O papel de Patrus em Minas

Do Valor

Patrus tem o mesmo espaço que Hélio Costa na propaganda eleitoral 

César Felício, de Belo Horizonte
10/08/2010

Candidato a vice-governador de Minas Gerais, o ex-ministro Patrus Ananias (PT), tornou-se o protagonista da campanha da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, em Minas. Ontem, Patrus assumiu a coordenação da campanha de Dilma no Estado e anunciou que a candidata fará pelo menos 11 viagens ao Estado até a eleição, indo a todas as macrorregiões mineiras. A primeira será hoje, em companhia do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em um comício em Belo Horizonte.

Patrus é o coordenador de programa de governo do candidato a governador, Hélio Costa (PMDB) e deixou claro que pretende participar da administração, se eleito. “Há um compromisso de colocarmos o que temos de melhor a serviço de Minas e eu tenho uma experiência acumulada, saí com 85% de aprovação da Prefeitura de Belo Horizonte”, afirmou. O ex-ministro lembrou que o seu vice na prefeitura da capital, Célio de Castro, elegeu-se seu sucessor e o vice de Célio, Fernando Pimentel – atual candidato do PT ao Senado – sucedeu-o na prefeitura.

EmtEm toda a propaganda visual de Hélio Costa, Patrus aparece com o mesmo destaque que o candidato titular. A página da chapa na internet, por exemplo, chama-se “heliopatrus15″. Um dos lemas da campanha é ” Dois homens, um só governo”. Apesar do PT mineiro ter sido forçado pelo nacional a aceitar a candidatura de Costa, não há dissidências no apoio ao pemedebista.

Em caso de vitória de Costa, que está com aproximadamente o dobro de intenções de voto do segundo colocado, o governador Antonio Anastasia (PSDB), a expectativa é que Patrus assuma a área social do governo, hoje considerada um flanco de Anastasia, que herdou sete anos de administração do candidato ao Senado e ex-governador Aécio Neves (PSDB). “É uma convocação natural, o próprio Costa tem dito que a área social é dele”, disse o deputado federal Virgilio Guimarães (PT), suplente na chapa de Pimentel.

A estratégia dos governistas em Minas é reforçar a identificação de seus candidatos com o presidente, de modo a impedir uma transferência de votos simpáticos a Lula para Anastasia, o candidato apoiado por Aécio. Para combater uma associação entre Dilma e Anastasia, além da vinda de Lula, os apoiadores de Costa fomentaram a formação de uma comitê suprapartidário destinado a fazer a campanha simultânea de Dilma, Costa, Pimentel e Aécio, uma iniciativa do ex-vice-governador Clésio Andrade (PR).

O comitê foi aberto ontem, sem a presença de candidatos majoritários, mas com a discreta aprovação de Patrus. “Este é um espaço que a legislação permite. Ninguém dispensa voto. Mas nós temos um outro palanque”, comentou Patrus. Além de Pimentel, compõe a chapa ao Senado pela aliança de Hélio Costa um dirigente do PCdoB, Zito Vieira, sem expressão eleitoral.

Lula deverá ir a Belo Horizonte apenas para participar do comício. Durante o dia, estará em Divinópolis, a 140 km da capital, para a inauguração de dois campi de universidades federais. Já Dilma tem chegada prevista pela tarde. Antes do comício, promete circular pela Praça Sete, o marco zero da cidade, para cumprimentar eleitores. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome