O complexo de vira-lata venceu?, por Arnobio Rocha

Enviado por Henrique O

Do blog de Arnobio Rocha

O Complexo de Vira-lata Venceu?

“O Brasil vacila entre o pessimismo mais obtuso e a esperança mais frenética.” ( O complexo de vira-latas –  Nelson Rodrigues).

Estamos assistindo uma onda de péssimo que ameaça virar um tsunami do mal. O que observamos é que as pessoas se deixaram impressionar com tanta facilidade, que o desespero e o apelo de fim de tudo expressos, por exemplo, no #acabamundo ou #vemmeteoro, virou um mantra, uma saída fácil, repetidos não apenas como piada, ironia, mas como um desejo. Bem, não vou julgar os que assim pensam ou que foram “sequestrados” pela onda de horror, mas é óbvio que isso tem reflexo direto no comportamento social e político de todos nós.

A tática do “mar de lamas” tão bem usada no passado voltou com força total e venceu. Até as pessoas mais equilibradas se deixaram contaminar por esse vale tudo. Incrível como virou comum o uso do viralatismo, daquele surrado discurso de que nada presta e que tudo no Brasil é uma droga e que as nossas vidas estão piores do antes, como se a bonança dos últimos anos não tivesse existido.

Quase nos convencendo que estamos prontos para destruição total, irreversível. Quando tudo isto ocorreu? Como foi tão bem trabalhando, manipulado? Deixamos nos aprisionar pela loucura dos boçais, dos arautos do caos, simbolizado em figuras cada vez mais idiotas e sem cérebro, mas com eficiente jogo de repetição, que induziu a um consenso francamente falso de uma realidade, também falsa, quase não nos reconhecemos mais.

A Caixa de Pandora foi definitivamente aberta em junho de 2013, até então, esse viralatismo era cultivado por um grupo bem específico, elitista, que historicamente dirigiu o Brasil. Esse grupo, jamais desceu das caravelas, seus pés tocaram nossas praias, suas mãos sempre foram cheias de dinheiro, mas suas cabeças continuaram, nesses 500 anos, na Europa, seus descendentes, preferem os EUA (Miami, Orlando e Nova Iorque). 

Por poucos anos, um sentimento de brasilidade tentou se afirmar, ganhou corações, mostrou vigor, sentiu certo orgulho do potencial do Brasil, de suas empresas e suas conquistas sociais, políticas e um lugar respeitado no mundo. Silenciosamente, os mesmo de sempre, aqueles homens das caravelas, da casa grande, trabalharam cientificamente para derrotar o Brasil, essa nação que NÃO PODE dá certo, não restando dúvida com ajuda estrangeira, pois o destino deles (não o nosso) é ser sócio minoritário da Burguesia Internacional, contentam-se com migalhas.

Os três últimos anos foram da luta aberta entre os dois brasis: Esperança versus Pessimismo. De um lado, a esperança de nação, que pode se afirmar como tal. Do outro, o pessimismo entreguista, que prefere cultivar como a imagem do país a da derrota, de um povo ruim e sem caráter. Por um período de crescimento, o primeiro era vencedor, sem jamais derrotar o segundo. Agora, viraram o jogo, a virulência com que nos atacam, reflete toda a frustração desses anos em que o Brasil apareceu positivamente para o mundo.

É preciso desconstruir qualquer legado bom, de que era possível outro Brasil, começando destruindo as pessoas, importantes ou não, que tentaram algo diferente. Todos os meios de comunicações estão nessa jornada avassaladora para apagar tudo que foi conquistado. O principal caminho é o do convencimento ideológico, de que vivemos num “país de merda”, corrupto, pobre e feio.

A única coisa que buscamos é não sermos contaminados por sentimentos tão ruins, pois a vida é dura por si só, então quanto mais jogamos para baixo nosso ânimo, as coisas só vão piorar, não tem solução simples. 

 

É lutar e resistir!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

14 comentários

  1. Se o golpe vingar o complexo

    Se o golpe vingar o complexo de vira-lata terá plena razão de existir, dada a destruição que a nova ditadura midiciária causará ao país.

  2. A corrupção sobreviverá

    A impressão que eu tenho é que TODA ESTRUTURA DA REPUBLICA COM RARAS EXCESSÕES ESTÃO VOLTADAS PARA A CORRUPÇÃO!

    O PT está sendo SACRIFICADO PARA QUE A CORRUPÇÃO CONTINUE…

    • A Globo
      É apenas uma empresa que faz a política de alguém.
      Este alguém, o sujeito oculto, é que é o inimigo público número um.

      Aí vem a pergunta, sabe quem a Globo representa?

    • Mais reais que o rei

      A Globo, como uma firma comercial, tem essa orientação mas também seus funcionários a têm.

      Não é preciso que a direção dessa empresa mande que pessoas como Merval Pereira, Cristiana Lobo, Eliane Cantanhêde, Sardenberg, Renata Lo Prete e até Miriam Leitão defraglem e estimulem sentimento vira-latista e pessimista, essas pessoas fazem isso por si mesmas. Fariam o mesmo se outro fosse seu empregador. Aliás sem não fizessem não teriam prestígio na firma, talvez nem conseguissem se manter empregados por lá.

  3. Estou entre os que estão

    Estou entre os que estão totalmente pessimistas, simplesmente não acredito em nada mais no Brasil, o impeachmente da Dima só ratificou meu olhar completamente negativo para este país, é tudo cronicamente inviável em termos coletivos por aqui.

  4. A bonança existiu, mas acabou

    A bonança dos últimos anos existiu efetivamente, mas foi produto de uma conjunção de fatores que já se desfez. Ironicamente, foi proporcionada pelo aumento dos preços dos insumos básicos, exatamente aquilo que vocês abominam…

    O fim da bonança evidencia que o modelo econômico nacional-estatista ressuscitado pela Nova Matriz Econômica não funciona. Vocês deviam tentar entender isso ao invés ao invés de tecer teorias conspiratórias e repetir esquematismos surrados.

    • Rolando lero..,
      O seu discurso pobre é blá blá blá!!! Esses anos de bonança não foram obra do acaso como vc quer fazer parecer. Se ocorreram fatores que favoreceram os governos petistas, notadamente os do Lula – foram fruto da competência e visão de Lula que se cercou de notáveis com o intuito de melhorar a situação da população como um todo e a imagem do Brasil a nível internacional.Muitos projetos inclusivos começaram a pipocar a partir daí. Já aqueles que vc toma como exemplo, o PSDB, o atual PMDB, etc – são umas verdadeiras aves de rapina, cujo único objetivo é delapidar todas as nossas riquezas, entregá-la em gde parte ao capital internacional e o restante ficar para um seleto grupo de previlegiados. Assim, que se dane o povo!!

  5. só o fato de estarmos lutando

    só o fato de estarmos lutando e resistindo contra o golpe já é um

    indicativo de que esse viralatismo não impregnou totalmente a nossa alma…

    mas convenhamos, comn tanta porrrada na cara, chega uma hora

    que o cara meio que desanima…

    cabe renovar as esperanças, então…

  6. Meu pessimismo tem a ver com

    Meu pessimismo tem a ver com mais um golpe no Brasil dado pelas plutocratas que controlam de fato o poder no país, se as elites não respeitam nem a democracia que mais vamos esperar nestas paragens?

     

    O golpe parlamentar apoiado pela mídia e pelos empresários, em peso, não nos deixa vislumbrar um fututo promissor para o país.

  7. Então……………

    Podem tecer inúmeras hipóteses sobre o viralatismo, covardia, entreguismos, traições, mas de uma coisa não conseguem e não conseguirão me demover. AMO ESTE PAÍS, e nada, eu disse nada me fará renegá-lo.

    Quanto aos traidores que ora tentam praticar o crime para governá-lo sem terem sido eleitos, podem estar certos de que, como diziam os abutres de antigamente, faço uso de suas palavras, adaptando-as ao momento vivido,  mas desta vez de forma democratica:

    “Temer, o vice, se tiver sucesso no golpe, não deve tomar posse, e se isto ocorrer, iremos recorrer a revolução civil para impedi-lo de governar”

     

     

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome