O bom boi de piranhas do golpismo, por Ion de Andrade

Por Ion de Andrade

Ou o Xadrez do golpe paraguaio revelado

Venho advogando a inviabilidade política da direita golpear o poder numa fase em que a contração econômica e a crise fiscal a obrigariam, consoante o modelo do Estado mínimo e do neoliberalismo, a medidas que inviabilizariam qualquer candidatura tucana nas eleições municipais e presidenciais agendadas para 2016 e 2018. Uma vitória de Pirro, conforme Jungmann.

Confesso que não gosto de errar e a determinação com que os deputados golpistas conduzem o andor do golpismo me obriga a considerar o meu erro de análise. Estribuchando e ainda considerando o bom senso, atribuí às forças externas, que têm construído o caos no mundo, em toda parte, o comando estratégico sobre essa direita brasileira, prestes e cometer a burrice fatal de pular do cadafalso..

Da mesma forma noutros artigos explorei a hipótese de que os golpistas estariam usando apenas um estratagema de chantagem para obrigar o governo a seguir o programa derrotado nas urnas e a aplicar as políticas de juros altos e privatizações tão caras aos rentistas e ao capital estrangeiro. Isso teria a vantagem de que o ônus recairia integralmente sobre o PT. Mas as movimentações não são chantagem não, eles querem golpear mesmo. Estranho contexto.

Então se fiam em quê, se não podem construir o arrocho, como na ditadura, por debaixo do coturno? Se fiam em quê, se não têm força suficiente para varrer do mapa o Estado de direito?

Fugiria a lógica, e seria um ato de loucos (que não são), se não houvesse outra variável até aqui imperceptível para mim: há um boi de piranhas nessa travessia. O nome desse boi é Michel Temer.

Noutras palavras, a direita realmente não quer assumir o ônus das políticas de arrocho e privatizações que estão na sua agenda, mas são fatais no plano eleitoral.

A tentativa golpista, no entanto é verdadeira, contrariando a minha leitura anterior, que enxergava a sua inviabilidade, pelo fato de que ninguém, com o mínimo bom senso, poderia querer herdar o espólio do Brasil de 2015/2016 de medo de naufragar nas eleições municipais e federais vindouras.

Bingo. O golpe da direita é bem construído e pretende matar dois coelhos com uma cajadada só.

Matam o PT pelo impeachment e o PMDB pelo governo golpista, de arrocho e de privatizações.

Convertem um futuro governo Michel Temer em refém, emprestando a maioria no legislativo desde que a política econômica venha a ser a do arrocho e a das privatizações cujo ônus alcançaria apenas e tão somente o velho e bom PMDB do Michel.

Derrubam o PT e levam o PMDB de brinde. Golpeiam mas não assumem. Sangram Michel Temer e o lançam ao rio de piranhas. De quebra um governo golpista com Michel Temer à frente inviabilizaria por longo tempo a aliança das duas maiores legendas nacional desenvolvimentistas saídas das lutas contra a ditadura. Sem o PMDB, o PT perderia totalmente a capacidade futura de governar e sem o PT o PMDB, eventualmente alçado à presidência, estaria convertido a um eterno refém das forças reacionárias e entreguistas com as quais não somente não tem identidade histórica como está rompido localmente em cada município brasileiro. Xeque mate.

Levam uma boiada numerosa, mas o boi de piranhas é o único que não sabe que vivo não chegará ao destino.

No PSDB já há quem esteja tocando o berrante. Outros amolam a faca, sim, pois o boi de piranhas já sairá castrado de suas ambições eleitorais.

Eis o xadrez do golpe paraguaio revelado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

15 comentários

  1. Pirro
    Sabe-se que Pirro, rei de Epiro, depois de tremendo esforço na guerra contra os romanos, ganhou a batalha de Heracléia, mas perdeu tantos
    soldados que teria dito: minha vitória foi minha derrota.

  2. Bom dia!
    É evidente que o

    Bom dia!

    É evidente que o PMDB não é bobo de confar na oposição. Mas o materialismo vulgar insiste em enxergar somente, somente as determinações econômicas (por isso todo o campo da esquerda se meteu nessa enclacrada). Ora, depois do golpe, com o poder nas mãos, basta meio ano de campanha atriibuindo tudo ao bode expiatório e pronto, todos chegam em 2018 sem PT pra atrapalhar.

    A questão é que o PMDB não confia na oposição e na imprensa. Quem garante que um dia depois do golpe eles não vão rifar um por um, Cunha, Renan e Temer?

    Os demais achacadores do Congresso? Ora,”suguem, suguem o que puderem depois venham pro nosso lado!”

  3. Se fiam em quê, se não têm

    Se fiam em quê, se não têm força suficiente para varrer do mapa o Estado de direito?

    O articulista reconhece que eles querem a privatização. Quem quer as privatizações são os políticos? ou o mercado que manda nos políticos?

    O que está em jogo não são os políticos, Estado de direito, ou quem vai governar, porque eles são apenas o joguete. O mercado é Anarquista e detesta o Estado.

    O que interessa é a confusão e o caos que os destrói para o mercado especulativo conseguir o objetivo final: as privatizações.

     

  4. Por isso Michel não vai entrar nessa

    Ótimo texto Ion. 

    É por estas que minha opnião é que Michel não apoia o golpe e suas insinuações são o ápice que suas trapalhadas podem chegar. Ele nunca tombou pra lado algum. Sua arte absoluta é ser totalmente neutro e passar sua história politica inteira totalmente ileso. Conheci um pouco destas figuras do PMDB um pouco mais de perto em tempos idos. 

  5. Será que os golpistas vão

    Será que os golpistas vão transformar Michel Temer no novo Quércia decadente do PMDB? Será que o Temer quer esse ocaso na sua vida  e biografia política? Ah… Coitado!!

  6. Falta uma peça nesse

    Falta uma peça nesse tabuleiro. Porque Temer se submeteria a isso? Estamos no primeiro ano do mandato. Se ele assumir ano que vem, por exemplo, ou até antes, dado a pressa dos golpistas, serão mais três anos de crise e arrocho. Vamos dizer que no primeiro ano tudo estará na conta da Dilma e PT. Mas partir de 2017 o povo vai cobrar é do Temer. 

    O PT não acaba, só parte dele. O que vai acontecer é que a militância que é numerosa a maior do Brasil, vai puxar o partido para a esquerda. O Bode Levy sai da sala. E forma-se uma aliança de esquerda reconcilaindo o PT com o PSol. A direita terá muito mais parlmentares, mas a esquerda terá os movimentos sociais organizados com cada vez mais apoio popular conforme o arrocho se agrave.

    Os partidos de esquerda unidos, como foi no segundo turno, mais a CUT, MST, MTST, UNE e etc e etc tornarão o mandato do Temer um inferno. Vejo greve geral, invasões e etc. Não poderá mais ser o conciliador, terá que ser o “repressor”.

    Porque então Temer aceitaria ser boi de piranha dos tucanos? Não acho que seja a vaidade de ver-se no espelho com a faicha presidencial. Ela é mais maduro que isso. Creio que a resposta está na Lava a Jato. E a primeira medida do “presidente” Temer seria mudar o ministro da Justiça. Fernando Baiano, que assinou delação, vem aí.  

    • Admiro su fé!

      Esquerda unida? Esquece. O PSOL tem muita mágoa do PT. Mas o ponto central é: o caminha passa pelo PMDB, seja para “cair” ou para continuar. A ver.

  7. Em matemática é fácil

    Em matemática é fácil conferir um cálculo.É só fazer a prova dos nove.

    Em política é complicado.

    Tenho uma dúvida.

    Alguém sabe explicar como o PMDB esta no poder ou bem próximo dele desde 1985?

    Ingenuidade sei que não é.

  8. Não há golpe sem povo!

    Eu sigo a experiência do PHA e a sua percepção de que NÃO HÁ GOLPE SEM POVO.

    Eduardo Cunha, Renan, Aécio, Serra, Aloísio, Carlos Sampaio, Bolsonaro, Caiado, etc. não possuem envergadura moral para aplicar golpe nenhum como sabiamente diz o PHA.

    O PSDB não quer Golpe nenhum. Ele nunca teve coragem de assumir nada de frente. Quer enfraquecer o Governo, defender a bandeira dos seus patrocinadores sonhando que do caos renasce das cinzas, como a Fênix.

    Agora, existiu, isto sim! Uma falta de maturidade política no grupo vencedor nas eleições de 2014. Ele se silenciou pós-vitória e acreditou que, com o Congresso Conservador, o ajuste Levy seria de mais fácil aceitação pelos congressistas e não uma plataforma econômica mais à esquerda. Não contava com a postura antidemocrática da oposição via Cunha e PSDB nem que os “caras” perdessem qualquer comprometimento com a Democracia.

    A direita política não aceitou o resultado das eleições, fato concreto. Quatro derrotas e a possibilidade de LULA concorrer em 2018 e termos um quinto mandato do PT.

    Essa oposição maluca fez de tudo para dar uma freada nesta possibilidade de LULA de novo.

    Criou a emenda que impede a reeleição, foi votar na Câmara a continuidade do financiamento privado de campanha e até apresentou esses dias a incoerente PEC, da filha do Roberto Jeferson do PTB colocando que um político que já foi do Executivo seja no plano Federal, Estadual e Municipal não pode se recandidatar em períodos alternados ao mesmo cargo, só podendo haver uma reeleição subsequente. O que não casa, se eu não posso ser reeleito não posso mais ter outro mandato se a PEC fosse aprovada.

    Afora a proibição da Presidenta Dilma de escolher os próximos Ministros do Supremo com suas aposentadorias atrasadas em cinco anos. Até as capas raivosas contra LULA na Época.

    Todos são passos no sentido, não do Impitman, mas de não perderem a capacidade de vencer pleitos, inclusive para Presidente (a) e se possível sem concorrer contra LULA. Imagina Lula X PSDB cara a cara? Os tucanos tremem!

    O que se quer é enfraquecer o PT para 2018. O PT, certamente, sabe que é interessante até, apoiar um candidato de outro partido, penso eu, com apoio de LULA. 

    Com a vitória principal destes últimos anos, a inconstitucionalidade do financiamento privado de campanhas se pode prever um reequilíbrio de forças no próximo Congresso Nacional. O papel da militância de esquerda vai ser decisivo no pleito. PSDB e PMDB não tem a militância voluntária do PT. Não vão chegar às periferias e disputar corpo a corpo o voto da maioria do eleitorado, difícil um tucano pegar ônibus, quanto mais ir ao Capão Redondo ou no Itaim Paulista. Façamos um Congresso mais progressista e elejamos outro partido para Governar o Brasil.

    O candidato da centro-esquerda está dado, pelo que vejo nestes dias: Ciro Gomes, com apoio de LULA. Ele já se transferiu para a legenda correta, o PDT, legenda estruturada em todo País. E já se colocou como comissão de frente da defesa do mandato de Dilma e da legalidade!

    PSDB com três candidatos para uma vaga e PMDB querendo voo solo vão dividir o horário eleitoral em três grandes grupos: Ciro do PDT, PSDB e suas brigas internas – hoje, já deram um empurrãozinho no Aécio via mídia paulista, quem vai concorrer? Aécio, Serra ou Alckmin. O PMDB não vai querer se juntar ao Ciro, ele já ouviu poucas e boas do Ciro e nem ao PSDB que só quer, como sempre, encabeçar a chapa e só pensa em si mesmo. 

    Vimos um novo fato neste jogo de xadrez, o PMDB se mantém no apoio à Dilma, vitória do veto do Fator Previdenciário é um sinal de mudanças no quadro político no Congresso Nacional.

    Aos poucos a Economia se recupera e seguimos em frente. O Brasil não aguenta mais este clima de briga política interminável. Eduardo Cunha está um passo do cadafalso. E anda muito feio este negócio de só querer acusar e punir o PT. A população chegou a um ponto que já desconfia dessas coisas.

    É incerto o apoio de um Golpe feito sem respaldo popular. Batedor de panela não vai pras ruas defender os golpistas. O PSDB como diz o Ciro Gomes é um bando de frouxos. Não vai se colocar a frente de golpe nenhum. Como sempre quer ficar na espreita e depois do caos, posar de “Salvador da Pátria”. O Michel Temer e o PMDB não vão embarcar numa canoa furada dessas. Se o PSDB quer o Golpe faça! Só que como sempre ele fica no meio do caminho, esbraveja, fala demais e na hora H pula para trás.

    Alguém acredita que o povão vai ficar calado vendo a sua situação econômica piorar, vendo um governante cortar todos os direitos sociais que ele adquiriu, vendo os direitos trabalhistas que possui sendo retirados?

    Quem experimentou nutella não vai querer jiló!

    Quem fizer isto não sobrevive um dia no Poder. Ai, sim! Faz-se uma revolução e não é isto que o PSDB sonha. PSDB que só faz o que faz porque tem a mídia ao seu lado.

    O PSDB está no tempo de FHC para trás, não evoluiu um centímetro sequer. Não consegue enxergar que a engrenagem roda e que a involução social não mais é possível no Brasil.

    A Presidenta Dilma fica até 2018 e vai melhorar seus índices de aprovação, aos poucos, como disse, novamente, me reportando ao PHA, não com a mesma força do seu primeiro mandato.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome