O poder do consórcio MP/imprensa compensa a falta da caneta presidencial

Por Juliano Santos

Comentário referente ao post “A Lava Jato e a nova classe dos intocáveis”

Eles trabalham pela recuperação do executivo, já que o judiciário, a mídia e agora com Cunha, até o legislativo já são deles.

Mas retomar o governo, ou seja a caneta, pelas eleições não dá, chegaram a essa conclusão.

Portanto ,vão enfraquecendo a presidenta, imobilizando-a, ela simplesmente não consegue governar (culpa dela também). Sendo assim, vai chegar o momento (assim pensam eles) em que o governo cai de maduro, ou chega arrastando-se morto-vivo em 2018.

Nesse processo, o Lula é inviabilizado, pela prisão ou outro recurso jurídico, e o PT criminalizado.

Vão querer enquadrar um partido inteiro na lei de ficha limpa.

Sem adversário competitivo, aí sim, pode ser que ganhem no voto. Pode ser, porque, ainda que um Ciro não chegue lá, na ausência de um petista, o voto nulo, em branco e as abstenções podem ganhar dos tucanos.

A retomada da presidência é o mais dificil para eles, mas o poder que o consórcio MP/PIG está adquirindo quase compensa a falta da caneta presidencial.

Mas o mais complicado vai ser controlar as reivindicações populares numa sociedade ainda muito injusta. O MP, e tão pouco o pig dispõe de meios físicos para reprimir quando a esquerda se unir de novo como no segundo turno. Os militares não estão dispostos a intervir a favor de um dos lados.

E a PM depende de cada governador. Talvez por isso preparam a tal lei antiterrorismo. Mas lei alguma resolverá a questão quando o bicho pegar.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora