Os processos do governo de Goiás contra jornalistas

Do Diário de Goiás

Secretário de Marconi defende prática de processar críticos

O secretário de Estado de Articulação Institucional – recém-empossado — Joaquim de Castro (PSD), indica que o governo goiano pretende seguir com a política de processar jornalistas e críticos da administração. Atualmente, mais de 30 processos correm na justiça tratando de “supostas ofensas” feitas a Perillo por jornalistas, tuiteiros e blogueiros.

Mas, nesta semana, a novidade foi uma carta enviada pelo próprio Joaquim de Castro, ao Jornal O Popular, indicando que o governo poderia interpelar judicialmente um leitor, por uma opinião publicada na seção de Cartas do Jornal.

Em entrevista ao Papo Político, da CBN Goiânia, o novo secretário e deputado estadual licenciado defendeu a prática: “Estamos em hiato que não há a Lei da Imprensa e, em um país democrático, quem se sente ofendido, tem que procurar o Poder Judiciário. No que o governo ou governador foi ferido por críticas sem fundamento, a reação que o governo tem que ter, é procurar isso”, afirmou, à repórter Fabiana Pulcineli. O áudio completo da entrevista está disponível no site da emissora.

Na opinião de Castro, o governador utiliza apenas da Legislação vigente que é a civil ou a penal. “Quem extrapola vai responder na Justiça”, defende. Ainda segundo ele, as ações não visam “inibir quem quer que seja”, embora, sem dúvida, isso ocorra.

“Quem fizer uma crítica tem que fazer de uma forma embasada, não fazendo críticas de forma aleatória e leviana a um homem público”, finalizou.

Para ouvir a entrevista, clique aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome