friboi é do filho do LULA!

    Olhem para as figuras nos “poderes” da república quer julgando, quer criando normas e taxas, absolvendo colegas –  fariam parte tranquilamente de qualquer filme de terror e filme tipo B!

    Qual a diferença entre gilmar dantas e frankenstein, quem seria o drácula?

    E as pessoas honestas estão ai tentando seguir as leis, lutando contra um bando fora da lei, que USA a lei a bel prazer…

  8. O professor fez uma narrativa

    O professor fez uma narrativa em duas partes. Uma é valida, há um movimento destrutivo das instituições partindo das corporações juridicas descontroladas.  É um fato verdadeiro. Essas corporações não tem um projeto de Pais, tem apenas vontade de destuir.. Por outro lado, uma guerra fraticida  é uma hipotese muito remota. O Brasil já passou por crises muito maiores que a atual. A crise do tenentismo de 1922 a 1930, que resultou no bombardeamento de São Paulo em 1924, na Coluna Prestes de 19124 a 1926, na Revolução de 1930, a crise que levou à Revoluçção paulista de 1932, a sucessão de eventos entre a Intentona comunista de 1935  ao autogolpe do Estado Novo em 1937,  crises infnitamente mais profundas que a de hoje e o Pais não se fracionou, o Estado brasileiro é SOLIDO, forjado pelo Imperio, não há risco algum de fracionamento no horizonte, há apenas crises complexas, como as da morte de Getulio, as das conspirtações de 1955, com tres Presidentes em dois meses, a crise de 1961 a 1964, que resultou no Governo militar.

    Em nenhuma delas se cogitou de fracionamento do Pais e foram crises muito maiores que as de hoje.

    O Brasil é muito maior que essas crises naturais da politica, a de hoje é coisa pequena no conjunto da Historia do Brasil.

    • Acho a “possibilidade” cada

      Acho a “possibilidade” cada vez maior…e em nada me tranquiliza ouvir todo dia “AS INSTITUIÇÕES ESTÃO FUNCIONANDO”. Não, não estão…elas EXISTEM, MAS NÃO FUNCIONAM. 

    • Peço vênia ao Araújo

      Não me chamou a atenção essa parte, a “guerra fratricida”, porque já a tenho introjetada, vejo todos os dias, não me causou estranheza nenhuma, tenho exemplos de sobra ao meu redor, na família, principalmente. Já temos dois blocos sólidos no país, irreconciliáveis, que vão perdurar por gerações. Lembremos um comentário antigo do professor Renato Janine, no Facebook, de 14.01.2016: “Um amigo me conta do Chile, anos 70. Antes e sobretudo depois do golpe, as famílias racharam. Irmãos pararam de conversar, de se ver, de desejar feliz natal ou aniversário. Isso continuou pelas gerações seguintes. Primos irmãos nem se conhecem, em terceiro grau nem sabem que existem. Triste. Dava um romance, poderia ser de Isabel Allende ou Garcia Márquez.”  

      O que me chamou a atenção mesmo foi a evidência, cada vez mais real, de uma solução “não institucional” para a crise/agonia, ainda que disfarçada de institucional. 

    • Espaço, tempo e interesses diferentes

      Depois de 15 anos em que a esquerda progressista dividiu o pais em grupos já passo acreditar na possibilidade de esfacelamento sim. Não é possivel comparar o Brasil de 1964 com o de hoje, muito menos de 1922!

      Dividir para conquistar!

      Conquistar ‘o que’ é a pergunta!

      Estamos em 2017, onde é possivel ouvir uma conversa do espaço e usa-la como combustivel de qualquer crise passivel de ser criada, sem contar as redes sociais que deram acesso as cavalgaduras!

      As informações que estão sendo sopradas para nosso ‘incrivel’ judiciário ‘parecem’ vir das nuvens, sempre direcionadas a um grupo especifico e sempre na hora exata para escolhidos – uma crise eterna que claramente parece estar sendo alimentada de fora, como tantas ‘primaveras’ que ocorrem nos últimos tempos mundo afora!

      As manchetes na imprensa podre invariavelmente aparecem no condicional…parece, talvez, aparente e imediatamente viram verdade!

      O STF é de ‘xorar’!

      O único que avisou varias vezes sobre o estado policialesco foi Gilmar Mendes e foi solenemente ignorado – deu no que deu – bem feito!

      O executivo eleito em 2014 foi uma mistura de inaptidão com incompetencia nunca antes vista nesse pais, infelizmente, com meu voto!

      Sem falar na roubalheira!

      Aécio era a solução? Não!

      Então não tinha e ainda não tem uma saida decente!

       

    • Não pagaria para ver…

      Compartilharia de mesma opinião antes dos eventos das “Primaveras árabes”!

      Durante os governos do PT, foi incentivado pela a oposição da época para a antipatia, a fobia a coisas que nem existem mais de forma tão vivas ai pelo mundo a fora!

      O medo do PT fazer uma revolução comunista, por exemplo – e isso vem de dentro de muitas seitas religiosas – ou seja, são idéias que se ancoram na psique, no mundo “profundo”, no inconsciente – juntando medo + crença + ignorancia!

      E outras coisas que não existiam antes da internet…

      A virulência – incentivada e com total liberdade – que surgiu nos sites da globo, folha, estadão e veja ganhou vida própria e deu origem a vários grupos no mundo real – ganhou status de coisa normal e de verdade cultural e foi usada ao extremo na campanha eleitoral de 2014, pregando a destruição do PT – e creio que hoje nem a própria globo, estadão, folha e veja têm como controlar!

      Veja o numero de compartilhamento de certa idéias, é absurdo!

      A forma de se indignar do PT com a violência que sofreu, foi passiva, foi pacífica…

      Não serão todos os grupos que vierem a sofrer o que o PT sofreu que terão a mesma reação!

      Aprendi que isso acontece em simples partidas de futebol – isso não acontecia desta forma no passado!

      Nem duas torcidas podem dividir o mesmo estádio e avançam para cima da polícia!

      Julgo mais prudente não pagar para ver!

      Há coisas que quando começam, não temos condições de prever seu fim – essa é uma delas – há muito em jogo e vários são os interesses internos e externos!

      Se houver uma decisão que antecipe, melhor para o país!

  9. Que engraçada esta coisa

    Que engraçada esta coisa toda… Um paradoxo, eu diria. Então o influente professor universitário profetiza, com algum atraso, a mesma previsão feita por ninguém mais que o mais improvável dos analistas políticos que a sociologia poderia corroborar: o médium Chico Xavier.

    Pois, não é que ele foi o primeiro a prever (Deus sabe de onde tirou isto) que o Brasil seria dividido num futuro próximo? No entanto, isto se daria em função das demandas geradas pela III Grande Guerra (prevista para antes de 2019) e o consequente desequilíbrio ambiental que impossibilitaria a vida no Hemisfério Norte. Seríamos divididos em territórios de influência estrangeira, recebendo como contrapartida as peças de um processo civilizatório que não adquirimos por nossos próprios meios. Isto ocorreria em todo o Hemisfério Sul, logicamente. África e Austrália também seriam ocupadas por ondas migratórias fugitivas do caos ambiental. Não estaríamos incólumes às catástrofes, embora estas ocorram em menor intensidade abaixo do Equador. Quem há de salvar a humanidade, segundo o médium, é a própria mãe Natureza, que daria um basta com a fúria despertada pela devastação nuclear. 

    Contudo, a mensagem final é de otimismo: apesar da invasão bélica, o povo brasileiro se mostraria amplamente solidário às pessoas que por aqui chegassem. Seria esta nossa contribuição civilizatória: o acolhimento (tal como fora demonstrado na Copa). Nossa elite – e aí sou eu que suponho – é que ficaria às traças. Afinal de contas, como conviver com um lixo destes e manter a paz? Avessa às regras, teriam de se curvar à nova ordem. Em troca, nosso povo teria amplo apoio dos verdadeiramente atingidos pela guerra: refugiados e desesperados.

    Nilson Lage menciona uma “força oculta”. Segundo Chico Xaveir ela existe. E virá de fora. Oremos…

  10. Tragédia anunciada para o nordeste

    Concordo com o professor. Os políticos corruptos tenderão a fortalecer suas presenças com seus clãs familiares exatamente nos seus estados de origens, daí a tendencia em tentarem separar os estados. Para essa gente é muito mais fácil desta maneira manterem seu domínio. O nordeste será fortemente atingido por essa onda. Imaginem no caso de Pernambuco, Alagoas  por exemplo a tragédia que seria para seus habitantes caso isso vir a se concretizar. Sabemos bem o que significaria a tragédia de uma região que já sofre e numa separação sofreria mais ainda atingidos pelas famílias que já conhecemos. Catastrófico, eles acabariam a região como gafanhotos.

    • Penso nos nordestinos estados de São Paulo e Paraná…

      Sim, por suposto, penso também em como se dará a vida nos estados nordestinos do Paraná e São Paulo, com governos feitos gafanhotos faz tempo, todos frutos de conchavos com os verdadeiros donos do PODER REAL !!!

      Penso também no atraso de estados como Santa Catarina , Mato Grosso, Mato Grosso do Sul , com suas elites rurais cavernosas e escravocratas nos moldes da Georgia, quando devidamente separadas do Brasil , que alenta terão suas populações engolfadas em falaciosas “verdades” ?

      E nosso pobre estado nordestino do Rio Grande ( refiro-me ao pampeiro ), aquele que deseja ser um País mas sequer tem recursos para quitar sua folha de pagamentos , que será dessa população meu Deus ? Onde estais que não respondes ???

      Camarada, vives em que século que não percebes que os coronéis mudaram mas a dominação é a mesma ??? De norte a sul do globo, ressalve-se.

       

       

       

    • Penso nos nordestinos estados de São Paulo e Paraná…

      Sim, por suposto, penso também em como se dará a vida nos estados nordestinos do Paraná e São Paulo, com governos feitos gafanhotos faz tempo, todos frutos de conchavos com os verdadeiros donos do PODER REAL !!!

      Penso também no atraso de estados como Santa Catarina , Mato Grosso, Mato Grosso do Sul , com suas elites rurais cavernosas e escravocratas nos moldes da Georgia, quando devidamente separadas do Brasil , que alenta terão suas populações engolfadas em falaciosas “verdades” ?

      E nosso pobre estado nordestino do Rio Grande ( refiro-me ao pampeiro ), aquele que deseja ser um País mas sequer tem recursos para quitar sua folha de pagamentos , que será dessa população meu Deus ? Onde estais que não respondes ???

      Camarada, vives em que século que não percebes que os coronéis mudaram mas a dominação é a mesma ??? De norte a sul do globo, ressalve-se.

       

       

       

  11. CADEIA PARA OS JUIZES BLINDADORES E SEUS BLINDADOS ANTI PETISTAS

    Professor, não tem mais como levantarmo-nos contra o golpe! O golpe já foi dado professo!Foi finalizado em abril de 2016 professor! Oi!Acorda professor!!!! O senhor tem alguem prá denunciar, professor? Ou o senhor só deu uma acordadinha prá cuspir? Para de embaçar professor!! Cria vergonha na cara e fala os nomes seu golpista vigarista anti petista doente mental!

     

  12. A crise é ética.
    O que impede alguém jogar uma criança pela janela? O que impediu de jogarem Isabella Nardoni pela janela? Nada, nem lei, nem punição. A única coisa que poderia impedir seria a ética da pessoa, a sua reflexão íntima sobre o certo e o errado.

    O poder está fraguimentado, hoje temos grupos criminosos sem responsabilidade nenhuma com o país costurando-se de qualquer jeito para fugir de investigações.

    A força oculta deveria ser a ética do ser público na função pública que ocupa, sim, no elementar entendimento socrático.

    Exercer a função pública de forma irrepreensível sempre ao interesse amplo comum do povo. Simples, falta apenas a ação ética na hora certa pelo agente público na função acertada ao interesse comum.

    Se não temos esse perfil de reflexão individual íntima nos agentes públicos brasileiros e que ocupam altos cargos com altos salários, então nada, nem estados independentes, nem a federação dará algum resultado, seremos sempre um paizeco com uma nefasta, mesquinha, antiética e atrasada elite que corrompe culturalmente as instituições enquanto apenas enriquece locupletando-se do erário e protegendo desvios. (de ricos)

    Hoje, a comunicação nos ajuda no esclarecimento dessa realidade de classes brasileiras, há resistência e nota-se um aumento no discernimento.

    Há também um arrependimento no voto e apoio político. Não só aqui no Brasil, mas no Reino Unido o Brexit agora é visto como erro e arrependimento por parte do eleitorado. Aqui essas reformas já não descem, o impeachment mostrou-se golpe e eles admitem através do instituto Millenium que tais reformas estão ameaçadas com as eleições.

    Há sinais que tal discernimento favorece a tendência à esquerda. Jeremy Corbin no Reino Unido e a aparição da Cristina Kirchner com relevante aceitação do discurso nos dá sinais positivos da penetração das idéias progressistas e defesa dos direitos, isso de forma geral.

    O que golpistas anti-voto não entenderam ainda é que a ameaça às reformas deles na verdade é a conscientização popular em seu direito pleno em escolher seus interesses e pautas governamentais, participando cada vez mais na construção do país, portanto, não tem volta, não tem como empurrar goela abaixo uma pauta que não é aceita e jamais venceu eleições. Sem diálogo e transparência nada será aprovado e mantido, as reformas jamais poderão trazer a paz assim.

    Esta é uma força que cresce, a conscientização popular. Sim, ocorre, cresce e não é bem oculta; a outra, repito: Ética.

    Ou o brasileiro tem cultura ética ou não tem. Ou é uma nação responsável, ou não é. Ou mostra-se ao mundo como país sério, ou então ficará renegado a própria idéia de civilidade.

    O golpe foi costurado às pressas por bandidos, gângsters com provas dos crimes! Isso é descarado e envergonha o país. Inimaginável em qualquer país minimamente responsável com a aparência e decoro à comunidade Internacional.

    Então? Cadê os juízes desta nação?

    Temos?

    E políticos de verdade?

    E militares?

    Ninguém pediu este governo do ilegítimo Temer, a não ser os envergonhados impeachmeiros e os canalhas manipuladores corruptos.

  13. o fim da republica federativa do Brasil

    Marcha para Jesus apenas em São Paulo 2017 : 3 milhões de pessoas. Passeata LGBT apenas em São Paulo 2017 : 3 milhões de pessoas.  Movimentos contra as reformas trabalhistas e da previdencia e pela preservação dos direitos : 1 milhão de pessoas em TODO O BRASIL.  Os valores que unem as pessoas deste país não são os da cidadania ou que forjam uma soberania nacional. Não temos e nunca tivemos uma nação . Um povo e um território de riquezas facilmente manipulaveis que na tocada atual deverá se desintegrar e ser anexado por povos e culturas superiores nos próximos 50 anos. 

    • Povos e culturas

      Povos e culturas superiores?

      De outro planeta? De outra galáxia?

      Na terra, conseguiram a midiotização geral, planetária.

      Nem sei se algum país escapou por inteiro desse vírus ou se apenas existe em cada canto alguns poucos pensantes. O que tb temos por aqui.

  14. Na mosca.
    É o que venho

    Na mosca.

    É o que venho dizendo há tempos, temidamente…

    Já fiz até piada com isso, descrevendo os nomes das regiões fracionadas.

    Pode até demorar, mas infelizmente não vejo outro destino para o Brasil…

  15. O primeiro passo seria

    O primeiro passo seria quebrar umas tres ou quatro empresas de comunicação que tanto fazem mal ao país,

     

    mas quem teria coragem???

  16. Não creio em coragem….

    Tudo é possível sim, mas uma guerra fratricida precisaria de armas, estas no teatro atual estão com as FFAA e com os grupamentos policialescos, contudo estes últimos só demonstram valentia e hombridade para lutar quando o oponente é o POVO desarmado.

    Assim, até nesse ponto sou cético, dada a covardia inerente a raça pátria.

     

  17. À falta de ideias, sugestões

    À falta de ideias, sugestões ou mesmo só argumentos para dissecar e projetar a conjuntura, a tática é apelar para a escatologia, 

    Dias desses foi o eminente professor Fornazieri e suas invectivas acerca do (mau) caráter do nosso povo e o seu destino inexorável: a lata de lixo da História. Na mesma toada apocalípitica vem agora o professor e jornalista Nilson Lage prevendo até uma possível secessão do país por conta da crise e seus desdobramentos.

    Receio que o próximo artigo/ensaio o Brasil varonil seja apontado como o lócus do Armagedon bíblico. 

    Tremei Nostradamus!

    PS: para contrapor, “assino” o comentário do André Araújo feito logo abaixo. Passamos por crises muitos maiores, num país com economia agrária, com níveis africanos nos indicadores sociais e num mundo bi-polar em termos ideológicos. 

    O que nos falta é só vergonha na cara e vontade de enfrentar os óbices sem puxar brasa para as respectivas sardinhas. 

    Incluir nas discussões palavras hoje malditas como “consenso”, “pacto”, “convergência” e similares. Enquanto persistir esse entricheiramento os portadores das trombetas alertando sobre o fim do Mundo terão vez.

    • Guerra de secessão é muuito

      Guerra de secessão é muuito improvável, quase impossível, mas uma guerra fratricidade não se pode descartar .

      Pelo que percebo, a grande mídia aflorou uma disparidade ideológica na sociedade quase intransponível .

  18. O que precisamos realmente…

    … é que a esquerda no Brasil volte a ser realmente COMBATIVA como nas décadas de 160/70 e não os “republicanos” de hoje que beijam a mão da Globo e seus congêneres.

    Sem banho de sangue, nada mudará.

    Cansei de tanta inércia e discurso vazio.

    Agora é GUERRA.

  19. Quando  encontro um texto

    Quando  encontro um texto fundamental, cruel e corajoso como este, ainda assinado por Nilson Lage, um dos mais importantes jornalistas de sua geração, costumo ler os comentarios.

    Eles ajudam a refletir sobre a profundidade do que foi dito.

    E quando as afirmações tocam em verdades doloridas,  provocam reações.

    Nilson foi taxado de louco a imbecil, por revelar algo muito serio e que corre forte chance de se tornar realidade.

    Alias, aconteceu na Iugulslavia, em plena Europa, porque não numa America Latina, tratada como quintal.

    Alguns argumentam  que o “Brasil ja passou por crises maiores”.

    A marcha por Deus e pela Propriedade, em 64, teve alguns milhares de pessoas, a nossa atual “Primavera na Paulista”,  um milhão.

    Alem disso, não e´ apenas o Brasil que se encontra numa sinuca de bico, mas todo o planeta, vivendo ao mesmo tempo o fim de  ciclos politicos, economicos, ambientais, energeticos, tecnologicos.

    Para o grande imperio um gigante como o Brasil, com enorme potencial de mercado, de fontes de energia, riquezas naturais representa sempre um risco de, ao se libertar, se tornar um novo concorrente, como aconteceu com a China.

    Dividir seria a melhor solução para os dominantes, alias, sempre foi.

    Em São Paulo, muitos do milhão que foram a Paulista pregam abertamente a saida do estado da federação.

    No sul, essa ideia de fragmentação tambem entusiasma muita gente.

    E pelo sentimento de repulsa, mostrado em diversos comentarios, que o texto do Nilson Lage causou, vemos que, no fundo, todos temem a possibilidade dessa catastrofe ocorrer.

     

  20. Realista, coisa nenhuma!

    Realista, coisa nenhuma! Derrotista, mesmo! Além de desconhecedor da realidade do país, principalmente porque essa não é uma questão apenas do Brasil. No mundo ocidental cristão, essa é a realidade de praticamente todos os países. A classe dominante (no nosso caso, a chamada elite, a casa grande e seus sócios do exterior, estes que têm a parte do leão), com a alta classe média (juízes, militares, pequenos comerciantes industriais e agricultores), todos treinados e preparados pelos países dominantes, dando apoio e pondo para funcionar o Estado. No apoio e divulgando diretrizes (o pensamento único e o neoliberalismo), as empresas de mídia. Agrava no caso brasileiro, que na prática é uma república unitária, nada federativa, onde os estados ditos federados, individualmente pouco apitam. Ninguém tem força individual suficiente (até as polícias são controladas unitariamente), seja econômica, seja política para dar um passo separatista, mesmo os estados mais fortes. Não esquecer que temos Forças Armadas bem preparadas, existentes para garantir o sistema. Até uma guerra fraticida não é fácil de eclodir. Abaixo dessa superestrutura, onde se encontram a estrutura política para no seu interesse legitimar as ações de exploração, o povão alienado e sem direitos, praticamente sem caminhos para ascender socialmente, cuja ação política resume-se em votar, cujo voto sofre manipulação dos donos do poder, mas nem sempre exitosa, porque fala mais alto o sentimento de sobrevivência, cujas técnicas nosso povo é mestre, já que sobrevive a salários escorchantes, carga tributária regressiva e falta de direitos de toda ordem. A luta fraticida já está na rua, e espraiada no país todo, na luta do povo pela sobrevivência, cujos canais disponíveis se dão em ações de roubo, crimes e assassinatos, vitimando basicamente o próprio povão. E a classe média mais pobre, que vive próxima. Isso não muda no voto, nem mesmo com reza braba.  A solução está em aberto, para o bem e para o mal.

  21. Venho falando isto e dizem que estou doido
    O Brasil está acabando como nação. Isto é tema para livros, o processo de destruição de uma nação, executado primordialmente por sua mídia. Hoje são plausíveis idéias como a perda da Amazônia, a separação do sul, do nordeste, etc. Difícil e imaginar que força oculta seria essa, a única força que vejo hoje para deter isto é LULA.

  22. Quem seriam os “bórnios”, “sérvios” e “croatas” brasileiros?

    O professor citou a Iugoslávia como possível futuro do Brasil diante da crise que se arrasta por anos a fio,enfatizando apenas a semelhança quanto ao fracionamento do país em estados menores. No entanto, a ressalva parou por aí, o que me permitiu entender que poderia haver uma guerra civil, como aconteceu na Iugoslávia.

    No entanto, caso a guerra civil supostamente prevista no texto se confirme, fiquei me perguntando quem no Brasil faria o papel reservado a bósnios, sérvios e croatas, protagonistas da guerra civil que dilacerou a Iugoslávia, que foi palco de genocídio e/ou limpeza étnica, com isso acontecendo num cenário muito anterior às propaladas intervenções estrangeiras “silenciosas” ou “ocultas” que se costuma acusar existirem por trás da crise brasileira.

    A comparação com a Iugoslávia foi, de fato, feita ressalvando-se as diferenças, enfatizando apenas a questão da separação do país em estados menores, considerada no texto como algo que facilitaria a administração dos problemas locais, o que deu a entender que não seria algo tão “ruim” assim, isso na visão do próprio Nillson Lage.

    Apontar uma possível separação não torna o caso brasileiro nem de longe semelhante com o caso iugoslavo. A comparação é evidentemente improcedente. O Brasil é mais unificado em termos identitários do que um dia foi a Iugoslávia. Não é porque um país pode ser fragmentado, “separado”em pequenas outras regiões autônomas e/ou independentes, que o caso se assemelha com o da Iugoslávia dos anos 90.

    Até mesmo porque, ser possível uma separação deriva do fato de existir um país formatado de determinada forma enquanto unidade autônoma administrativa. Em outras palavras, qualquer país do mundo PODE se separar, sem que possa ser comparado com a Iugoslávia.

     

     

    • Comparação sdruxula e sem

      Comparação sdruxula e sem nexo historico. A Iugoslavia nasceu da desintegração do Imperio Austro Hungaro, um pais artificial montado pela junção de oito povos COMPLETAMENTE diferentes em lingua, cultura, historia e religião. Não tem a mais remota semelhança com o Brasil e jamais poderia ser usada como contraponto do Brasil, que tem 500 anos de Historia una, com uma

      so linha de governo, lingua,  cultura , povo e religião. Exemplo mais disparaado não poderia ser escolhido.

      • Povos diferentes e muito ricos

        Uma só linha de governo, língua, cultura, povo e religião? A língua é uma junção na marra de vários dialetos da língua portuguesa. Cultura então, praticamente em cada Estado temos uma, basta ver que os próprios nordestinos odeiam quando são rotulados unicamente, como um baiano não gosta quando rotulam de capixaba ou cearense. Povo, somos várias regiões com colonizações diferentes onde em cada região prevalece uma rica cultura e bem diversa uma da outra que gerou ritmos. Religião, temos um Estado Nacional que não é laico, uma vez que unificar a católica perante a outras religiões importantes como os protestantes, as religiões e africanas, sem falar das riquíssimas religiões indígenas que cada região ou Estado possui uma.

  23. O conceituado cientista Moniz
    O conceituado cientista Moniz Bandeira vem apontando esse risco de fragmentaçao do nosso pais e pra que isso ocorra basta que as “forças ocultas” mas não tão ocultas assim, que financiaram o golpe e no momento decidem nosso destino, optem pela divisão do territorio como parte da divisao do butim

    https://www.google.com.br/amp/s/leonardoboff.wordpress.com/2016/10/29/o-estado-brasileiro-parece-desintegrar-se-moniz-bandeira/amp/

  24. Eu nao pagaria pra ver, de jeito nenhum.

    Concordo totalmente com voce, Marcos Antonio, e com o Nilson Lage, claro. Nos ultimos meses essa possibilidade do Brasil perder sua unidade e integridade, inclusive territorial, tem passado pela minha cabeca com uma frequencia desconfortavel. Um medo de que isto aconteca com o Brasil, se nao tivermos a entrada em cena de uma “forca oculta” benigna que possa evitar o pior.O povo esta’  muito apatico, muito indiferente, ou perdido.

    Pelo radicalismo e a hiper-atividade da gang de politicos, juizes, procuradores, policiais federais – e com o patrocinio, sustentacao “moral” e parceria indispensavel de banqueiros, empresarios, agronegocistas, cartel midiatico e seus aliados/padrinhos Americanos – contra Lula, Dilma e PT, contra a justica e a democracia, contra o ordenamento juridico, contra os interesses nacionais, podemos perceber claramente que a agenda dos caras e’ a destruicao do estado nacional brasileiro.

    Sabemos que o capitalismo neoliberal, neste momento do processo de acumulacao capitalista, tem como meta estrategica a destruicao dos estados nacionais, e criacao de instancias de poder supranacional, ligadas diretamente aos poderes financeiros e corporativos americanos, e ao establishment estatal/imperial de Washington; claro, com o auxilio indispensavel das oligarquias locais, como sempre aconteceu nos tempos do velho colonialismo.

    Assalto ao estado e destruicao do ordenamento juridico da nacao: realizado.

    Destruicao da dimensao social do estado, construida ao longo dos ultimos 70 anos, e de sua capacidade de inducao do processo civilizatorio nacional, entregado ao deus “mercado” sem muita intermediacao: em processo avancado.

    Entrega do patrimonio nacional ao capital internacional; pre-sal, petrobras e toda a cadeia produtiva do petroleo, eletrobras e toda a infra-estrutura energetica, recursos minerais da Amazonia, aquifero Guarani, venda ilimitada de terras a estrangeiros: em processo.

    Entrega do que resta do controle sobre a Vale e a Embraer para acionista privados/; gradual abandono do SUS e privatizacao gradual da educacao e saude para empresas de educacao e planos de saude particulares; privatizacao do Banco do Brasil, da Caixa Economica, e dos correios: em fase de gradual implementacao.

    Destruicao da engenharia nacional de ponta e sua capacidade tecnologica, pela destruicao das empreiteiras; destruicao do programa nuclear da marinha: realizado.

    Destruicao da capacidade de gerar conhecimento cientifico independente, atraves da pesquisa e criacao de uma elite cientifica brasileira: em processo avancado de implementacao.

    Destruicao da autoestima nacional, da cultura, de simbolos nacionais (Petrobras, Eletrobras, programas socias vitoriosos dos ultimos 14 anos, CLT, seguridade social) e da propria visao de Brasil como pais independente, viavel: em processo avancado de implementacao.

    Depois disso, com o controle monopolistico da informacao/desinformacao/propaganda, parte-se para a destruicao do que restar da identidade nacional, que gera coesao e a visao de um destino comum. Parte-se para a destruicao, no imaginario coletivo, das conquistas e dos avancos da Senzala nos ultimos 70 anos. Reafirma-se a cultura da Casa Grande, da supremacia cultural de Miami para a classe dominante e seus servidores mais bem remunerados.

    Ideario de Hayek e Ayn Rand – a utopia neoliberal – a caminho de se estabelecer com muita forca no Brasil, se nada acontecer para impedir este magno retrocesso civilizacional, que nada mais e’ que o triunfo do egoismo, do individualismo e do darwinismo social, da barbarie, enfim.

    O povo esta’ completamente prostrado, emocionalmente exangue, o que so’ faz encorajar mais ainda, e aumentar a audacia daqueles que acreditam religiosamente que a ganancia, o “instinto animal do empresariado”, e o egoismo desenfreado, constitui a forca motriz “do processo de evolucao,” e da selecao natural “dos melhores”, da estirpe superior.

    Dai’ para um redesenho do territorio, e do seu controle politico, de acordo com os interesses e as conveniencias da nova parceria colonial Casa Grande/Washington/Wall Street/City de Londres, e’ um passo muito pequeno.

    Finalmente, nao nos esquecamos que Zbigniew Brzezinski, um dos principais geoestrategistas formuladores da politica neocon americana para a Eurasia e contra a Russia, escreveu que a este precisa ser dividido em tres estados distintos, para facilitar o controle sobre aquele povo e a aquela imensa reserva de territorio. A relutancia de Putin em se render aos designios de Washington e’ a razao pela qual ele sofre uma campanha de demonizacao tao virulenta e destrutiva no plano internacional quanto Lula dentro do Brasil.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome