O dia em que o Supremo se desnudou, por Luis Nassif

A história é feita pelos pragmáticos e pelos construtores. Os primeiro atuam de olho no presente, guinando-se pelo mercado de opinião e pela busca do sucesso instantâneo. Os construtores atuam de olho na história.

Essa dicotomia existe até entre o grupo mais pragmático dos empreendedores. A economia está coalhada de exemplos de pessoas que descobriram um nicho de mercado, tiveram sucesso instantâneo em seus negócios e afundaram anos depois, imersos em uma vida de libações, de descontrole e de incapacidade em projetar o próprio futuro. E aqueles que pensaram na perpetuidade dos negócios, na construção paulatina do futuro.

Quando se fala em Supremo Tribunal Federal, não há outra perspectiva de julgamento que não a história. E há alguns momentos-chave, que ajudam a inscrever definitivamente a reputação de Ministros na história, como baluartes da civilização, ou como exploradores do direito.

Ontem, foi um desses dias decisivos.

De um lado, Luís Roberto Barroso, Luiz Edson Fachin e Carmen Lúcia, que exploraram com sucesso nichos do mercado. Quando o mercado demandava sensibilidade social, ofertaram visões humanistas, com o calculismo dos pragmáticos para ascender à Suprema Corte. Carmen Lúcia ofertou mais, como uma das idealizadoras do famoso manifesto contra a privatização da Vale do Rio Doce.

Quando o mercado demandou arbitrariedades, imediatamente mudaram a rota. Como os pragmáticos, trataram de gozar intensamente o presente, sem preocupações com o dia seguinte.

Na fase inicial do julgamento, usaram da falsa esperteza da retórica tosca, Barroso equiparando Lula a estupradores e assassinos. Falavam para a massa, mas também para um público informado, não necessariamente petista, não necessariamente garantistas, mas respeitadores do bom direito.

O voto constrangedor de Rosa Weber começou a escancarar o jogo de cena. A linguagem incompreensível, a citação de autores tão pouco familiares a ela, que Rosa empacava na pronúncia, especialmente dos alemães, não foi suficiente para disfarçar a lógica mais canhestra com que encerrou seu voto.

  1. Sou contra a prisão automática após segunda instância.

  2. Sei que na próxima votação da ADC (Ação Direta de Constitucionalidade), o Supremo reformará a decisão anterior, favorável.

  3. Mas como o que está em vigor é a última decisão, e como sou fiel ao voto dos colegiados, votarei contra o HC.

Data venia, todos entenderam, de especialistas em direito a analistas políticos.

Ali, todo o edifício retórico construído pelos pragmáticos começou a vir abaixo. E o mais trágico – para eles – ainda estava por vir: três discursos históricos, de Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio de Mello e Celso de Mello, para ampliar o contraste com as posturas mais vergonhosas da moderna história constitucional brasileira.

Lewandowski expôs de forma clara e objetiva os pontos da Constituição que consagram a presunção da inocência e o conceito do transitado em julgado. Marco Aurelio, do alto de seus 40 anos de Supremo, bradou pelo respeito à história do Supremo, pelo respeito à Constituição e às leis. E expôs para o país as manipulações de Carmen Lúcia, a Carminha, que conseguiu iludir velhos juristas progressistas com seus dengos e pães de queijo e presunção de humanismo. Assim como Carlinhos, que mudou a designação para Ayres Britto depois que Antônio Dias Toffoli assumiu apenas os dois sobrenomes. Aliás, essa história foi a grande contribuição de Dias Toffoli ao debate de ontem..

Finalmente, Celso de Mello foi desbastando a história, tirando com mãos cirúrgicas cada camada da história e mostrando a presunção da inocência desde os romanos, nos avanços civilizatórios da Revolução Francesa, como peça central do iluminismo, a presunção da inocência aceita até em tribunais militares brasileiros em plena ditadura.

Podiam ser meus olhos críticos, mas quando as câmeras se fixavam no rosto de Barroso, o que não tem medo do ridículo de se apresentar como “iluminista”, como “homem bom”, a cada volta mostravam olheiras mais profundas, a pele mais macerada, como se as luzes da madrugada expusessem a todo o país, das massas ululantes aos olhares críticos, epílogo do retrato de Dorian Gray, versão Supremo.

E o implacável Celso de Mello, o decano, rejuvenescido pela oportunidade que a história lhe reservou, mostrando que o trânsito em julgado após terceira instância, não era a “jabuticaba” brasileira, conforme Barroso, mas preceito aceito pelas constituições de Portugal e da Itália, ambas no pós-ditadura e a de Portugal servindo de modelo para a Constituição brasileira de 1988.

No final, nem a velha mídia conseguia segurar o brado de indignação de seus colunistas mais independentes. Não restou mais dúvidas sobre o jogo de cena e sobre o fato de que Lula será vítima de uma prisão política. Não apenas Lula, mas todos os avanços civilizatórios da pós-ditadura.

Como diriam os líricos nordestinos, pode ser o começo do fim, ou pode ser o fim do começo.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

90 comentários

  1. A verdade real, Rosa Weber, a

    A verdade real, Rosa Weber, a verdade real….

    Qualquer acadêmico do direito em seu primeiro contato com direito penal, é apresentado ao princípio da verdade real, no caso, o direito penal (e não o juiz) busca a verdade real (ou o mais próximo disso).

    Na mesma seara, o novo código de processo civil foi louvado por todo o estamento jurídico, pelo simples fato de buscar a aplicação máxima do direito material – ou seja, do mérito – em detrimento do processo, forma, processo.

    No entanto, ao arrepio de todo direito, ao arrepio de toda racionalidade, a forma – para Rosa Weber – prevaleceu.

    E isto soou e soa incompreensível, a decisão sobre o mérito cedeu a forma, um habeas corpus não era o recurso adequado.

    Com este fundamento, procedeu-se a uma aberração jurídica.

    Todos sabem, Rosa Weber também.

    Assim, privilegiar a forma, como a Ministra Rosa Weber fez, ainda mais em matéria penal – e num recurso extremo, um habeas corpus – não se revela apenas como heresia, pois até o herege necessita de convicção, e não houve nenhuma em sua manifestação.

    Trata-se de algo mais grave e, na forma como se deu, beira o cinismo e não se confunde com fraqueza ou medo, parece pura manobra diversiva, como se estivéssemos num teatro, onde os atores buscam esconder-se atrás dos personagens, para que não vejamos sua real intenção.

    Certamente é isso, em seu discurso (este é o termo exato ao invés de voto) não havia, e não há, uma figura humana frágil, existem apenas fragmentos desconexos de direito atirados à plateia, tentando mostrar uma confusão de propósitos  que não é real, e que se destina a justificar algo que, de plena razão, sabe ser inconcebível.

    Até a pessoa mais simples sabia a consequência e a extensão de tal decisão, porque então a Ministra Rosa Weber não o saberia.

    Neste ponto, é incabível o benefício da dúvida, ela agiu de forma, por incrível que pareça, clara, sabendo que tal ponto fora da curva tangenciava o direito e o transformava em algo parecido com teatro – de bonecos, certamente –  onde aos poucos se montava toda uma tragédia, humana.

    Imputar a Ministra Rosa Weber, ignorância ou desconhecimento, não seria atentatório a figura da ministra, mas às pessoas a quem fosse dirigida tal análise.

    Por fim, ao externar que, em tese, em uma ação de controle abstrato de constitucionalidade seria a favor da manutenção do princípio da não culpabilidade, mostrou, em toda extensão, a incongruência de seu “discurso”(me nego a considerar voto).

    Qual o motivo do teatro?

    O que levou a Ministra Rosa Weber a tal discurso à toda prova desconexo e anti-jurídico.

    Os fundamentos acima explicitados, da verdade real e da resolução do mérito em detrimento da forma, não foram afastados, aliás, nem mencionados.

    Por que Ministra Rosa Weber???

     

     

    • Pq é sádica.
      Também tô de

      Pq é sádica.

      Também tô de saco cheio de ouvir que a pobre é frágil ou covarde.

      Desde o “não tenho provas contra Dirceu mas condeno pq a literatura me permite”, continuam alimentando esse álibi de coitada, pq é obtusa.

      Não é que nem Eichmann, que era um gênio.

    • E por que seriam?
       

      Quando você diz:

       

      “Os fundamentos acima explicitados, da verdade real e da resolução do mérito em detrimento da forma, não foram afastados, aliás, nem mencionados.”, é de se responder:  E por que seriam?

      Chicana não se explica, se pratica!

       

       

       

  2. Não é bem assim

    Não é bem assim. O Min. Celso de Mello pegou o que interessava para defender sua tese. Por exemplo, no caso da Constituição de Portugal, ela consgra realmente o princípio da presunção de inocência até o trânsito em julgado da decisão. Porém, lá só há três instâncias e apenas crimes graves, com pena maior de oito anos, chegam ao Tribunal Constitucional. Isso, o Min Celso de Mello convenientemente não mencionou.

     

    • O problema aqui cidadão é o
      O problema aqui cidadão é o uso do Judiciário para fins políticos. O problema é que Lula é vítima de um justiceiro acima da lei.

      O resto é detalhe.

    • Mas no Brasil julga-se pela Constituição Brasileira

      Quem acha que a CF deve mudar que se mobilize para propor mudanças. Mas enquanto o texto estiver em vigor, tem de valer o que está escrito. Senão vale tudo. Até as FFAA pode dar golpe, assumir governo e destituir o STF se a Constituição não vale.

    • Cadê o mosquito?

      NRA (Não Revela a Autoria), sabe aquele texto bíblico que afirma que os fariseus coam o mosquito e engolem o camelo (Mateus 23:1)? Foi exatamente o que você fez! Tentou desprezar toda a brilhante exposição de Celso de Mello sobre a NOSSA Constituição com um paralelo totalmente desprezível! Com um detalhe não relevante, o “mosquito”, tentou justificar a agressão à regra pétria da Presunção da Inocência! 

       

      Tem gente que, ao ver uma folha branca com um ponto de tinta só enxerga o ponto, ignorando toda a folha branca! É o seu caso!

       

      Você critica o ministro Celso de Mello por pegar apenas o que lhe interessou, mas você fez a mesma coisa, só que sem a competência e a honestidade do ministro.

       

      Finalizo: Você é culpado por defender a agressão à NOSSA Constituição! Você NÃO é inocente, por escolha própria!

       

  3. A inutilidade de discussões jurídicas.

    A inutilidade de discussões jurídicas.

    Se perde muito tempo em publicações que mostram pela 15ª vez a falta de lógica jurídica dos atos golpistas que estão sendo feitos há bastante tempo, e o pior, toda esta discussão leva a uma interpretação que tudo isto será resolvido juridicamente.

    O judiciário desde o tempo do Brasil Colônia sempre serviu as conveniências dos reis e depois dos oligarcas brasileiros e agora serve aos oligarcas Imperialistas, como um famoso constitucionalista brasileiro que foi senador e membro do STF uma vez respondeu a alguém que queria um parecer seu:

    – Quer um parecer contra ou a favor?

    Toda esta discussão jurídica só serve para desviar do principal, a LUTA DEVE SER POLÍTICA.

    Qualquer pessoa que seguiu audiências do STF vê claramente que cada juiz dá a interpretação que desejar, ou seja, um imenso blábláblá que como disse o eminente constitucionalista.

    – Quer um voto contra ou a favor?

    O direito e a justiça é algo SEMPRE a serviço de quem tem mais poder, ou de quem manifesta o seu poder.

    Tanto o PT como o Lula, e principalmente este último, dizia em alto e bom som:

    – Eu acredito na justiça, e a história me absolverá.

    A segunda parte da frase está correta, assim como Tiradentes uns duzentos anos após a história o absolveu, porém neste período há coisas bem mais concretas que estão em jogo, para quem tiver retirado seus direitos, para quem sofrer as maldades explícitas deste governo golpista, que se engrandece a si mesmo dizendo que nem está aí para o apoio popular, ou seja, violando aquela cláusula básica de qualquer constituição do mundo em que todo o poder emana do povo e por ele será exercido, é alegremente desprezada pelos poderes constituídos. Nada serve a absolvição da história, os remédios serão tirados das farmácias populares, as diversas garantias de segurança no trabalho serão removidas e a pobreza e a miséria com suas mortes daí recorrentes aumentarão. Logo para estes não adiantará a absolvição da história.

    O problema é simples e a solução também, 90% da população vive no limite ou abaixo da pobreza, enquanto os 10% com seus rendimentos bancários garantidos com a miséria do povo prosperará.

    Se continuarmos pensando que o judiciário, que representa os 10% mais ricos trarão a solução espontaneamente por seus julgamentos e seus ritos, podem esperar sentados, pois daí nada sairá.

     

    • A política entra também em denunciar esse lado

      O judiciário foi e é o meio usado para o golpe anti-povo para chegar e se manter no poder. É ali que os lobbies golpistas atuam. Desde um jantar da presidenta do STF com lobistas da Shell até o diuturno lobbie na tela da tv, com direito a twitter ameaçador de general, passando por “movimentos de rua” bancados por banqueiros interessados em privatizar patrimônio público e saquear os impostos pagos pelos trabalhadores e prórpia renda via dívida e juros.

      Se o povo não entender isso a narrativa dos “heróis de toga combatentes da corrupção” vence.

      Em primeiro lugar é preciso deixar claro que Lula não só prova como convence a maioria silenciosa de sua inocência ao se martirizar, preferindo ficar no Brasil como preso político, como exilado no estrangeiro, como forma de resistência e denúncia do golpe que é contra o povo mais pobre e trabalhador. Que corrupto no mundo preferiria enfrentar a cadeia a usufruir de uma vida de luxos no exílio? Olhem os delatores verdadeiramente corruptos super premiados vivendo suas aposentadorias em nababescas mansões.

      Em segundo lugar que merda de combate a corrupção é essa que só prende Lula e deixa Aécio, toda a “lista de Janot”, toda a “lista da Odebrecht”, o Alckmin, o Aécio flagrado com provas ser candidato? Que merda é essa que nunca prendeu um único tucano? Até o Azeredo, pai dos mensalões, ainda está livre.

      Em terceiro lugar, pegue o caso de Barroso. Em discurso “populista ilumidado” ele falou da impunidade dos políticos. Ora, quantos políticos o STF, que tem jurisdição para julgar políticos com foro privilegiado, condena por ano? Próximo de zero desde 2000, quando passou a poder condenar sem autorização do parlamento. Teve o Donadon, os do mensalão, o Maluf e Celso Jacob, que eu me lembre e só. Então quem é mais responsável pela corrupção na política é quem acaba deixando roubar por não fazer seu trabalho de julgar.

      Note que na jurisprudência pró-sociedade que ele diz defender, são os políticos com mandatos que tem maior potencial de lesar a sociedade por estarem no exercício do poder e 1 em cada 3 parlamentares respondem processo no Supremo. Se os “paladinos do STF” tivessem compromisso de fato em combater a corrupção, no mínimo seria preciso pautar 2 julgamentos por mês. Pelo menos uma condenação por mês em média seria o mínimo aceitável para começar a ter moral para fazer esse discurso. Mesmo assim levaria 14 anos para limpar cerca de 1/3 do Câmara. Mas o comum é só pautar julgamento de casos prescritos (vide o recente arquivamento de inquérito de Serra e Aloísio Nunes por casos de 2010, e o tucano Nilson Leitão no caso sanguessuga) ou com nulidades (exemplo: caso Beto Richa).

      • Neotupi
         

        Sua lógica é implacável:

        “Em primeiro lugar é preciso deixar claro que Lula não só prova como convence a maioria silenciosa de sua inocência ao se martirizar, preferindo ficar no Brasil como preso político, como exilado no estrangeiro, como forma de resistência e denúncia do golpe que é contra o povo mais pobre e trabalhador. Que corrupto no mundo preferiria enfrentar a cadeia a usufruir de uma vida de luxos no exílio? Olhem os delatores verdadeiramente corruptos super premiados vivendo suas aposentadorias em nababescas mansões.”

        Depois disso nem precisaria enumerar o restante, aliás, com uma clareza tão ofuscante que é capaz de cegar o entendimento do povo.

        Talvez por isso ninguém seja capaz de perceber o absurdo que estamos vivendo.

        É de se perguntar, o que é que consegue deixar o povo tão imbecilizado,  por tanto tempo e com tanta certeza de que está no caminho certo, ainda que perca um pedaço a cada passo?

         

  4. Com supremo com tudo
    O supremo que só afastou Cunha após o estrago do impeachment

    O supremo que afastou Delcídio mas temeu afastar Aecio

    O supremo que julgou o mensalão do PT mas devolveu a 1a instância o mensalão tucano de azeredo

    O supremo covarde que não quer julgar o mérito do impeachment.

    Vocês acreditavam mesmo que julgariam Lula diferente?

  5. Alguns ficaram totalmente nus

    Esse processo de destruição da instruição Supremo começa, pelo que acompanho, no julgamento do mensalão. Desde aquela época, as pressões da imprensa ja empurravam o STF para o que veio a ser hoje. Se naquele momento ministros tivessem resistido as condenações sem sentido de muitos julgados na AP 470, hoje teriam coragem de levantar a cabeça e defender a democracia, a civilidade, a nação, o Direito, a Republica e a Constituição a quem devem guarda.

    • Num fala assim não, Maria Luisa
       

      se não a gente fica se lembrando da pressão da mídia, dos vazamentos selecionados, das campanhas moralistas, notícias tendenciosas e mentirosas, das provocações e começa a ficar com ódio, reforçando esse círculo vicioso do qual a gente não consegue sair.

      • Por isso o jeito é lutar

        Odio não, Amoraiza, mas profunda tristeza e desânimo. Mas meu desânimo vem hoje, vai embora amanhã. Tenho tendência sempre em pensar o que fazer para mudar o que nos oprime, nos violenta; o que retira nossa dignidade.

        Lembro Cidade Vazia, com essa historica interpretação da divina Elizeth para que nos dê ânimo e amanhã recomecemos nossa luta, procurando formar uma grande frente contra o fascismo e contra a prisão politica de Luis Inacio Lula da Silva, a figura politica mais importante do Brasil deste século.

        [video:https://youtu.be/fHcJ8NoDQT8%5D

  6. ainda tem uma saída

    A Rosa Weber  negou o HC usando um ridículo detalhe técnico, o de que o STJ agiu corretamente ao negar o HC baseado em interpretação de que o STF havia liberado a prisão logo após a segunda instância.  Mas o Lewandowski foi certeiro em denunciar que o HC foi impetrado contra o STJ porque o STJ entendeu, como o TRF4, que o STF havia liberado a prisão automática!  E o STF não liberou nenhuma prisão automática!  A ministra, cagona, fugindo da questão de fundo e da principal consequência que é a prisão de uma pessoa considerada inocente, não teve coragem de defender seus princípios e lavou as mãos.   

    Agora só resta uma saída ao Lula: entrar numa embaixada de país amigo, como perseguido político, e de lá fazer sua campanha ou apoiar alguém, influenciando com vídeos e pronunciamentos as eleições. Enquanto isso, aguardar o Toffoli assumir a presidência do STF e finalmente esse maldito e apequenado tribunal votar as ADCs e liberar um novo HC.

    É preciso denunciar a perseguição política porém ficando ATIVO nas eleições. Entregar-se ou se deixar prender vai entregar as eleições para a direita.

  7. É bom lembrar que o tucano

    É bom lembrar que o tucano Eduardo Azeredo foi condenado a mais de 20 anos em 2ª instância e os desembargadores decidiram não prende-lo, e ele vai poder recorrer em liberdade, também lembrando que o crime prescreve em sentembro. Talvez tenha passado despecebido, mas não vi nenhum discurso iluminista sobre a total letargia do mensalão tucano. 

  8. Acabou o caminho jurídico, vamos cobrar as provas

    Há uma estratégia por trás de tudo isso, de alguém acima que da as cartas, que planeja a aprovação provisória da condenação em 2ª instância para enquadrar o Lula e depois irá julgar o tal de Ação de Inconstitucionalidade, mas depois do estrago feito. Concluímos o caminho republicano, da tramitação em todas as instancias possíveis e, depois de ontem, esgotamos as oportunidades de respeitar um Brasil democrático e justo, que já não é mais (talvez nunca fosse), principalmente depois do impeachment. Com tudo, a gente até hoje não consegue entender qual o crime, e qual a culpa do Lula, assim, acabaram as opções e só resta a desobediência civil e uma sequencia de greves gerais, até que mostrem as provas.

  9. O GRAN FINALE DA NOVELA globo: STF RASGA CONSTITUIÇÃO “AO VIVO”

    A perseguição e todo o julgamento foram uma grande farsa, estilo novela da globo. A 2ª instância é composta por novos burguesses que fazem coro com os paneleiros e Home Simpsons do JN.

     

    O “grande final” foi rasgar a Constituição. Que corruptinho também… Preso por um apartamento que nem é dele. Corrupto que é corrupto libera helicóptero com meia tonelada de cocaína e ainda recebe desculpas da PF, toma chá com presidente do STF, compra justiça, protela julgamento, dá golpe de Estado, “com STF ,com tudo”, é amigo de juiz, libera doleiro e outros conhecidos. Tinha que ter tomado umas aulas com ACM, Sarney, Serra, Álvaro Dias, Alckmin, Aécio, Richa, Demóstenes, Agripino, Jucá, Padilha, Moreira Franco, FHC, o próprio doleiro Youssef, e tantos outros, que roubam o Brasil por décadas e nada acontece.

     

    Ontem, livraram a cara de mais um, o deputado tucano Fernando Capez, da máfia da merenda. E tem gente que achou que essa republiqueta de bananas tinha mudado alguma coisa…

     

  10. Quem não entendeu esse

    Quem não entendeu esse julgamento como uma chicana, não pode nem entrar na conversa…

    A condição mínima para início de conversa…

  11. Não se salva minguém
     
    é tudo

    Não se salva minguém

     

    é tudo a mesma sopa, por que esses discurseiros não pediram vistas??? Por que não arguiram questão de ordem no momento oportuno?? 

    Será que não se cansam de blá blá blá???? Do cebolório tão ao gosto desse pessoal do direito, formalistas, engessados ( e essa foi a desculpa da senhorinha para mandar o Lula à prisão), tão impertigados naquelas vestes ridiculas e medievais, não se cansam?????? 

    Vamos esperar surgir outra Olga Benário? Outra Marielle?? Enquanto helicópteros voam tranquilos????

    È tudo a mesma sopa, não se salva ninguém……………

     

  12. Quem perdeu +
    As forças da sociedade que não admitem a ascensão social de pessoas sem herança prévia, se deleitam com a iminente prisão de Lula, entretanto o ex-presidente é só um ponto na curva dessa nova diretriz econômica da vida dos brasileiros. Lula por ser um grande líder errou em continuar com o fisiologismo da política que o antecedeu, no entanto, aqueles estão um passo de transformá-lo em um arquétipo, quiçá num santo de cabeceira da cômoda do povo mais pobre que perdurará por várias décadas. Contudo, em poucos anos, é provável que devido ao grau de aversão popular às instituições públicas e privadas envolvidas nessa guerra anti-política, outrossim, inclui-se a velha mídia, todos esses sofram uma desinteresse irrevogável dos seus seguidores e com isso as novas gerações de herdeiros desses colaboradores vislumbrem outras profissões que sejam prósperas. Então quem perdeu mais nesse insensato Brasil? A meu ver, não foram os injustiçados nem os heróis, e sim aquele que se esqueceu de si próprio para embarcar na inconcebível epopéia de mudar a opinião do outro. Por ora se imagine daqui alguns anos e veja a energia que perdera hoje em vão.

  13. Prezados Camaradas
    1 – Creio

    Prezados Camaradas

    1 – Creio que alguns dos ministros do stf (os mais novos) são produto da educação existente durante a ditadura militar (a mesma que liquidou com a formação humanista, extinguindo latim, filosofia – pelo menos meus parentes diziam que tinham aulas destas matérias na escola pública pré 1964). Assim, a dificuldade de se expressar e de articular idéias coerentes e raciocínios lógicos é consequência desta ausência (a ignorância foi construída ao longo de anos, e é irmã gêmea do pedantismo)

    2 – Como não temos elite (uma classe que pensa o País e a Nação), mas uma casta dominante (que quer rapinar e tungar o que puder), esse stf é um retrato destes “brasileiros bons”, que se consideram superiores á ralé: pedantes, vazios, covardes, maneiristas (no sentido aplicado á Arquitetura, como um exagero do Barroco – se falei bobagem, o engenheiro pede desculpas aos arquitetos)

     3 – A preocupação da maioria dos membros do stf não é com a História, mas com seus bolsos. E que se dane o Brasil (esse país atrasado e indigno de minha expertise) e a ralé suja e ignorante que lá habita

    Só não tenho apenas desprezo por esta escumalha porque custam caro ao Brasil (dinheiro muito mais útil se transferido das gordas e flácidas bundas dos ministros e ministras do stf para as contas do Bolsa Família; de pessoas muito mais decentes e honradas do que estes trastes) 

    • Aleluia !
       

      e Amém!

      Aleluia porque alguém falou o que é verdadeiro.

      E Amém porque também concordo e acrescento:

      É tática infalível o sepultamento da  história( Não foi Golpe)  e o  enfraquecimento da cultura(Escola Sem Partido, Novo  Ensino Médio) de uma geração para outra, especialmente em momentos de golpe de estado, de modo a  enfraquecer ou anular definitivamente alguma reação futura que possa ameaçar o poder sobre os dominados.

      Dessa prática  nasce a nova casta dos privilegiados,  com o conhecimento da história e  da cultura que o poder implantado lhes quis legar.

      Evitar que os menos favorecidos cheguem às universidades é outra tática bastante eficaz, porque mesmo com um ensino fraco o desfavorecido tem mais senso de realidade e com algum conhecimento e  consciência social ele pode ser perigoso ao poder.

      Não se pode permitir que do lamaçal da pobreza profunda surjam Lulas ou Beneditas da Silva todos os dias.

        

      • Cara Amoraiza
        Agradeço pelas

        Cara Amoraiza

        Agradeço pelas palavras, e seu comentário me fez lembrar de Geroge Orwell e 1984: quem controla o passado, controla o futuro. Então, vamos produzir patos e patas amarelos, que não lêem, mas olham. 

        Por isto que querem destruir as universidades públicas e as boas faculdades e universidades particulares: senso crítico, discernimento e entendimento são perigosos, e essas antas (PAGAS COM DINHEIRO PÚBLICO) dos tribunais vão considerar crime pensar

  14. É um erro o PT continuar insistindo na candidatura do Lula como

    É um erro o PT continuar insistindo na candidatura do Lula como única alternativa. Com certeza a candidatura do Lula será impugnada pelo TSE e STF. O que os estrategistas do PT deveriam fazer nesse exato momento era já indicar um líder político forte para vice presidência, como o Flávio Dino ou Roberto Requião. O tempo para as eleições corre e é fundamental intensificar a campanha para eleger uma bancada progressista significativa nas próximas eleições.

    Não temos tempo a perder, essa indefinição entorno da candidatura do Lula poderá inviabilizar alternativas ou mesmo favorecer candidaturas aventureiras como a do Joaquim Barbosa, Marina Silva ou Jair Bolsonaro. Se o PT errar a mão será derrotado nas eleições. É uma lógica suicida se fechar apenas na candidatura do Lula. Precisamos avançar e sair da defensiva.

    • Burocratas.

      A burocracia do PT insiste nessa estratégia para colher frutos na eleição de cargos legislativos. Ninguém ou poucos no PT estão interessados no Lula. Concordo contigo, mas meu nome é Ciro. Gosto do Requião, mas ele não tem viabilidade eleitoral.

      • Qualquer candidato apoiado pelo Lula tem viabilidade. Assim como

        Qualquer candidato apoiado pelo Lula tem viabilidade. Assim como a Dilma no começo das eleições de 2010 tinha menos de 5% de intenções de votos, cabou sendo eleita e reeleita. O Requião só tem um defeito, estar filiado ao PMDB, se ele se filiar ao PT será um candidato forte. Ele foi eleito senador por dois mandatos (ou seja 16 anos) o que o credencia a ser um bom interlocutor com o Congresso nacional e já foi eleito governador por 3 mandatos, ou seja, possui experiencia para gerir a máquia do Poder Executivo. Sem sobra de dúvidas, depois do Lula, é o candidato mais preparado.

         

    • Caro Wilton

      Olhando pragmaticamente é isso. Mas agora nos temos que lutar contra a prisão certa de Lula nas proximas semanas. Não da para o partido fazer de conta que Lula preso representa pouca coisa. Representa a condenação do proprio PT. Eh necessario que Requião, Flavio Dino e outros estejam à frente nessa batalha e, principalmente, que se coloque a questão do julgamento forjado ao que Lula foi levado e sua condenação. Ai, sim, acho que pode surgir lideranças que poderão se sobressair, inclusive como candidatos para as eleições vindouras.

      Interessante notar que em duas ou três matérias do Le Monde sobre Lula da semana passada para esta, eles têm soprado o nome de Fernando Haddad como substituto de Lula para as proximas eleições. Quem sera que tem colocado isso para a Claire Gatinois? Ou sera ela mesma, que vive repetindo a imprensona brasileira?

    • O erro é não insistir na candidatura Lula.

      O erro é não insistir na candidatura Lula.

      Retroceder neste momento e propor pessoas como Flávio Dino ou Roberto Requião que não mobilizam as multidões seria um imenso erro.

      As eleições são mais um fator de propaganda do que uma proposta política, pois se alguém da esquerda mais fraco que Lula tiver alguma chance de ganhar as eleições simplesmente elas não sairão.

      De recuo em recuo o PT e toda a esquerda vai é parar na cadeia.

      • Não há a menor chance do Lula conseguir qualquer vitória no.

        Não há a menor chance do Lula conseguir qualquer vitória no judiciário brasileiro. Os golpistas estão no controle de todo o aparáto jurpidico, o que torna a estratégia de buscar vitórias no judiciário inócuas. O que devemos fazer é buscar alternativas e não depender apenas do Lula. 

        Insistir na via institucional desmobiliza a militância. O Lula pode ser útil fora da presidência como líder popular capaz de dar sustentação a líderes populares aliados, isso sem falar que ele é o cabo eleitoral mais influente do país. O prestígio do Lula pode ser usado para a eleger candidatos de esquerda.

        Se caso o candidato apoiado pelo Lula vencer as eleições, essa candidato poderia conceder graça por meio de decreto presidencia, e extinguir sua punibilidade. Inclusive essa medida poderia ser uma das bandeiras de campanhas do candidato.

    • Será o Benedito!

      Os golpistas chegaram até a suprema pantomina ontem vista, arriscando tudo, no caso até general comandante do exército, para desativarem Lula, o que estão há quatro anos tentanto, sem sucesso, pois continua, mesmo condenado e assim permanecerá, se preso, monopolizando e liderando o processo eleitoral e colocando em risco o plano deles, de legalizarem o golpe empacado e manterem-se no poder, via eleição, e nós, a cada tremidinha na caçamba, caimos na esparrela de tirar espontaneamente Lula do caminho dos golpistas, justamente o que mais desejam e não podem evitar (mesmo que preso), que seja candidato até o TSE impugna-lo (quando assume o ‘Lula’ substituto), mesmo movendo mundos e fundos, jurídicos, midiáticos, políticos, futebolísticos e eclesiásticos, para tanto.

       

  15. Vergonha

    Tenho vergonha de ser de um país onde, na maioria, o que deveria ser Supremo Tribunal é tão pequeno. De todos os pontos de vista que se queira olhar. 

  16. a pergunta é:

    Se vai resolver tudo na 2 instância porque o judiciário brasileiro precisa de 3 ou 4 instâncias?

    Poderia ser o momento para o povo exigir a extinção deste órgão gordo, lento e atrasado…

    • Inverdades
       

      Esse órgão que você diz gordo, lento e atrasado, demonstrou cabalmente que, conquanto gordo, não foi nem lento e nem atrasado ao dar “tratamento preferencial ” ao Lula para fazê-lo condenar em tempo record.

      Nem requisição de remédio para moribundo correu tão rápido quanto o processo do Lula.

  17. Espantoso o voto da Carminha,

    Espantoso o voto da Carminha, contra o HC, logo em seguida à aula de constitucionalidade proferida pelos decanos da Corte. E Dona Rosinha, Hein? Ela e a coerância dormem em camas separadas.

  18. Quase toda elite brasileira é

    Quase toda elite brasileira é a elite mais miserável do ocidente. E ontem, via STF, ela deixou claro que uma mudança de verdade do país não ocorrerá pelo via da lei – pois as leis nesse país são escritas que nem letra de Djavan, permite que os doutos juízes a interpretem do jeito que quiser, conforme a cara do freguê$. E gente como Gilmar Mendes, aplaudido por petistas pelo seu voto pró HC (sic), e até seu fã número um, Reinaldo Azevedo, não querem que Lula vá em cana simplesmente porque Lula já está fora da eleição, pela ficha limpa, e também pelo temor de que essa prisão do Lula possa ser o início da virada do jogo pró povo de verdade – como aconteceu após o suicídio de Vargas. 

  19. Quase toda elite brasileira é

    Quase toda elite brasileira é a elite mais miserável do ocidente. E ontem, via STF, ela deixou claro que uma mudança de verdade do país não ocorrerá pelo via da lei – pois as leis nesse país são escritas que nem letra de Djavan, permite que os doutos juízes a interpretem do jeito que quiser, conforme a cara do freguê$. E gente como Gilmar Mendes, aplaudido por petistas pelo seu voto pró HC (sic), e até seu fã número um, Reinaldo Azevedo, não querem que Lula vá em cana simplesmente porque Lula já está fora da eleição, pela ficha limpa, e também pelo temor de que essa prisão do Lula possa ser o início da virada do jogo pró povo de verdade – como aconteceu após o suicídio de Vargas. 

  20. O Conversa Afiada publica

    O Conversa Afiada publica devastador e-mail que recebeu do professor Wanderley Guilherme dos Santos, cuja obra, por si só, desqualifica supostos professores de lei, como Barroso e Fux:

    Quanto ao Barroso: ele estava julgando um pedido de habeas corpus contra uma sentença condenatória de uma suposta propriedade de um apartamento, da qual não há prova documental alguma.

    A propósito disso, Barroso discorreu sobre a impunidade da justiça brasileira que prende​ menino com trouxinha de maconha, mas deixa livre bandidões, comprovadamente ladrões de milhões de reais dos recursos públicos.

    Os exemplos são maliciosos, em um caso, e, totalmente imperitos, em outro.

    Em primeiro lugar, a menção à impunidade de ladrões de alta linhagem insinua semelhança com o suposto crime cometido pelo acusado: haver recebido um apartamento como propina – matéria não provada.

    Coisa de chicaneiro, violador da lógica aristotélica, que impede analogias desproporcionais. As analogias significam precisamente isso: relações entre coisas ou seres, revelando idêntica razão nas comparações. Razão, não no sentido de motivo, mas de razão aritmética: 12 está para 6 assim como 4 está para 2 – na comparação, em ambos o primeiro número expressa o dobro do segundo – eis a “razão” da analogia legítima. Evocar identidade de razão entre os milhões roubados à Petrobrás, por exemplo, e o suposto apartamento apropriado por Lula, não é somente hiperbólico, é ofensa à lógica.

    A imperícia, por negligência, ocorre quando os ladrões à solta, ainda gozando “restos” de riqueza de milhões de dólares, não de reais, mencionados abstratamente pelo ministro Barroso, refere-se à quadrilha: Paulo Roberto Costa, Pedro Barusco, Jorge Zelada, Nestor Cerveró e o reincidente doleiro Youssef, ​que ​foram postos em liberdade por Sergio Moro, fruto de acordo mercantil entre ele, os procuradores e a quadrilha que assaltou, sistematicamente e de longa data, a Petrobrás.

    Os ladrões, ricaços, “compraram” uma tornozeleira por preço de chantagista e, não se esqueça, com prescrição prevista para prazos muitos mais curtos do que os que a morosidade da mesma justiça de Moro e Barroso beneficia pés de chinelo ou de pantufas, tanto faz.

    Finalmente, a declaração impoluta de que a lei deveria ser aplicada não importa a quem, outra vez maliciosamente insinuando que votos contrários ao dele não estariam aplicando a lei, mas beneficiando uma persona pública relevante, Lula, por ele nominalmente citado​.

    Barroso​ maquiou o seu próprio voto, este sim, como o de Fux, declaradamente, personalizado: Barroso e Fux votaram contra Lula, não a favor da lei.

    ​Wanderley Guilherme dos Santos​https://www.conversaafiada.com.br/brasil/wanderley-a-barroso-quem-sao-os-bandidoes

     

    • Não é voto maquiado
       

      é má formação mesmo.

      Aulas de lógica acontecem no primeiro semestre do mais chinfrim curso de direito e ele não deve te-las aproveitado.

      O nobre ministro, de formação antiga ( portanto sólida ) por não ter sido solicitado a exercita-la amiúde( a  lógica ) habituou-se a ignorá-la,  fazendo-se lider no trato com os ignorantes.

       

  21. A

    A vitória da direita é sua derrota acachapante.

    Lula é  a pessoa mais importante e a ÚNICA  liderança no Brasil. E justamente por  isso é que pudemos presenciar um dos maiores esforços conjuntos de forças institucionais, políticas, civis e até mesmo absurdamente de forças militares, que constitucionalmente são ptoibidas de se manifestarem sobre temas políticos, para eliminar e destruir essa liderança. Lula constitui a maior ameaça e o maior desafio para as forças conservadoras.  É o maior atestado de pobreza  dessas forças, que, incapazes de concorrer lealmente com uma liderança sutêntica por vias políticas autênticas, têm que fazer uso pérfido da Justiça com arbitrariedades e idiosincrasias para derrotá-lo. A certeza de que Lula venceria as eleições é a prova desse esforço descomunal. O Brasil agora está fadao ao retrocesso, ao  atraso total.

  22. tem que abrir o jogo..

    Lula devia se refugiar na embaixada da Venezuela, em Sampa.. tudo devidamente negociado com – pelo menos – os RICS Plus, claro.. é preciso expor essa guerra.. o julgamento do ex-presidente é uma farsa, preciso colocar isso claramente para o mundo.. e atentar para o fato de que estamos na iminência de uma mudança brusca no sistema..

  23. Parabéns Nassif! Vejo, que
    Parabéns Nassif! Vejo, que com o pássaro do tempo, você se supera cada vez mais. E acrescento uma pergunta: O quanto o significado de corrupção pode ser abrangido? Até onde ele pode ser identificado, além de uma negociata por poder ou dinheiro? Será que o corrompetimento da ordem constitucional, do juramento de uma autoridade na posse do cargo; do comportamento ofensivo, inadequado e repetitivo de uma autoridade e a gravíssima omissão por medo, preconceito, seletividade ou seja lá o que for também não será um ato de corrupção criminosa?

  24. Parabéns Nassif! Vejo, que
    Parabéns Nassif! Vejo, que com o pássaro do tempo, você se supera cada vez mais. E acrescento uma pergunta: O quanto o significado de corrupção pode ser abrangido? Até onde ele pode ser identificado, além de uma negociata por poder ou dinheiro? Será que o corrompetimento da ordem constitucional, do juramento de uma autoridade na posse do cargo; do comportamento ofensivo, inadequado e repetitivo de uma autoridade e a gravíssima omissão por medo, preconceito, seletividade ou seja lá o que for também não será um ato de corrupção criminosa?

  25. Para trouxas de todas as classes!

    Quem não enxergou essa verdade ontem…

    Ou é muito burro ou quer participar de alguma forma do espólio do Brasil!

    Seja ele quem for: procurador, juiz, advogado, general, politico, coxinhas ou empresário…

    Todos eles querem pegar um ativo brasileiro bem baratinho às custas do povo, qualquer jogada – tudo incluído no buraco sem fim da dívida pública!

    Não se cria mentira para produzir verdades!

    Não existe isso!

  26.  De fato, ficou escancarada,
     

    De fato, ficou escancarada, mais uma vez, a velha natureza humana e o seu falido sistema político, religioso e de justiça, o mesmo que no passado, diante do único Justo, do único “cidadão (realmente) de bem”, O sentenciou à morte, e morte de cruz, num arranjo político, jurídico e religioso, com pitadas de chantagem, covardia, inveja, cinismo e pervesidade, e tudo isso com o apoio da turba cega e insandecida, os mesmos ingredientes também presentes nas circunstâncias desse julgamento do HC de Lula, guardadas as devidas prorporções históricas e de personagem, é claro. A injustiça é gritante, todos os que têm fome e sede de justiça, da verdadeira, perceberam isso.

        

  27. Pior q a canalhice do stf não
    Pior q a canalhice do stf não é absorvida pelo povão,parece q é uma mistura de desinteresse com falta de comunicação(da oposição),mas a verdade é q estamos igual a uma criança (nós)q vive em um prostíbulo (Brasil)ao qual sempre vê bacanais(tv Globo)e por isso ACHA TD NORMAL,é assim mesmo, PRECISAMOS aprender a cobrar todos os protagonistas do Golpe,inclusive paneleiros,eu já comecei!
    Obs:Eu já cobrei paneleiros mas percebi q a maioria tem interesses,tipo uma é comerciante, outro classe média(acha q vai ganhar concorrentes)me parece q o ódio é um ódio de classes q contamina e produz o pobre de direita !

  28. Supremo virou supremacia

    Representaria melhor a realidade mudar o nome do STF. Sai a palavra supremo e entra a palavra supremacia. Assim inclui a supremacia branca, rica, da Av. Paulista, da Febraban, de Wall Street e de Washington.

    Afinal o voto de Rosa Webber não foi mera capitulação à supremacia? O do Barroso não foi uma ode à supremacia? A letra da Constituição não pode ser rasgada à vontade em nome da supremacia? Então melhor assumir de vez o nome à coisa.

  29. Os fins justificam os meios.

    Hoje, vi que adormecia  ontem   às 2(duas) da madrugada todos os meus valores.  

    A suprema corte me fez perceber que o  valor é realmente o preço. 

    Consegui enxergar no escuro da madrugada  toda a  “moral desse nosso positivismo adjetivo” sem substância. 

    Vi que minha crença,  meus valores, minha moral   agora com clareza solar, não valem NADA nessa terra que sempre foi uma  res privada.  

    Votos estatatísticos , pragmáticos e “refundadores desse país”como se fosse da competência daquele momento  incompetente  sem fundo, sem fundamento e  sem leitura dos autos,  sem alma, feito “máquina a vapor”…

    versus

    votos históricos, esclarecedores, eloquentes,  sobre a mais profunda proteção ao  ser humano contra a mão forte do estado, prevaleceram.  

    Mão forte essa  que, mais uma vez, mostra , visivelmente,  o apertar  da   mão boba invisível.   

    A propriedade privada realmente vale mais que a liberdade humana ministro!

    O Estado brasileiro, de fato e de direito, é o Mercado e vice versa. 

    Viva a estratégia! 

    O que  temos no front soldado?

    Salve o pragmatismo!

    Salve o “racionalismo” jurídico”!

    Salve a ética dos fins que justificam os meios!

     

     

  30. o dia de ontem

    Duas imagens do dia de ontem:

    a) Muitas foram as vezes em que vi, com tristeza, um caminhão tombado, após um acidente numa rodovia qualquer, ser saqueado por gente humilde. Ontem vi o Brasil ser saqueado pela sua elite togada.

    b) O golpe, seja ele qual for, é na sua essência um trambique.

    Porque somos obrigados a conviver, reverenciar e tratar bem trambiqueiros de carteirinha? Até quando?  

  31. A lei não é pra todos

    Segundo Jorge Furtado, desde a redemocratização, a elite do atraso alterou a Constituição 4 vezes para impedir Lula chegar à presidência:

    1988: aumento do mandato de Sarney para 5 anos
    1997: emenda da reeleição de FHC
    2015: fim da reeleição para presidente
    2018: fim da presunção de inocência

    https://www.facebook.com/jorge.furtado.52/posts/1665875980148072

    A decisão de ontem foi a mais ousada, pois o STF revogou uma cláusula pétrea para punir uma única pessoa, uma única vez, fato que não havia ocorrido nas 3 violações anteriores.

  32. O Fim da Picada Jurídica e Democrática. Virou Pocilga Bananeira

    A coisa anda tão fora da ordem no Brasil e seletivas perpetrações heterogêneas se sucedem dentro de aparelhos da república, desde que em junho de 2013, a classe dominante começou a ensaiar a retomada do poder, iniciada em 17 de março do ano seguinte, com lançamento da operação ‘Lavajateira’, inicialmente rumo a Petrobras e aquela capa da Veja, “Eles Sabiam”, á véspera da eleição, para elegerem Aécio sem necessidade de golpe, que:

    À véspera de votação de HC para Lula no STF, o general comandante do Exército brasileiro faz dois textos no twitter, prontamente repercutidos pela Globo dos Marinho, no fechamento do Jornal Nacional, assegurando à Nação que o Exército compartilha do anseio dos cidadãos de bem, de repúdio à impunidade e de respeito à Constituição e à Democracia e mantém-se atento às suas missões institucionais.  

    O julgamento é realizado como se nada tivesse ocorrido, tendo sido negado por 6 votos a cinco o pedido de HC, graças a inversão de voto de Rosa Weber, sem que fosse abordada tal inconveniência em relação ao julgamento, antes do penúltimo voto, o de Celso de Mello, que chama às falas o indevido e infeliz general.

    Hoje, continua-se ignorando fato tão grave, que não poderia permitir aceitar-se em termos de justiça, a não concessão do HC por 6 votos a cinco, em julgamento submetido a esse tipo de pressão?

    E se fosse ao contrário, como reagiriam hoje as instituições, justiça, mídia, forças armadas, OAB, etc.?        

  33. Quem passou pela faculdade de

    Quem passou pela faculdade de Direito, compreende que o voto do ministro Celso de Melo expressa a autêntica defesa da Constituição. Os manuais da doutrina constitucional, relevantes na preparação dos concurseiros encastelados no MP, asseguram a observância do trânsito em julgado em homenagem ao princípio da presunção da inocência.

    Certamente, há aqueles que em nome de um ideal utilitarista do sonho da estabilidade e tranquilidade financeira, abraçaram tais lições para regurgitar na prova visando tão somente a posse no cargo. Agora, convertidos à causa messiânica neopunitivista investem contra preceitos basilares do Estado de Direito.

    O ministro Barroso não decepciou o “sentimento social”, ao exibir um vasto repertório de contradições e analogias estúpidas.

  34. Falta a análise das entrelinhas

    Acerca do farsescos julgamento de ontem, no STF, postei, no blog Tijolaço, alguns comentários críticos acerca dos votos de Rosa Weber e outros punitivista/traidores/golpistas/fascistas que hoje infestam a côrte suprema brasileira.

    A meu ver o desnudamento do STF – com complacência e cumplicidade até mesmo de Ricardo Lewandowski – se deu já no ano de 2016, durante a fase jurídico-parlamentar do golpeachment. Se formos rigorosos, a máscara caiu bem antes, já nos idos de 2005-2012 com farsa/fraude que foi o processo e julgamento da AP-470, apelidado de “mensalão do PT” pela mídia venal e golpista. Seguem abaixo os comentários.

    ___________________________________________________________________________________________________

     

    João de Paiva  • 21 horas atrás

    Se Eduardo cunha, esse gângster que todos conhecemos, sabia de cor e salteado e na ordem direta e inversa todos os meandros do regimento da Câmara, Gilmar Mendes domina como nenhum outro o regimento, as manhas e artimanhas do STF. GM passou 15 meses sentado sobre uma ADIN protocolada pela OAB, a qual já estava decidida e impedia, já para as eleições de 2014, o financiamento das campanhas (seja para partidos ou candidatos) por parte de empresas. Gilmar Mendes sempre fez gatos e sapatos dos demais ministros do STF porque, além dos conhecimentos jurídicos e regimentais, SEMPRE atuou de forma político-partidária e JAMAIS teve medo ou aceitou pressões, chantagens e ameaças vindas do sistema midiático, judiciário ou político.

    Há algumas semanas venho mostrando que seria Gilmar Mendes e não Rosa Weber quem daria o voto decisivo no julgamento desse HC preventivo em favor do Ex-Presidente Lula. GM não faz isso em benefício de Lula, muito pelo contrário. O líder tucano no STF se capitaliza para defender os tucanos que correm o risco de serem condenados em 1ª e 2ª instância, como é o caso de Eduardo Azeredo e Aécio Neves, se este não conseguir se eleger deputado federal na eleição deste ano, se houver. É preciso lembrar que GM tem uma atuação humanista respeitável; quando presidiu o STF, ele visitou presídios e denunciou a calamidade das prisões brasileiras: masmorras medievais, insalubres, fétidas, onde milhares de pobres, 40% deles sequer julgados, são amontoados como coisas, sujeitos a doenças como tuberculose, torturas, drogas, estupros e degradações semelhantes. Na gestão de GM como presidente do STF mais de 20 mil prisioneiros, cujas penas haviam prescrito ou tinham sido cumpridas ou que sequer tinham sido julgados ou ainda cujos delitos não justificavam a o encarceramento foram libertados.

    Ao contrário dos outros ministros do STF, que se mostram covardes e susceptíveis a chantagens, coações e ameaças feitas pelos veículos da mídia golpista e pelos setores nazifascistas que hoje perderam o pudor, GM demonstra coragem e enfrenta esses monstros. Gilmar Mendes fez hoje o que os colegas de côrte não tiveram e não têm a coragem de fazer. Como exímio conhecedor do regimento do STF, ele pediu para antecipar o voto. Embora a justificativa oficial seja a de que ele retornará a Portugal – onde participa de evento do IDP, do qual ele é sócio, Gilmar Mendes deu esse xeque na ala fascista do STF, emparedando o pusilânime Edson Fachin, relator do HC e que deu voto contrário ao que é estabelecido no texto constitucional, negando o remédio contra a prisão iminente do Ex-Presidente Lula, há três anos vítima de perseguição e caçada judicial.

    Mesmo que Luis Barroso e Alexandre de Moraes votem contra o disposto no inciso LVII, Art. 5º da CF/1988, os votos dessa malta já estão enfraquecidos e neutralizados pelo furor com que GM detonou o oligopólio midiático e os grupos nazifascistas. Depois desses votos, mesmo que Rosa Weber titubeie, é certo que Dias Toffoli, Celso de Mello, Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski votem de acordo com a CF. Aí restarão as hipóteses que previ e analisei:
    1ª) RW vota contra o HC e a brocha fica nas mão da Maga Patológika, Cármen Lúcia;
    2ª) RW vota em favor do HC e consolida o 7×4 em favor do HC e da CF/1988.

    De qualquer modo Cármen Lúcia sairá ainda mais minúscula e desprezível desse julgamento que será a mais expressiva derrota do golpe, até agora.

     

    João de Paiva   • 2 horas atrás

    Adendo ao comentário.

    Antes que alguém venha contestar minha análise prognóstica esclareço que:

    1º) – Assim que deixou a sessão do STF, antes de embarcar de volta para Portugal, Gilmar Mendes forneceu à mídia amiga um ‘spoiler’ de como seria o voto de Rosa Weber;
    2º) – Do exposto no item anterior fica claro que, muito mais do que manter o voto favorável ao HC, GM e RW já haviam feito ‘tabelinha’, combinado como votariam;
    3º) – Com essa estratégia, Gilmar Mendes se capitalizou para defender os aliados e amigos de partido (PSDB), pôde bater no PT e nos petistas e mesmo assim manter calados os que sempre o criticamos por atuar político-partidariamente e de forma descarada;
    4º) – Embora aos olhos dos leitores, ouvintes e telespectadores do PIG/PPV Cármen Lúcia consiga enganar e manipular, passando uma imagem de “forte”,”resistente”, “que não cede a pressões” ou aos ‘esquerdistas desavisados’ e susceptíveis à pauta pigal tenha parecido uma “raposa”, uma “estrategista” que deu o drible da vaca nos decanos do STF, essas visões e interpretações são completamente falsas. Quem conhece o espírito de corpo do STF, assim como o envolvimento dessa côrte na trama golpista, desde o acolhimento do golpeachment e preservação de Eduardo Cunha, sabe que há de tudo ali, menos ingênuos ou ‘freiras franciscanas verdadeiras’. Cármen Lúcia é fraca, pusilânime e refém da Globo
    5º) – Dos que votaram em desacordo com a CF/1988 pelo menos 4 são covardes, canalhas e borra-botas: Rosa Weber, Luis Roberto Barroso, Luiz Edson Fachin, Luiz Fux e Cármen Lúcia. Dessa turma de golpistas, apenas o Kojak e ex-advogado de empresas controladas pelo PCC, Alexandre de Moraes, foi coerente com o despreparo e truculência fascista dele esperados.

    Enfim: não foi de Rosa Weber o voto decisivo e não foi ela ou Cármen Lúcia quem bolou a estratégia de inabilitar polìticamente e encaminhar ao cárcere o Ex-Presidente Lula. Assim como não podemos subestimar os inimigos, também não podemos sobreestimar a capacidade deles, sobretudo quando se mostram claramente limitados. Embora a muitos não pareça, foi GM quem maquinou a estratégia; basta ver que nem Cármen Lúcia nem Rosa Weber JAMAIS ousaram enfrentar Gilmar Mendes no plenário. Se GM não fosse o autor ou partícipe da trama e quisesse melar a estratégia, bastaria dar declarações a veículos de mídia, que ele sempre soube manipular muito bem; no caso em tela, GM poderia entregar o jogo à chamada ‘blogosfera progressista’, por alguns ironicamente chamada de ‘globosfera’. Mas maquiavélico que é, GM preferiu deixar o palco para as colegas. Resta saber o que foi combinado acerca do encarceramento do Ex-Presidente Lula, pois isso Gilmar Mendes não apóia; a turma dos coturnos, embora tenha boquirrotos na reserva, também deve se contentar com a inabilitação política do Ex-Presidente Operário.

    João de Paiva  • 19 horas atrás

    Mais uma vez discordo de que o voto da fraca e gaguejante Rosa Weber tenha sido decisivo. Ao proferir o histórico voto, esculhambando as ORCRIMs midiáticas, judiciárias, fascistóides e de coturnos, Gilmar Mendes colocou a brocha nas mãos da pusilânime Cármen Lúcia. Se Gilmar Mendes tivesse votado contra o HC também seria decisivo.

    No pouco que acompanhei do extenso e insustentável voto de RW, ficou claro que ela é fraca não só tecnicamente, mas moral e eticamente. Ela fez jus ao vergonhoso papel que teve na AP-470, quando, incapaz de embasar uma condenação sem provas contra José Dirceu, se limitou a ler o voto escrito pelo então auxiliar: o torquemada das araucárias.

     

    João de Paiva     • 6 horas atrás

    […] Era isso o que eu queria dizer e que, dadas as manobras sórdidas de Cármen Lúcia, desrespeitando uma regra clara contida no inciso LVII do Art. 5º da CF, esta atinente ao bem maior do indivíduo (após o da vida), que é a liberdade, corolário direto da presunção de inocência, não poderia ser classificado como medida protelatória. Marco Aurélio e Celso de Mello se fizeram de bobos ou foram ludibriados por Cármen Lúcia, Rede Globo e demais golpistas; Celso de Mello foi o último a votar e se, em vez do longo e bem fundamentado voto, tivesse feito o pedido de vistas ou colocado em discussão o julgamento das ADCs, que é de interesse de milhares de pessoas mantidas presas sem trânsito em julgado da decisão condenatória – 40% delas sequer submetidas a julgamento de 1º grau – colocaria Cármen Lúcia e os punitivistas/fascistas do STF em saia justa, na defensiva. Mas esses dois ministros preferiram a representação teatral característica da côrte.

    A suspensão do julgamento geraria mais discussões e aumentaria as pressões para que os punitivistas/nazifascistas se rendessem ao que estabelece o texto constitucional. Mais: Celso e Marco Aurélio Mello poderiam usar de suas experiências e conhecimentos do regimento , de modo a instar Cármen Lúcia a pautar a votação das ADCs 43 e 44. Mas os togados que foram omissos, cúmplices e coniventes com o golpeachment preferiram o jogo corporativo, a troca de vênias e salamaleques -alguns deles tão verdadeiros como cédulas de R$7,00 – nesse BBB em que foram transformadas as sessões dos tribunais judiciários quando em julgamento estão réus petistas.

     

  35. sobre o comentário

    Belíssimo. Um dos melhores do Nassif. Genial. Muita sensibilidade do Moreno para reproduzir o quadro patético de ontem da Suprema Vergonha!

  36. Há muitos anos, conversando

    Há muitos anos, conversando com meu irmão mais velho, a respeito dos vencimentos dos ocupantes de cargos públicos, chegamos a algumas conclusões.

    Meu irmão descartou, naquela ocasião, quaisquer parâmetros de escolaridade. Afinal, Lula, o sertanejo inculto, com apenas e tão somente um modesto diploma de torneiro mecânico, reduziu a pó de traque, em dimensão política e histórica, seu antecessor, professor da Sorbonne, príncipe dos sociológos.

    É claro que, alguns anos depois, surgiu um Tiririca, mas eu já estou deprimido o bastante para enveredar por aí. Esquecemos, portanto, esse viés, e torno a fazê-lo agora.

    Mas eu lembro de ter feito uma consideração, no sentido contrário, de que, na ocasião, me orgulhei, pois me parecia bastante sensata: tirando o legislativo e o executivo, o judiciário deveria remunerar seus membros de acordo com sua capacidade; afinal, o curso superior era uma condição sine qua non para alcançar aqueles postos.

    Na minha visão, chegar ao cargo de juiz, desembargador, ministro de tribunais superiores, era algo que só pessoas com alto gabarito intelectual poderiam almejar. Preso a essa concepção, eu enxergava a todos esses seres, automaticamente, num elevado patamar de inteligência.

    Confesso que, até bem pouco antes dos nossos nobres juristas subirem ao proscênio da cena política, onde deram de cara com os holofotes da globo, eu mantinha essa visão. Menos por ingenuidade, mais por comodismo: afinal, temos que nos agarrar a algo, e a isenção e ilustração do poder judiciário servia-me de bóia, para não afundar na mediocridade da elite política desse país triste.

    É claro, essa convicção – êta palavrinha amaldiçoada, ultimamente – foi sendo reduzida igualmente a pó, nesses últimos dois ou três anos.

    E ontem, creio eu, o nariz de nossas elites deu a última cafungada nessa carreira. Travei o bom combate mental, mas encerro a carreira, e perdi a fé.

    Alexandre de Moraes, Rosa Weber, sem cor, sem perfume, sem nada, Luiz horroroso, o que se Fux, vocês venceram.

    A globo venceu.

  37. Virando o disco.

    Garantido a prisão de Lula, talvez por um longo período, pois vão encadear condenação atrás de condenação, e sua inabilitação como candidato, a Globo já está virando o fio.

    Em matéria do G1, onde juristas, escolhidos a dedo, repercutem a decisão, a grande maioria assinala que o julgamento foi político.

    Já estão preparando os manifestoches para a virada na jurisprudencia.

    Golpismo faz parte do DNA da Globo. 

  38. Nassif continua otimista e

    Nassif continua otimista e eu  pessimista.

    Com exceção de Lewandovski, todos os ministros podem mudar os votos na questão segunda instância conforme a posição do plenário. 

    Marco Aurélio e Celso de Mello se apresentaram como defensores da presunção da inocência e  fizeram grandes perorações humanistas porque a prisão do Lula já estava assegurada. Caso contrário fariam malabarismos javaneses para provar o contrário. Esses juizes do STF são canalhas e de canalhas se espera canalhices.

    Ontem se fez uma das maiores injustiças históricas desse país. Lula é inocente e seu processo foi todo montado nos subterraneos do poder desse pais. Todos os juizes do STF sabem da inocência e perseguição ao Lula e no entanto interpretaram a paródia da Justiça para condená-lo. E sabem também quem são os verdadeiros corruptos desse país porque militam no meio deles. 

    Que espécie de homem ou juiz dorme a noite sabendo que condenou um inocente? Ou inocentou bandidos como na caso JBS, Satiagraha e Castelo de Areia entre outros. A diferença dos ustras do regime militar e esses juizes é que esses não eram hipócritas e expunham a maldade. Os juizes do STF são covardes, torturam a mente de um prisioneiro inocente enquanto destilam o mel da maldade como o sorriso canalha de Carmén Lucia quando Rosa Weber definiu a prisão de Lula. Ou a indignação da Rosa Weber quando achou que poderiam associa-la ao HC de Lula.

    Juizes que sabem que  passarão à história da Justiça brasileira como verdugos, como traidores da Constituição expõe o quanto são desprezíveis, medíocres e incultos. Qualquer homem público honesto e de caráter deseja acima de tudo o reconhecimento histórico. Lula é um desses homens. Esses ministros do STF, com exceção de Lewandovski,  são homens públicos que tem a estatura dos temers, ustras, cunhas, fleurys, serras e aécios.

    PS. Não sei o que vem por aí, mas se passar a posse de armas de forma irrestrita pelo congresso, eu e minha família iremos embora do país. Tenho medo de, a semelhança do que ocorreu na família de Marielle, ocorra com minha família a brutalidade de um assassinato sem sequer ter o direito de ter os assassinos identificados.

      • Eu me lembro perfeitamente da

        Eu me lembro perfeitamente da atuação de Marco Aurélio e Celso de Mello na farsa do mensalão onde mentiras, manipulações, omissões foram usadas nas condenações dando inicio ao fascismo judiciário. O desrespeito as leis, o abuso nas prisões foram captadas pelos poderosos do país que tiveram a senha para gerar o golpe e as prisões dos petistas porque ali ficou conhecido o caráter dos canalhas do STF. Com exceção do Lewandovski não são juizes que assentam o STF, são fascistas.

        Lembrando que quando o fascismo se estabelece no poder, aceita a presença do grande capital e se impõe de forma disciplinadora, impedindo que as organizações operárias defendam a luta de classes (sindicatos, partidos políticos).

        O fascismo é caracterizado por uma reação contra o movimento democrático que surgiu graças à Revolução Francesa, assim como pela furiosa oposição às concepções liberais e socialistas.

    • Me perguntei isso ontem

      Me perguntei isso ontem mesmo, se os votos não seriam meros jogos de cena para cumprir o ritual da derrota de Lula por 6 a 5.

      Me perguntei se não fizeram esse ritual para não ficar algo tão esculachado quanto aquilo que chamaram de julgamento no TRF4 pelos 3 porquinhos.

      Entretanto, se foi combinado, também me pergunto: como se decidiu quem seria contra e quem seria à favor?

      Eu acredito que Levandovisky e MAM de fato foram sinceros e convictos em seus votos.

      Celso de Melo creio que viu a oportunidade de ficar bem, ou fazer as pazes com a História neste momento trágico do país (não consigo não lembrar da história do “juíz de m..”). Entretanto, apesar de tudo ele ficou bem comigo pela aula e principalmente pela espinafrada no General Vilas Boas, o General que não tem mais o comando da caserna.

      Gilmar Mendes vê longe e sabe que precisará defender os seus, e aproveita o palanque para achincalhar o PT e, sobretudo, mostrar que é sim o macho alfa do stf.

      Dias Tófoli éapenas segue o Gilmar.

      Rosa Weber brinda o direito mundial com mais uma tese covarde, o que me leva a pergunta-me se foi o Moro que desenvolveu esse “raciocínio” de ontem. No mensalão foi a condenação sem provas com permissão da literatura, ontem foi o voto contra a convicção para respeitar uma maioria que não existiria sem o voto dela. Me pergunto ainda se o voto dela de ontem não foi um patético pedido de socorro ante a covardia em enfrentar quem lhe apontava as armas.

      Alexandre de Morais dispensa comentários. Não deveria sequer chegar perto do prédio do stf.

      Luiz Fux também dispensa comentários, um mero burocrata e integrante de casta.

      Barroso, Fachin e Carmem Lúcia são o que diz o post – meros oportunistas, carreiristas e marqueteiros. Mas possui um medo terrível da Rede Globo.

       

      E compartilho do seu temor: os fascistas são tão covardes que, uma vez armados, não hesitarão em investir contra nossas crianças.

  39. Lula está lutando por Justiça

    Lula está lutando por Justiça e Liberdade. São dois bons motivos para eu estar do lado dele, e até o fim!!

     

  40. Nassif;
    O Moro redigiu o 

    Nassif;

    O Moro redigiu o  voto que a Rosa leu. para recordar o que os dois faziam no processo do mensalão.

    Pobre mulher, sem dignidade!!!!

    Basta, está para transbordar 

    Genaro

  41. Belo texto do Nassif. Usando

    Belo texto do Nassif. Usando palavras menos elegantes,  pode-se afirmar que todo o aparelho de Estado está a serviço da Casa Grande e a Casa Grande a serviço do Império. Não tenhamos dúvidas: o povo da Senzala comerá o pão que os golpistas amassaram.

  42. Amém, Lula

    Amém, Lula!
    Como de costume, sequer saí do Plenário. Não que me sinta a vontade neste lugar, absolutamente. A pompa, o mármore lustrado, a estrutura imponente não são pregações minhas. Mas ali me colocaram e por ali fiquei. Não cerrei os olhos em vida para injustiça e tampouco os fecharia depois de crucificado.
    Nestes tempos, que procuradores invocam meu santíssimo nome para jejuar pelo açoite, eu, que com sede sequer estava, amante da liberdade, senti o dever de dizer que sinto mesmo é fome, a mesma dos que há tempos não degustam os justos. Assim, sequer notei o jejum da hipocrisia, que, com mesas fartas, incrementada de penduricalhos, emborcam o prato publicamente para se fazer de rogado.
    De antemão já esclareço aos meus pares, com a data vênia, cujo uso recorrente muitas vezes é uma desfaçatez, que não me julgo superior a ninguém. De toda sorte, sabe-se lá por qual motivo, talvez crença ou devaneio, pregado fui acima de suas Excelências, com pregos nas mãos, joelhos e pés. Esqueceram, porém, da mordaça. Sorte minha ainda poder falar algo que importa. Se em vida não me calei, menos ainda faz sentido agora quando já estou despido dos valores terrenos.
    E, para deixar assentado que de apregoação bem conheço, percebi a forma como apregoado o processo foi. Na marra, na força, com o receio de apequenar o julgo. Apequenou! Verdade mesmo é que, diminuído a cada pauta, já não éramos grandes a ponto de se apequenar (desculpe-me a pessoalidade de quem há anos cá está sem vontade própria). Mais umas duas ou três pautadas, quem sabe me tirem deste sacrifício, deste crucifixo adornado de tudo que repugno.
    O causo, não tenho dúvidas, era simples. Simples também, mas aqui já não posso julgar, dizem ser o réu. Não importa. Não o julguei. Enquanto ele era julgado, julgava eu se julgaria os julgadores! Nunca julguei ninguém em vida e não seria agora, de pés a mãos atadas, alçado a patamar mais alto do que mereço, que julgaria Suas Excelências, embora o saiba que abaixo da indumentária, são homens e mulheres, iguais aos demais, assim como já fui um dia e como outros tantos ainda hão de ser.
    Deixei-os muito a vontade, pois. Melhor dizendo, passei despercebido. Pudera, Sua Excelência, a Presidente do Conselho dos Justos, dava-me as costas e não me atrevi a atrapalhar o que pautado foi depois de muitas pauladas. No altar, pequeno estava e pequeno fiquei durante os debates, sem que daí se conclua que fui apequenado. O que me interessava era justiça e bastou ouvir as primeiras cantaroladas para que o enjoo me acudisse. Resisti! Assisti até o veredicto, embora menos verdadeiro e menos dito do que esperasse que fosse.
    Atento ao que julgado era, colhi de tudo um pouco. Insisto, só tive uma causa. Fui réu. Nem mesmo Dr. Batochio, defensor da justiça, com sua impressionante oratória, se vivo já fosse àquela época, seria capaz de espiar meus pecados. Sempre pecamos e os olhos que passam ao lado são os que nos julgam. Há um desejo insaciável do homem por chicotear o próximo. E sempre lutei contra!
    Após enfadonhos votos (ó, como gosto do silêncio, da reserva, porque diabos aqui me puseram?), percebi dois dos que mais próximo a mim estavam, aparentemente mais sábios, decanos talvez, conseguindo bradar por algo que lutei enquanto vivo: o justo.
    Tudo o mais foi obra dos apóstolos, certamente não estes onze que agora se encontram apostos um pouco abaixo de meus pés.
    Certo é que passados mais de dois milênios nunca permiti, expressa ou tacitamente, que se apreguem homens pelos seus pecados, ainda mais por uma injusta justiça. Posso afirmar com conhecimento de causa que pregos doem! Feitos para fincar-se no concreto, rasgam com facilidade o corpo, a alma, o ser.
    E como posso entender o que é ser justo? Dias atrás, neste mesmo palco (quem dera fosse um teatro de verdade…) apesar da boca na botija, quando não com a botija já na boca, estes mesmos julgadores deram clemência a outros homens? Não preciso nominá-los.
    Decerto não eram piores ou melhores deste que agora suas Excelências julgam. E, se em vida entendi que é justo tratar com igualdade, após morto percebi que este valor é essencial. Então, se meus ensinamentos de algo valessem, não fossem estes sábios terrenos mais profícuos, diria que o julgado justo não foi.
    As demais questiúnculas, o voto pela forma em detrimento do conteúdo, são questões que me assolam. Na verdade, o formalismo, desde antes, agora e talvez para o sempre, não deve superar a essência. Mas superou! Nunca me imaginei negando clemência pela falta de chinelos, de vestimenta, de forma, pois procuro julgar o que me assemelha. E despido de indumentárias, somos iguais.
    Culpado ou não, repito, Excelências, justo o julgado não foi!
    Podem até achar argumentos nas palavras que não escrevi, fruto de seus próprios raciocínios, mas não encontraram jamais algo parecido com à justiça que em vida preguei. Não preguei ódio! Não preguei rancor! Não preguei desunião! Não preguei guerra! Não preguei morte! Não pregue intrigas! Não preguei o pecado! Não preguei a diferença! Preguei a igualdade, inclusive pregado fui e cá estou por tal motivo. Só não me digam que este processo foi apregoado para agigantar a Corte, agora muito mais miúda.
    Não vejo o momento de sair daqui!
    Silente, já sem câmeras, luzes ou os brilhos incandescentes que me incomodam, orei, em silêncio para os que sintam fome de justiça achem algo para saciá-la; orei para não jejuarem falsamente em meu nome; orei por mais igualdade; não orei para que prendessem ou outros que foram soltos por Suas Excelências para fins de justificar este injusto julgamento. Perdoei o pecado julgado e os julgadores do pecado.
    Amém.
    Por Hallyson Jucá, 05.04.2018

  43. Eu tô tão cansada disso tudo …

    Quando é que toda essa maldade e injustiça terão fim? A gente luta, luta, luta dentro das regras, dentro da Lei, e espera que a lei seja cumprida. Aí vem um bando de canalhas, e muda as regras, reescreve a Lei ou simplesmente a enfia do c … de cada brasileiro. É nauseante, desanimador, revoltante … um dia só nos restará o uso da  violencia fisica, por que tudo de nós já foi tirado.

    • Cansaço
      Eita,Maria!
      Mas esses dias da violência já começaram:
      Não vês o noticiário policial não??
      Os pobres q se cansaram e têm CORAGEM já estão atuando…
      Só não vê quem não quer…

  44. A prisão de Lula ė crime
    A prisão de Lula ė crime político destes que visam silenciar lideranças de oposição através de prisões políticas e assassinatos, vide o caso Marielle Franco…
    ….aliás, o STF não nos surpreende neste pais cuja histöria se resume a golpes, fartos no sėculo passado, quando ocorreram nas dėcadas de 30, 40, 50 e 60, com apoio firme da Måfia dos Bacharėis, Globo/imprensa, empresariado e militares.
    Dito isso, resta-nos observar:
    1- quantos golpes de Estado ocorrerão neste século que mal começou…
    2- cada golpe dura enquanto dura o silencio da resistencia popular…
    #LulaLivre

  45. E pensar que pessoas

    E pensar que pessoas duvidaram das palavras do jucá: “precisamos estancar a sangria, com supremo, com tudo, já falei com alguns generais(?) eles estao ou vão monitorar o mst”. Realmente estancaram, pois esse conluio (entre mídia, supremo, exercíto e as elites), finalizaram o GOLPE. Impediram a candidatura do Lula. E, infelizmente este povo não consegue ver. Lavagem cerebral funciona mesmo. Pena.

  46. O odor fétido no voto de rosa weber

    O odor fétido no voto de rosa weber

    O principal aspecto do voto de rosa weber foi o seguinte: quando um juiz relata e discursa pomposamente sobre uma ação durante mais de uma hora sem expressar absolutamente nada que pudesse apontar para sua decisão a respeito, uma coisa é quase certa: preparou-se para votar de um jeito ou do jeito contrário, a depender das circunstâncias da hora, da fala de um general ou da ameaça de um plim-plim, por exemplo.

    Para não dizer de outra forma, não hoiuve boa fé nisso.

  47. STF
    Supremo Tribunal Federal altera Cláusula Pétrea da CF por maioria simples de votos mas livra Aécio e Renan em respeito ao princípio da separação dos poderes…

  48. PRÓXIMO PASSO DO GOLPE: REESCREVER A HISTÓRIA

    Já ficou bem claro qual vai ser a próxima “jogada de mestre” da direita golpista brasileira: REESCREVER A HISTÓRIA!

    Além do monopólio midiático que garante a eles o domínio da narrativa do Golpe eles precisam dominar a narrativa histórica sobre os eventos que aconteceram. Isso já está acontecendo com a produção de livros e filmes sobre o assunto.

    1-HISTORY CHANNEL E O “GUIA POLITICAMENTE INCORRETO”

    2-FILME “LAVA-JATO A LEI É PARA TODOS”

    3-FILME “A HISTÓRIA DO REAL”

    4-SÉRIE DA NETFLIX

    Porém ainda existe um obstáculo que eles não conseguem derrubar:

    OS INDICADORES SÓCIO-ECONÔMICOS DO GOVERNO LULA!!!

    Podem ter certeza que o próximo movimento dos golpistas vai ser tentar apagar ou maquiar os imbatíveis indicadores sócio-econômicos do governo Lula.

    Eu já vi diversas tentativas e ensaios nessa direção ocorrendo nas redes sociais. Em breve elas vão tomar forma… com o impeachment da Dilma também foi aos poucos… 

  49. E a Rosa Weber, heim?!

    Depois da pérola “não tenho provas, mas a literatura jurídica me permite condenar”, conseguiu produzir outra mais brilhante ainda: “sou contra a prisão antes do trânsito em julgado, mas vou votar a favor”. E, ainda, para afastar eventuais dúvidas da plateia, acrescentou: “Quem me conhece nos meus 40 anos de profissão não poderia ter dúvida sobre qual seria meu voto”.

    Heim?

    Oremos!

  50. chocado mas não surpreso

    Não assisti o julgamente, afinal minha saúde não me permite tais abusos. 

    Nem tenho gosto pelo linguajar dos juizes e advogados.

    Não estou surpreso pela mudança de alguns dos votos. Aliás já o esperava, principalmente o da ministra R.Weber

    Natural. Depois, lá na frente, desfazem o que fizeram e tudo bem.

    Se analisarmos as coisas pela óptica da ciência politica, tudo se encaixa e é tudo mais fácil de entender.

    A unica coisa que ainda não tenho a certeza é que está realmente por trás disso tudo?

    Os EUA ou o grande capital nacional, ou os dois?

  51. A velhaca da Rosa na outra
    A velhaca da Rosa na outra votação pediu a palavra pra explicar que não estava votando o HC e sim a possibilidade de ser votado pelo plenário do “supremo”. Nessa hora pela irritação dela ao explicar no fim daquela votação, ficou claro que ela votaria contra Lula ganhar o HC.
    Só não enxergou isso os iludidos pelo republicanismo.
    Lula tem que manter candidatura e já ter uma carta forte na manga para transferência de votos. Mantendo a candidatura e fazendo greve de fome vai impor um derrota nesses caanhas golpistas corruptos fascistas, chamará a atenção da ONU e do mundo como preso político a pressão social deverá ser radicalização para que ele seja libertado e possa quem sabe concorrer e ser inocentado desse verdadeira farsa da farsa a jato/ PIG / CIA.

  52. Com o Supremo com tudo
    Com o

    Com o Supremo com tudo

    Com o sabor da discórdia plantado

    Com a desunião e a desesperança 

    Com a sede de poder inenarrável 

    Com a desfaçatez de uma fake news

    Com o supremo, contudo

  53. Esquerda Pós-Lula: quando começa a “Revolução de Arkx”???

    Sem o maior “obstáculo da esquerda” no Brasil, finalmente vamos dominar o poder…

    AGUARDO INSTRUÇÕES DO NOVO MENTOR DA ESQUERDA: ARKX, O SÁBIO!!!

    Confesso que estive errado todos esses anos achando que Lula era indisénsável para o desenvolvimento da esquerda nacional… como eu era ingênuo… não via que Lula era “agente infiltrado da Cia”, criava o fascismo e tramou o golpe contra Dilma…

    Mas agora são novos tempos… sem Lula… temos espaço para as “geniais novas lideranças”…

    Onde estão??? Alguém viu???

    Agora que Arkx finalmente se livrou de Lula vem aquela segunda parte do plano… aquela hora mágica… da realização da utopia que ele tanto descreveu em seus textos… agora vem a união da esquerda… as novas lideranças… os partidos que sabem o que fazer(diferente do demonio do PT)…

    Onde está o Farol de Alexandria uma hora dessas??? 

     

     

    Deixa eu adivinhar… deixa eu adivinhar… era só panfletagem de internet??? 

  54. …Lula e o Habeas Corpus….
    …Lula e o Habeas Corpus…
    .
    Nem sempre é um privilégio ver momentos históricos emblemáticos, diante dos nossos olhos, estarmos participando daquele processo. Alguns desses momentos nos humilham, enquanto seres humanos e cidadãos. Causam uma perplexidade de pedra.
    .
    O dia 04 de abril de 2018 ficará marcado como um desses dias. Um dia infame, um dia de covardias inomináveis Um dia que colocará o nome de todos os ministros do Supremo Tribunal Federal do nosso país na História, de um modo que jamais poderão apagar, redimir-se. Como registrará, igualmente, a indignação, a perplexidade, o sofrimento moral dos dois ministros que mais pareceram apreender a miséria, o horror, o erro crasso cometido pelo Tribunal neste dia: Marco Aurélio de Mello e Ricardo Lewandowski, que mais do que “votarem a favor de Lula”, revelaram a nudez hedionda de uma presidente indigna do STF, Carmen Lúcia, a “que não cede a pressões”, como desmascararam a vergonhosa indiferença dos ministros que votaram contra o Habeas Corpus com uma regra expressa da Constituição: que ninguém será preso sem que haja sentença condenatória transitado em julgado.
    .
    A parcela enferma da sociedade, celebra. Os movidos a nojos, ódio e fanatismos. Celebram os poderosos, a família Marinho e seus serviçais, Merval Pereira e sua trupe, celebram os que perseguem e massacram Lula há anos, numa obsessão perversa, Moro, Janot, os procuradores da Lava Jato, parte da Polícia Federal. Celebram os cegos, os que se deixaram inocular pela religião do “nojo de Lula”, celebram os narcísicos toscos de uma elite social e uma classe média, elas mesmas, maiores responsáveis por suas ações e omissões seculares, por sermos o que tanto gostam de afiançar: “um país de merda”.
    .
    Tenho por mim, baseado apenas em intuição, que o sentimento de Lula sequer abriga revolta ou ódio…. Certamente está perplexo e indignado, entristecido, com a paga que lhe dá o país que ELE COLOCOU NO MAPA DO MUNDO PELA PRIMEIRA VEZ, com um respeito e admiração que nunca, jamais, o mundo nos havia concedido antes….
    .
    Tenho por mim, baseado de novo apenas em intuição, que Lula está cem vezes mais pesaroso por causa do país que presidiu, do que por ele mesmo, a tristeza de ver o país que ele tentou como ninguém CONCILIAR, em movimentos de PAZ, de republicanismo, do respeito à liberdade de imprensa, respeito às instituições, se transformar nesse esgoto fascista que viramos. Deve pensar no povo humilhado e sofrido que teve esperanças, oportunidades e ascensão social pela primeira vez na História do Brasil. Deve pensar nos milhões de desempregados e nos milhões que hoje voltaram a fazer parte do mapa da fome da ONU…..
    .
    Lula perdeu nesse processo, seu “bem mais precioso”, a companheira de décadas, Dona Marisa. Talvez se sinta confortado em saber que ela não teve que ver a sessão vexaminosa e degradante de ontem, nem o verá ser levado preso à masmorra da república do Paraná, talvez a essência de tudo o que há de perverso, sórdido, canalha, nesse Brasil grosseiro, vulgar, medíocre, injusto, nesse Brasil banhado em vilanias.
    .
    Lula é um homem que, por si, nada tem a temer ou a perder, ele, mais do que ninguém sabe quem é, o que viveu, o que venceu, para se tornar o líder mais aclamado e respeitado de seu tempo.
    .
    A vergonha é, TODA ELA, nossa, de toda a nação! Vergonha para os que lutamos pouco para impedir esse horror, vergonha para os indiferentes, vergonha para os que celebram, vergonha máxima para os agentes públicos que nos trouxeram até aqui.
    .
    Em relação à justiça, à História, à sua biografia, em relação ao mundo todo, Lula não precisa nem precisará jamais de um “Habeas Corpus”, é inocente, e seu processo a farsa das farsas. Como foi farsa o julgamento do dia 04 de abril de 2018.
    .
    O dia de sua prisão, êxtase dos seres bestiais que o odeiam tanto, será o dia da vergonha absoluta para os seus algozes. Um dia definitivamente marcado pela infâmia.
    .
    Os seis ministros do STF que indiferentes a essa verdade votaram contra nosso maior líder popular, hão de estar vivos para verem seus nomes jogados no opróbrio mais absoluto.
    .
    Para estes, não haverá perdão ou habeas corpus que dê jeito.

  55. Ótima autópsia, Nassif

    Eis os vivos e os mortos; dos que vivem e  defendem a Constituição aos pragmáticos que se enterram com os vampiros do Brasil. Nesse teatro de horrores, começamos perguntando como esses mortos conseguem ser tão descuidados consigo mesmos, com a  própria reputação, expondo  sem pudor e amor próprio  seus  limites intelectuais e “invirilidades” argumentativas. E ficamos recordando  aquelas tarântulas para as quais a “virtude é acocorar-se  em seus pântanos, dizendo aqui eu não mordo ninguém e saiu do caminho de quem quer passar” (Nietsche). 

    Impotência que devém da relação de dependência entre o STF  e Globo, da relação de senhor e servo,  sem liberdade e autonomia. Se o  STF quisesse ressuscitar teria que romper essa relação de dominação que conduz  e paralisa seus movimentos. Como? Enquadrando a Globo. Há farto material para ações judiciais. Se não  a cassação da concessão,  ao menos marcos regulatórios para a mídia. Sem limites, os Marinho continuarão a ser a “família real” do Brasil, monocrática e plutocrática, reunindo em si os poderes da república e prostrando-os à servidão voluntária.

    Neste sentido, vale uma reflexão ética sobre os ministros que votaram contra o HC de Lula, porque ética implica liberdade de escolha, coisa que não existe porque  há ministros carreados por interesses alheios ao cumprimento da Carta Magna.  Num dilema ético, eles poderiam sentir-se incomodados por ter que escolher entre queimar o filme com o governo que os indicou (caso estivesse comprovadamente envolvido em corrupção) ou cumprir o que determina a Constituição. Entretanto, não fizeram nenhuma coisa, nem outra. Ao negarem o  HC cometeram uma tripla falta ética: feriram a Constituição, sem que os crimes tenham sido provados, sem dar chance à presunção e inocência e ao trânsito em julgado, e sem vergonha desnudaram-se: traidores e arrivistas, sem compromissos  com os cargos que ocupam. o Estado de Direito e os os cidadãos brasileiros.

  56. Ótima autópsia, Nassif

    Eis os vivos e os mortos; dos que vivem e  defendem a Constituição aos pragmáticos que se enterram com os vampiros do Brasil. Nesse teatro de horrores, começamos perguntando como esses mortos conseguem ser tão descuidados consigo mesmos, com a  própria reputação, expondo  sem pudor e amor próprio  seus  limites intelectuais e “invirilidades” argumentativas. E ficamos recordando  aquelas tarântulas para as quais a “virtude é acocorar-se  em seus pântanos, dizendo aqui eu não mordo ninguém e saiu do caminho de quem quer passar” (Nietsche). 

    Impotência que devém da relação de dependência entre o STF  e Globo, da relação de senhor e servo,  sem liberdade e autonomia. Se o  STF quisesse ressuscitar teria que romper essa relação de dominação que conduz  e paralisa seus movimentos. Como? Enquadrando a Globo. Há farto material para ações judiciais. Se não  a cassação da concessão,  ao menos marcos regulatórios para a mídia. Sem limites, os Marinho continuarão a ser a “família real” do Brasil, monocrática e plutocrática, reunindo em si os poderes da república e prostrando-os à servidão voluntária.

    Neste sentido, vale uma reflexão ética sobre os ministros que votaram contra o HC de Lula, porque ética implica liberdade de escolha, coisa que não existe porque  há ministros carreados por interesses alheios ao cumprimento da Carta Magna.  Num dilema ético, eles poderiam sentir-se incomodados por ter que escolher entre queimar o filme com o governo que os indicou (caso estivesse comprovadamente envolvido em corrupção) ou cumprir o que determina a Constituição. Entretanto, não fizeram nenhuma coisa, nem outra. Ao negarem o  HC cometeram uma tripla falta ética: feriram a Constituição, sem que os crimes tenham sido provados, sem dar chance à presunção e inocência e ao trânsito em julgado, e sem vergonha desnudaram-se: traidores e arrivistas, sem compromissos  com os cargos que ocupam. o Estado de Direito e os os cidadãos brasileiros.

  57. O ínfimo pelado e sua satrapia
    Nassif, a bolsa de valores de ontem fechou em alta de apenas 1,01% apenas devido à demora do TRF4 em comunicar ao Moro que este poderia mandar prender Lula, o que já foi providenciado antes que a tarde terminasse. Até o final do pregão de hoje o “paciente” (como os “doutores” chamam o réu) em questão deverá se apresentar à PF em Curitiba, sob pena de ser caçado depois de cassado e arrastado até o cárcere, mesmo sem o uniforme de presidiário consagrado em charges, bonecos gigantes e imagens profusamente distribuídas pela mesma entidade que ora fecha em alta, depois de patrocinar sua derrocada em tempo recorde. O mercado.
    Não houve foguetório ou ribombar de panelas aqui em Perdizes, embora na avenida Paulista espoucassem muito fogos esparsos nas redondezas da Fiesp e sedes de banqueiros. Nesta sexta, com certeza, o cheiro de pólvora e o estrugir das baterias de rojões serão prontamente ripostados pelos latidos dos cães incomodados com tanto barulho por nada, pois seus donos nem mais envergam a camisa da CBF neste final da copa da globo-estadão-fsp-veja. Por aqui, já perdi a calma mais cedo, diante do aluvião de posts colocando a culpa por tudo isto em Lula/Dilma/PT, que não fizeram nada contra tudo isto por quê não quiseram e agora irão sofrer as consequências. Antes, porém, que tratem de indicar o Requião Ciro Boulos Flávio Dino que vai substituir Lula na campanha presidencial, tudo numa pressa urgentíssima, pois quem garante que o mesmo não será estrebuchado por um conterrâneo armado com peixeira prontamente fuzilado em seguida? Nesse caso, a própria Globo-FHC-Serra-Aécio-Jucá e Alckmin exigirão séquito fúnebre com honras militares e iniciarão campanha para a Academia de Estocolmo outorgar o Nobel a tão valoroso defunto, perdão, petista transitado em julgado-condenado e executado com a celeridade que caracteriza nosso judiciário. Talvez então termine essa enxurrada de acusações via webb contra esse operário nordestino que perdeu três candidaturas à Presidência para em seguida ocupar por quase quatro quadriênios consecutivos o Palácio Planalto, como presidente de coalisão – essa expressão que explica a razão pela qual Lula e Dilma foram mais reféns dos vinte partidos políticos do que mandatários independentes, que não fizeram mais por conta do PT de ambos dispor de apenas 27% dos parlamentares da frente ampla ou base legislativa que lhes permitiram realizar aquilo de que ninguém se lembra mais – retirar 30 milhões de pessoas da miséria e melhorar a vida de outros 30 milhões de brasileiros em situação de penúria remediada -, exceto os 60 milhões de beneficiados e seus familiares, claro. Para tanto, ambos adotaram uma “neutralidade democrática” que despolitizou seus feitos e impediu que concedessem cargos e postos chaves aos militantes petistas (o que deu origem ao Psol que, descontente, auxiliou no impeachment de Dilma muito embora agora tente negar essa atuação de milícia tucana), distribuindo-os entre os sete aliados do Pt – Pmdb, Pdt, Pp, Prb, Psb, Pc do b e Pr. Sem mídia, sem história contemporânea como disciplina obrigatória nas escolas (para registrar seus feitos históricos, hoje invisibilizados), negociaram cargos de um lado e emendas do outro, tendo ainda por cima de contentar os velhos sindicalistas que comandam o Pt, certamente responsáveis pela indicação desses integrantes do STF que agora os incriminam e perseguem – em sua maioria oriundos da Justiça trabalhista, que antes da Lava Jato era considerada a mais venal de todas elas e agora jaz esquecida, tanto devido à desindustrialização, desemprego e pela ascensão do rentismo e financeirismo que dão cara ao mercado, juntamente com o agrobusiness made exportação, como pelo golpismo judicial bem sucedido de primeira instância e instância suprema que substituiu o fardamento militar de 64 pelas togas fora de moda de 2016 em diante, tudo sob o comando desse 0,1% da população que é a classe dominante, dona de metade da riqueza produzida no país. Este é o poder pelado com a mão no bolso e o olhar em Bolsonaro que se descortina aqui e agora, com seus ministros mais inspirados se compadecendo dos jovens sem escola e emprego presos com maconha, sem mencionar que se trata de presos diferenciados, uma vez que a maioria dos drogaditos vivem das sobras que restam do refino de pasta base de cocaína, o crack que, encharcado de solventes orgânicos, frita os neurônios de seus usuários – tudo para a inspiração dos cocainômanos mais ricos e vistas grossas desses ministros, que até hoje nada fizeram contra o senador Zezé Perrela, amigo de Aécio e dono do helicóptero apreendido em 2013 com 445 quilos de pasta base, o suficiente para render cinco toneladas de coca refinada para nossa elite econômica prosseguir nessa guerra de extermínio contra a cidadania remanescente ou sobrevivente, como é o caso deste ex-preso político dos anos 60 que aqui desabafa, clandestino e anônimo ante essas velhas forças repressoras que ressuscitam o comunismo (que todos viram ser enterrados na cova do nonagenário Fidel Castro, há dois anos, em Cuba) como pretexto para essa tortura que assola a Nação na hora que passa, em nome do deus mercado e seus corruptos sátrapas de capa preta…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome