Odair Cunha acusa deputados de protegerem Delta

Do O Globo

Relator acusa parlamentares de favorecer interesses de empreiteira

Chico de Gois

Para Marconi Perillo, texto derrotado era “maldoso e instrumento de vingança”

O relatório de duas páginas do deputado Luiz Pitiman (PMDB-DF) provocou duras críticas entre os integrantes da CPI do Cachoeira que trabalhavam pela aprovação do texto do relator, Odair Cunha (PT-MG). O próprio relator declarou que aqueles que votaram contra seu parecer estavam defendendo os interesses do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e da construtora Delta. Já Marconi Perillo divulgou nota elogiando o resultado final da comissão, que o livrou do indiciamento.

– O que derrotou nosso relatório foi a blindagem a Marconi Perillo e à Delta. Queriam que eu retirasse questões elementares do nosso relatório, que é o núcleo. Como não aceitei fazer essas alterações, fomos derrotados. Apesar do nosso esforço, (foi) uma pizza geral – reconheceu Odair Cunha. – A grande questão é que a CPI abriu mão de seu dever institucional, que é colher provas e a partir daí estabelecer conclusões. O relatório aprovado, infelizmente, é um nada, não leva nada a lugar nenhum, na medida em que o compartilhamento de dados já havia sido aprovado.

Na nota, Perillo disse que recebia com tranquilidade o resultado da CPI, lembrando que prestou depoimento por mais de oito horas e, em sua opinião, esclareceu todas as questões relativas a ele próprio e a seu governo: “Ao final do processo, onde tive investigados minha vida pessoal e meus três mandatos de governador, não conseguiram apontar um único fato que pudesse incriminar a mim ou a meu governo”.

O governador elogiou a derrota do parecer do relator petista: “Hoje, cumprimento os deputados e senadores que votaram pela rejeição deste relatório maldoso, direcionado, inconsistente e elaborado como instrumento de vingança de uma ala do PT”.

Durante a sessão, o deputado Silvio Costa (PTB-PE), conhecido por sua irreverência, votou contra o relatório de Odair Cunha, mas disse que Pitiman estava fazendo uma pizza “com T de trapalhada”:

– Não dá para o Congresso votar uma coisa dessa. É uma piada. Esse relatório manda a CPI fazer o óbvio: devolver para o MP e para a Polícia Federal. Não sei como um deputado tem coragem de apresentar uma coisa dessas – afirmou o parlamentar.

O relator obteve apoio do grupo de senadores independentes. O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), por exemplo, disse que, mesmo incompleto, o documento final era melhor do que nada:

– Esta CPI não é mais de Cachoeira, mas desmascara o maior esquema de corrupção do país, que é capitaneado por Fernando Cavendish. Mas precisamos ter relatório. É um relatório que pede indiciamento de Cavendish, que envia para o MPF sigilos e aponta as 21 empresas que receberam recursos da Delta.

Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que também integra o grupo de independentes, criticou as duas folhas apresentadas por Pitiman:

– Só uma bancada muito forte e sustentada ou estimulada pela Delta para promover o que fizemos hoje. Isso é ridículo, e não é possível que o Congresso vá dar sustentação a isso.

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), que votou favorável ao relatório de Pitiman, procurou fazer pilhéria:

– Quem pariu Mateus (a CPI) que o embale.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora