Para remediar tardiamente falta de agulhas e seringas, governo impõe barreiras à exportação

Ainda sem conseguir solucionar a falta de seringas e agulhas para a vacinação da população brasileira contra a Covid-19, governo publica portaria

Foto: Arquivo ABr

Jornal GGN – Ainda sem conseguir solucionar a falta de seringas e agulhas para a vacinação da população brasileira contra a Covid-19, o governo decidiu publicar uma portaria especial para dificultar a venda destes insumos para fora do país.

O Ministério da Economia, por meio da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), decretou a medida que passou a valer a partir do dia 1º de janeiro, limitando a exportação de seringas e agulhas.

Ambos insumos médicos entraram para uma lista de produtos que necessitam de “licença especial” para serem vendidos para exportação, ou seja, o acréscimo de burocracias para sair do país.

Outros produtos para o combate ao coronavírus já integravam essa lista, como luvas, máscaras de proteção, ventiladores, aparelhos respiratórios, entre outros.

Após o governo de Jair Bolsonaro não conseguir, em licitação na semana passada, a quantidade necessária de agulhas e seringas, por meio de um pregão realizado tardiamente, o governo decidiu impor a barreira para suprir a demanda nacional.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. Qual o problema?

    Ate copo, garfo, faca, canudinho e tabua de madeira para cortar alimentos sao importados da China

    O general logistico esqueceu de comprar municao sabendo que a guerra iria comecar?

    Eles so sabem comprar municao para matar?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome