O Jogo está mudando de fase, por Jandui Tupinambás

Por Jandui Tupinambás

Desde a posse de Dilma Rousseff que cada dia é um dia delicado na política brasileira.

Uma onda que só vem crescendo em direção aos banhistas. A onda está por quebrar. Sinto que estamos no pico da crise. Por isto mesmo, como disse a própria Dilma em um discurso marcante, um dos melhores momentos para se criar oportunidades.  

Lula na casa civil sabe que pode usar com responsabilidade as reservas brasileiras para iniciar uma política de curto prazo de geração de empregos. Isto não bastará para um governo de sucesso em 2018 caso ele consiga voltar mas, bastará para esfriar o golpe e desmontar o estado policial.

Nosso mais grave problema é também o de todos grandes países: o retorno do capital acumulado seguindo em ascensão em relação às taxas de crescimento das nações, com exceção da China ( r > g ). A consequência disto é a explosão das desigualdades e acúmulo cada vez maior do capital.

A solução é teoricamente simples. Mas a sua execução exige senso estratégico, paciência e coragem.

De acordo com Thomas Piketty, temos duas saídas: ou encaramos uma terceira guerra mundial para iniciar políticas de distribuição após o mundo devastado ou as nações iniciam uma política de taxação progressiva do capital. Alguns países podem fazer isso de forma independente como China, EUA e Brasil pois são estados continentes. Diferente da Europa onde as ações precisam de mais coordenação e integração entre os países vizinhos.

Quanto mais desigual um país, mais acumulado se encontra o Capital e, portanto, maior é o retorno social de uma política de taxação progressiva. Por isso, o Brasil se encontra em posição privilegiada pois é um dos países mais desiguais entre os 20 países mais ricos do mundo.

No entanto, para iniciar esta taxação progressiva do Capital aqui no Brasil precisamos de dois pilares importantes:

a)       Um governo soberano de esquerda

b)      Um congresso que o apoie

Por isso, afirmo que estamos em um ponto altamente crítico. Para um governo de esquerda em 2018, é condição necessária que Lula na casa civil promova políticas para revitalização da economia. Esta talvez seja a fase menos difícil do jogo a se superar.  Conseguindo isto, as chances de Lula subir novamente a rampa do planalto (desculpe aí FHC) são muito boas.

E depois? Continuar nas mãos dos abutres do PMDB ou qualquer outro partido que ofereça maioria ao governo à base de concessões à direita? O Brasil já ultrapassou a fase “José Dirceu”, necessária, diga-se de passagem. Mas o próprio não apoiaria mais esta ideia.

Agora entramos em uma fase do jogo mais complicada. Olhos sem piscar na tela e dedos malandros no joystick.

A tática poderia ser a seguinte: à medida que a economia vai se reestabelecendo e os empregos vão surgindo, o governo, na voz de todos seus políticos com Lula e Dilma à frente, deve usar a rede nacional de rádio e TV para oferecer a todo momento contraponto ao Jornal Nacional e toda mídia golpista.  Aproveitar a oportunidade para alertar o cidadão a valorizar mais seu voto em seu deputado. Este último tema precisa de demandar esforços extras dos governantes para garantir o sucesso do segundo pilar. E, definitivamente, fechar a torneira das verbas de propaganda aos oligopólios da comunicação.

E não podemos esquecer do fim do financiamento privado das campanhas. A fiscalização deve ser intensa para coibir o caixa 2 acintoso. Neste contexto, a influência do capital poderia ser mitigada podendo trazer belos frutos à frágil democracia brasileira.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

38 comentários

  1. Reflexão

    Quero colocar uma reflexão para os colegas deste blog. A globo é mais forte que este governo. Ainda se fosse um governo do Lula, haveria alguma chance. Mas sejamos realistas. Os filhos do Roberto Marinho já devem ter ligado para o Temer e deram a ordem: “desembarca”, “vaza daí”. Os demais partidos vão por tabela. Pode ser por causa da mansão de Paraty, da filha do segundo filho, da concessão que acaba em 2018, mas o que importa é que a globo decretou a morte deste governo. E nenhum político é besta de se contrapor. Político, vamos esclarecer, que não seja de esquerda. E não vai adiantar regras melhores ou piores porque eles já fizeram as contas e estão certos da vitória. Já tem fiesp, oab, mídia, judiciário e boa parte do legislativo, sem contar a classe média. Portanto, o que nos resta a fazer? Pedir o penico. Vamos perder os dedos ou só os anéis? Sugiro que o Lula vá até a globo e pergunte: “O que vcs querem de nós?”, com muita humildade. Não adianta, quando um ladrão apresenta sua arma, temos que entregar algo e torcer para continuarmos vivos. Porque o que se desenha é o impechmeant da Dilma, a prisão do Lula e o quase fim do PT, com festa dos coxinhas no Brasil todo. O povo do PT não vai ter fôlego pra fazer a guerra contrária. Espero estar errado, torço para jogarmos a direita para o lixo da história, mas não é isso que prevejo. Peço suas considerações, torço pra mudar de ideia.

    • Pelo dominio de fato, os

      Pelo dominio de fato, os Marinhos estão foragidos em MIami, se mudaram a alguns meses pois sabiam que se ficassem aqui seriam levados presos.

    • Olha, nem sei o que dizer,

      Olha, nem sei o que dizer, mas minha ideia vai por aí. Acho que, a partir do Mensalão, a Globo capturou o Judiciário e agora está sendo a vez do Legislativo e, a partir daí, o Executivo. Se Dilma cair serão 20 anos (ou uma geração inteira) de retrocessos. Todavia, a esquerda não morrerá tão fácil, como seu viu ontem. 

      Nunca vou deixar de lutar e odiar a Globo por tudo que ela representa, mas é difícil lutar contra efeitos especiais, ainda mais quando um povo não se ajuda. Sei lá, mas as vezes eu acho que o Brasil merece o destino que tem.

    • golpe

      É chorando, literalmente, estou chorando várias vezes por dia, que concordo com você. E olha  que sou dos que estão tentando reverter o golpe. Fazendo meu trabalho de formiga, desde ir para a rua, até estar na internet há dias, enviando análises lúcidas tentando convencer os mornos e dando força para os já atuantes. Já escrevi para o STF, ( consultei se era legal uma presidente da república ser grampeada, me responderam rapidamente dizendo que a funçao do STF não era de consultoria, que deveria consultar um advogado. Sei que não me dão bola , porém sei lá, quem sabe um milhão de consultas sobre as inconstitucionalidades que vem sendo cometidas… ) para a OAB, para amigos, conhecidos.   Até rezar, eu que não  creio nem deixo de acreditar. Rezo assim: “Se vocês existem , forças do bem, por favor iluminem as pessoas deste país. Não deixe que uma maré negra de facismo e intolerância se abatam novamente sobre nós.”  Fica como sugestão para quem não crê nem discrê. Simplesmente aceita que não é dado ao homem conhecer. Então vamos a luta por um aqui, na terra, agora, no nosso tempo – melhor, para todos. Para todos. 

    • Reflexão para Desmobilizar

      Reflexão, Rachel, esse tipo de comentário é pura contra-informação, tentando abaixar nossa guarda e desmobilizar-nos, principalmente após as expressivas manifestações de ontem.

      Mais que nunca precisamos mostrar que não aceitamos o golpe paraguaio. 

  2. É um quadro inacreditável.

    É um quadro inacreditável. Mas que pode ser resumido. Faz dois anos que o país está sendo imobilizado e inviabilizado um coquetel de drogas: juiz psicopata visivelmente teleguiado, mais um garoto mimado que pensa que é presidente por herança divida, um consórcio de mídia mafiosa, um judiciario e polícia federal partidarizados e, claro, umas granas nacionais e internacionais financiando tudo isso. Resolveram que vao ganhar o poder e ‘lavar’ o pais, nem que isso custe o proprio país.

  3. Puxa! Que lindinho!

    Só tem um problema: isso tudo deveria ter sido feito há 12 anos atrás.

    Não foi feito naquela época, porque será feito agora?

    Não há nenhuma mais sutil e reles insinuação de que o governo fará isso.

    Se Dilma não foi capaz de fazer isso depois de eleita, com imediato respaldo eleitoral, e apresentar um governo com personalidade, com projeto e com coragem, porque ela faria isso tudo que o Tupinambá sugere quando está nas cordas???

    Se o governo sobreviver já será um milagre. Querer depois um supermilagre me parece esperar demais de um santo embusteiro.

    • The day after

      Aproveito para reproduzir aqui, um artigo publicado na quinta por Fábio Nassif, que mesmo que já possa estar defasado quanto às reais expectativas de Lula assumir com sucesso a Casa Civil, é bem menos ingênuo e bem mais realista que a nota do Tupinambá.

      Em síntese: torcer para o PT voltar a abraçar sua agenda histórica é o mesmo que, com a CBF que está aí, torcer para a seleção brasileira voltar a jogar futebol-arte.

       

      Lula na Casa Civil: o que muda para a esquerda?

      Por Fábio Nassif , qui, 17 de março de 2016, no Correio da Cidadania

      A presidenta Dilma Rousseff (PT) decidiu nesta quarta-feira nomear o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro da Casa Civil. Os impactos concretos disso são incertos. A entrada de Lula poderá dar uma sobrevida ao governo Dilma, como poderá levar ainda mais as investigações de corrupção para dentro do Palácio. Mas vale a reflexão: o que isso muda para a esquerda socialista?

      A primeira coisa que veremos serão suspiros de alívio e até comemoração de parte da sociedade que sentiu o baque das manifestações reacionárias e muito massivas do último dia 13. Faz sentido para quem enxerga que existe um golpe de Estado em curso, onde uma grande conspiração envolvendo as instituições da Justiça, a Polícia Federal, a grande mídia, empresários, as Forças Armadas e até o Obama estariam alinhadíssimos para derrubar Dilma.

      Outros setores, bem mais entusiasmados – inclusive por estarem bem mais encurralados – vão além: irão resgatar o discurso de que a entrada de Lula irá significar um giro à esquerda no governo. Para acreditar nisso é necessário uma boa dose de amnésia, de capitulação ou de uma crença mitológica absurda. Ou os três juntos.

      A força política de Lula é inquestionável. E ela é tão grande que demonstrou ter capacidade de domesticar boa parte do movimento social e construir aliança com boa parte da burguesia e seus representantes. Demorou, mas hoje qualquer cabeça pensante identifica que o projeto petista de poder foi balizado pela conciliação de classes e pela coalizão com parte da direita tradicional e com setores do grande capital, especialmente o tripé empreiteiras, agronegócio e capital financeiro (acreditem: tem gente que afirma que esta política conciliatória não daria certo, do ponto de vista da vertebração de um projeto de esquerda, há mais de 13 anos… O PSOL surgiu justamente em contraposição a este projeto).

      Os setores que estão comemorando a entrada de Lula no governo precisam decidir se isso significa um giro à esquerda do governo ou se o ex-presidente irá reestabelecer o pacto de classes que sustentou seus governos, abalado no governo Dilma. Se juntarmos estes dois aspectos em uma única pergunta teremos uma resposta negativa implacável: é possível fazer um governo de esquerda com uma reciclagem e ao mesmo tempo repaginar uma política de conciliação de classes? A resposta que temos pela experiência é: não!

      Vale a suposição, com único objetivo de fazermos uma análise conjuntural, de que Lula teria a intenção de dar a tal guinada à esquerda (acreditem: tem gente esperando isso há mais de 13 anos, argumentando que os governos petistas sempre estiveram sendo disputados à esquerda).

      Evidentemente, é preciso considerar antes de tudo a atual correlação de forças da sociedade, os desdobramentos da Operação Lava Jato, a reação da grande mídia, as movimentações de Cunha, do PMDB e do Congresso e, ironicamente, se está correta a esperança dos petistas de que o STF (o mesmo que julgou o “mensalão”) poderá fazer um “julgamento mais justo” de Lula, caso de torne réu, do que o juiz Sérgio Moro. Lembremos ainda que o cenário da conjuntura internacional favorável ao modelo brasileiro de exportador de commodities mudou bastante em relação ao período de auge do lulismo.

      Deste ponto de vista, Lula estava em melhores condições para aplicar o projeto petista em 2002, quando foi eleito pela primeira vez, do que agora como ministro. Não vivíamos uma crise política, econômica, social e ambiental como vivemos agora. Era o auge do pacto de classes. Mas muita coisa mudou de lá pra cá. Principalmente porque no meio do caminho teve junho de 2013, que fez massas explodirem com os podres pactos da República. Dilma, apesar de defensora do projeto de conciliação, não foi bem sucedida.

      A crise econômica é a mais grave pelo menos dos últimos 25 anos. O nível de desemprego crescente, a inflação exorbitante e a desconfiança dos mercados, que não deve ser ignorada, pois ela pautou os governos Lula, é enorme.

      Na política o cenário também não é fácil, nem para o projeto petista, nem para a classe trabalhadora (duas coisas bem diferentes). Há poucos dias, o PMDB deu passos para se afastar do governo, e, consequentemente, se aproximou mais da oposição de direita. Cunha, apesar de mais manchar do que ajudar o processo de impeachment da direita tradicional, deve também utilizar esta sua principal cartada para se manter no cargo. E a Operação Lava Jato segue tomando grandes proporções, agora com o bônus de não acusar somente os petistas, mas também grandes figuras do PMDB e do PSDB.

      A análise sobre a capacidade de Lula ressuscitar o defunto do projeto petista não pode se resumir à questão do foro privilegiado que poderá ter o ex-presidente. A reação exaltada sobre a entrada de Lula no Planalto, alimentada tanto pela grande mídia como por petistas, por motivos diferentes, segue a linha da insuportável falsa polarização e empobrece o debate sobre o futuro do país. Para os primeiros é um foragido da justiça, para os segundos é um exilado político.

      Boa parte das políticas que deram sustentação aos governos petistas também estão em xeque hoje. A começar pelas empreiteiras e grandes construtoras que foram fundamentais para a existência do PAC e do Minha Casa Minha Vida, por exemplo. O BNDES apostou aproximadamente metade de seus recursos nelas nos últimos anos. E, não por coincidência, foram as principais doadoras de campanha. Ou seja, são base fundamental do projeto de conciliação. Acontece que eles não poderão se reunir com Lula neste momento, pois estão presos. Algumas dessas empresas reduziram seu lucro e já fazem demissões em massa.

      O que poderá fazer Lula, por exemplo, para salvar os empresários da educação beneficiados com a contrarreforma universitária e que hoje assistem o número de matrículas cair e a inadimplência subir? O que fará Lula para acalmar a Fiesp e reverter a desindustrialização do país? O que fará para agradar os mercados e convencer a classe trabalhadora que sua perda de direitos valerá a pena?

      Pra quem tinha esquecido que a luta de classes existe e só lembrou disso no último dia 13, não pode nem se enganar e muito menos enganar a população de que a “volta” de Lula desliga este motor da História. O verdadeiro pedido é da ajuda a Lula em dar sobrevida ao governo Dilma, refazendo negociações mais amplas ainda com as elites e oligarquias mais retrógradas deste país, com os banqueiros, megaempresários e o agronegócio. E também com a grande mídia, que necessariamente terá que fazer parte deste acordo (como fez nos governos petistas anteriores).

      Para ser considerado um giro à esquerda, Lula teria que, em primeiro lugar, rasgar a Carta ao Povo Brasileiro. Teria que, não só frear a Reforma da Previdência de Dilma como desfazer a sua própria Reforma da Previdência. Teria que romper com as elites e oligarquias. Teria que fazer uma reforma política que democratizasse radicalmente o poder e os meios de comunicação. Teria que fazer a auditoria da Dívida Pública e deixar de pagar os banqueiros. Teria que fazer uma Reforma Agrária e Urbana de verdade. Teria que demarcar terras indígenas e quilombolas. Enfim, teria que fazer exatamente o oposto do que fez quando presidente. E não há nada, absolutamente nenhum sinal, nem pela conjuntura nem pela correlação de forças, de que ele fará isso.

      Quase tudo é incerto. Lula pode ou não ajudar a travar o impeachment de Dilma, pode ou não ajudar a trazer mais estabilidade política e econômica, pode ou não resgatar parte da popularidade do governo. Lula pode até fazer Dilma vestir bonezinho dos movimentos sociais. Mas é totalmente alucinatório considerar que Lula fará deste governo um governo de esquerda, pelo simples fato de que este não é o projeto lulista de poder.

      O projeto lulista de poder pressupõe a manutenção da engrenagem da democracia pautada pelas elites econômicas. Tem em sua essência exatamente o que está sendo categoricamente rejeitado em amplas camadas da sociedade, da nova geração de ativistas que foi às ruas em junho de 2013 à classe trabalhadora hoje desesperançada. O fôlego que Lula dará ao governo poderá significar a aceleração da morte estratégica deste projeto. E o pouco ar da esquerda socialista deve ser usado para organizar nas ruas os anseios por transformação radical da sociedade, verdadeiramente à esquerda.

  4. “No entanto, para iniciar

    “No entanto, para iniciar esta taxação progressiva do Capital aqui no Brasil precisamos de dois pilares importantes:

    a)       Um governo soberano de esquerda

    b)      Um congresso que o apoie”:

    Nao vai funcionar se Lula nao parar de repetir isso!  Se nao for assim, o povo brasileiro eh tao burro que mais uma vez elege Lula e um congresso inteirinho de oposicao.

    Quem tem que martelar isso em toda fala publica eh Lula.

  5. Essa insistência
    Em ignorar a necessidade do apoio das FORÇAS ARMADAS, que O Povo inclusive já tem, é que me deixa com a pulga atrás da orelha em relação a este plano.

    Até quando as esquerdas vão ignorar a realidade. O Brasil é um CONTINENTE inteiro.
    Pense sobre às implicações deste fato.

    No fundo, pensam ter sempre a solução de JANGO. Caso haja necessidade, vamos para a fazenda e não se fala mais nisso.

    Faça um plano completo! Plano capenga é ignorar possibilidades reais!
    C) Forças armadas OPERACIONAIS
    D) A bomba!!!

    Não é o que queremos Mas é o que precisamos!

    • assim que perceberem que o país é o mais prejudicado…

      acredito que dedicarão mais atenção e estudos

      imagine se estudarem e concluírem que estiveram no mesmo cabresto e nada fizeram

      • ninguém bota cabresto nos 3 poderes…

        querendo ou pensando em forças armadas livres

        se a próprio PF já andou aprontando nas fronteiras e nas pistas e fazendas de Minas

        imaginem se concluírem

  6. ingenuidade…
    se não há

    ingenuidade…

    se não há governo soberano de esquerda nem um congreesso que o apóie, acaboui o comnetarío…

    espero que só o comentario…

    sem contsr quer lula pode sr preso…

    eu preocupado com essas coisas, e tem gente comentando como 

    se estivéssemos num estado normal. no estado  de direito…

    procuro saídas pela intenet, informsações novas e nada…

    nennhu,a sugestão para reuinir as pessoas para resisitr…

  7. grampos em Lula…

    mas reparem que o que está sendo divulgado é apenas um amontoado de baboseiras particulares, e só, e principalmente após ele ter manifestado ou demonstrado interesse em tentar voltar a ser Presidente em 2018

    ninguém dá golpe para que tudo continue como está ou piore

    acredito que antes disso gravaram sua intenção, que pode muito bem incluir pontos principais do que foi colocado no post, e também, ou consequentemente suas ideias para corrigir tudo o que está errado e dificultando a saída da crise

    o golpe de hoje é para que as coisas não melhorem no curto e médio prazo

  8. Para mim…

    Já dispararam toda a artilharia pesada que tinham e, no frigir dos ovos, ela não passa de um traque. Se quiserem vir para o pau, estamos prontos para a guerra.

    • Estamos???

      A sim, era só figura de linguagem, hehehe. Bem brasileiro.
      Morri de rir.
      Sim estamos prontos para colocar nossa camisa vermelha e ir protestar. Será um carnaval.

  9. Eu li no blog do Eduardo

    Eu li no blog do Eduardo Guimaraes que a concessão da rede bobo termina em 2018 ? Alguem pode confrmar ? Se sim, olha que feliz coincidencia, eleiçao de Lula e fim da rede bobo. 🙂

  10. Faltou arrolar um terceiro pilar

    Além de um governo popular soberano e de um congresso que o apóie, é fundamental uma comunicação de massa que também apóie. Com a imprensa-empresa uma política distributiva nunca vai dar certo….

  11. Tenta pedido de informação,
    Tenta pedido de informação, lei 12527/2011. São obrigados a fornecer informações públicas. Aí vc pergunta se é legal o fato descrito.

  12. Desenvolvendo meu assunto anterior

    Jandui, estou ocupado e li muito rapidamente, entao se estiver off-topic, eu sinto muito:

    Todos os votos de Lula no Supremo foram votos de pobre.  Todos, sem excessao.  Lula eh a primeira pessoa que tem que reconhecer isso:  ele vai por sentimento, simpatia, recomendacao, sorriso amigo…  tudo menos estudo.  E esse eh o voto do brasileiro sem recurso nenhum.

    Nao aponto isso para ser qualquer demerito:  olhe o que Dilma fez na Procuradoria e Ministerio da Justica.  Voto de pobre.  Eu nao quereria nenhum dos dois pra lavar meu vaso sanitario, muito menos nas posicoes que ocupam ou ocuparam.  Sao votos de pobres que nao tem Inteligencia a seu servico, nao tem relatorios, nao tem jornais, nao tem acesso a informacao historica nenhuma, nao tem servico secreto aa disposicao, nao tem exercito aa disposicao.  E nem se mencione judiciario.

    Esse eh o voto do pobre.  Ignorante.  Atrazado.  Primitivo.

    Essa eh a razao que Lula os eletriliza enquanto eles votaram nesse congresso e camara que voces estao vendo ai.

    Quem tem que explicar isso de novo e de novo pros brasileiros eh LULA e LULA SOMENTE.  Tem que ser parte integral do discurso dele.  De Lula, e dele somente.

    Nao vai colar de mim nem de voce nem do Nassif -note se que o Nassif ja teve magistrais sugestoes de decisoes governamentais aqui e nenhuma delas foi sequer lida por Dilma ou Lula.

    Nao adianta com a gente:  quem tem que destruir a extrema direita brasileira eh Lula e Dilma.

    No voto.

  13. Um governo soberano de
    Um governo soberano de esquerda e um congresso que o apoie.
    Isso já aconteceu na Venezuela, não tá dando certo, segundo eles há uma conspiração americana e da imprensa e da oposição. A saída seria acabar com o acesso americano, controlar a imprensa e eliminar a oposição. Mas isso tb está sendo feito na Korea do Norte do amado líder Kim Jon Un, da pra ver o resultado.
    A saída seria mudar para marte. Ficaríamos incomunicáveis e poderíamos realizar nosso sonho comunista. Aí sim daria certo. Se der errado pode ser culpa da NASA.

    • Falou sobre o que nao esta

      Falou sobre o que nao esta dando certo.

      Perfeito!

      Poderia agora colocar algumas sugestoes sobre como fazer para que o Brasil de certo?

      A direita eh muito boa para apontar o que nao esta funcionando. Isso eh muito facil. Vamor partir para a fase 2 da discussao. Vamos falar sobre o que precisa ser feito.

  14. Vamos falar com sinceridade

     

      Vamos falar com sinceridade sobre usar as reservas internacionais. Se o país paga juros para as ter, por que não usá-las? Claro, até o bobos descobririam que não precisamos delas como capital.

    Os economistas são os coxinhas dos EUA contra a soberania do país. Ao dizerem que as reservas são para dar credibilidade aos investidores tinham que ser presos por corrupção ativa de lesa-pátria.

    Ora, quê sistema capitalista é esse que, acobertado pela mídia, propaga que as reservas são boas para o país, mas, na verdade, o dólar não pode circular no país. Só serve para engordar juros calculados em trilhões? 

    Com isso, todo dinheiro com base no real é anulado, ou seja: trabalhamos para sustentar a manutenção do dólar: 1 – Todo o dinheiro com a população ou que circula no comércio não pertence as pessoas. 2 – se referem a déficits públicos (a bomba relógio que eles chamam de bolha).

    Ai, os palhaços que pedem que a Dilma faça um plano para impulsionar a economia acreditam em investimento externos que nada mais é do que a alienação das atividades, em fases da produtividade pelo cartão de crédito, e o crescimento do produto pronto paga apenas os juros com as exportações. A alienação do principal nunca acaba.

    Nisto, os Brasileiros têm que fazer impeachment é do capitalismo (captar valor) para os EUA.

     

  15. Prioridade é singular, não plural

    Primeiro desmontar o golpe na frente Judiciária: Gilmar no STF.

    Depois na frente política: Cunha à frente.

    Durante estes embates será necessário cuidado com a quinta coluna.

    É o bom combate!

     

  16.  
    Como se pode entregar os

     

    Como se pode entregar os pontos sem ao menos tentar reagir ?  Em ultimo caso, poderemos cruzar os braços. Gente, os trabalhadores que ontem se manifestaram na ruas, não estavam ancorados no apoio financeiro e midiático, muito menos, tiveram o apoio da embaixada americana. Globo, PF, PGR, STF, OAB, FIESP, e a puta que pario essa burguesia anti-Brasil, anti-Povo, são uns merdas.

    Todos estes canalhas, dependem da força de trabalho daqueles que ontem, dia 18, se manifestaram em defesa da democracia e dos seus líderes mais importantes. Claro que o projeto que vem sendo tentado, não é nem perfeito nem ideial, ainda bem. Se temos que recusar nesse momento são propostas das pretenças “vanguardas” de academia. Em 64, tivemos muitos desses “vanguardistas” que hoje estão com os tucanos tentando o golpe da velha UDN.

    Estão ai, Roberto Freire, José Serra, Aluysio Nunes, FHC, et caterva. Não queremos mais este tipo de traíras. VAMOS CRUZAR OS BRAÇOS, SE FOR NECESSÁRIO. Basta obstruir os vazos, impedindo a passagem do sangue que alimenta o tumor. Sem a força de trabalho, não há criação de bens, sem produtos… fudêu! 

    Orlando

     

     

     

    S DE DISPARAR UM TIRO SE QUER.

    Orlando

  17. O JOGO ESTÁ MUDANDO DE FASE

    Governo Federal – DILMA e LULA, tem que RETIRAR A PROPAGANDA OFICIAL NA GLOBO. 
    A CAIXA está financiando a GLOBO.
    Vamos abrir uma campanha para forçar o governo federal a retirar a propaganda oficial da GLOBO, VEJA, FOLHA DE SÃO PAULO. BASTA DE SER REPUBLICANDO COM ESSA ELITE GOLPISTA E ENTREGUISTA. 
    CIRCULEM PELOS SEUS CONTATOS NAS REDES SOCIAIS. 
    VAMOS PRESSIONAR O GOVERNO.

  18. Caso o golpe vingue, o nome

    Caso o golpe vingue, o nome do pais precisa ser mudado para Republica Federativa da Rede Globo.

    Brasil sera o primeiro, de muitos creio, pais (des)governado por uma rede de alienacao, digo televisao. 

    Nossa classe media eh simplesmente cega e acritica. Embarca nas inverdades da Globo e o faz alegremente. Logo,  merecem o que a Globo tem a oferecer: Sofrimento, desemprego, arroxo salarial e o inferno na terra.

    caso o golpe tenha sucesso a classe media, especialmente a Paulista tera o que faz jus. O inferno na terra.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome