Os tumultos e paradoxos do MPF, por Eduardo Ramos

Por Eduardo Ramos
comentário no post Por que Raquel Dodge não defendeu a liberdade de imprensa, por Luis Nassif

´Nassif, perfeito o desfecho do seu texto. Penso que muitos procuradores devem estar meio atônitos e desconfortáveis com tudo isso, porque na verdade, nos últimos seis anos o país entrou num abismo de paroxismos que cegou as pessoas, “parecia ser verdade” aquela febre do “O PT é o satanás do país, vamos combatê-lo….”.

Mas a febre está passando, o organismo social está recobrando fragmentos de lucidez, e isso incomoda!

A turma que é honesta, digna, tem que estar percebendo os excessos, os crimes, os absurdos….

Mas provavelmente se calarão por medo.

Só em um próximo governo as coisas talvez se normalizem um pouco.
Os próximos meses serão de muito tumulto e paradoxos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora