Prefiro acreditar na ingenuidade dos que defendem a ditadura, por Lucien Freitas

 
Do JusBrasil
 
 
Lucian Freitas
 
Opto por acreditar na ingenuidade daqueles que a defendem. Talvez não compreendam a dimensão, se compreendessem não ousariam.

Essa foi a imagem compartilhada no facebook por uma página. Ao me deparar com ela, não pude me furtar de deflagrar meu conceito a respeito. Segue o conteúdo do meu post em contraposição à imagem:

“20 hidrelétricas? Ok! Mas a que preço? Primeiro a preço de sangue, assassinatos, atentados com bombas (No Riocentro, OAB etc.), demissões de concursados (até juízes), fim de direitos e garantias constitucionais como habeas corpus, exílios, ocultação de cadáveres, torturas, chacina do Araguaia (61 mortos mesmo após se renderem) etc etc etc.

Quando escuto brasileiros fazendo manifestação ovacionando a ditadura, penso que eles não podem saber o que estão dizendo. Quem sabe, não diz, se soubessem não ousariam. 20 hidrelétricas, bem como outras obras chamadas faraônicas como a transamazônica (inservível) ou a ponte Rio- Niterói, foram fruto de empréstimos com o FMI de forma que a dívida externa, de US$ 3,4 bilhões em 1964, vai a absurdos US$ 49 bilhões em 1979.

O rombo, todavia, fora jogado no colo da raquítica democracia que ainda engatinhava após 1985, ano que ruiu a ditadura. Pena que poucos estudam a fundo os verdadeiros porões da ditadura.

Famílias ainda hoje clamam pelos ossos dos seus. Entre mortos e desaparecidos pelas mãos dos famigerados DOI-CODI, CIE, SNI etc somam cerca de 434 pessoas (fora as cifras negras), tidos como” subversivos “por serem contra o regime totalitário. Tudo isso a mando ou com o consentimento desses DITADORES, sim, em caixa alta e SEM ASPAS”.

Pores da Ditadura

 
Lucian Freitas é Bacharelando em Direito e Cadete do 2° ano do Curso de Formação de Oficiais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

23 comentários

  1. vaquinha do enterro

    Todos foram militares de alta patente. Generais, como sabemos. Alguns de seus filhos também e , se não seguiram carreira militar, por certo tinham boas condições financeiras. Não sei se não tinham fazendas , apartamentos, contas na suiça e se não tiveram só confirmam o que penso deles: São uns burros, que serviram de capacho para a elite e nem ganharam algum. Agora, dizer que precisaram de vaquinha para o enterro. Bom , aí já é demais.

  2. Não, não acredito na ingenuidade

    Acredito que a maioria sabe o que está defendendo, e o faz como parte de seu discurso de ódio. A seletividade da indignação das pessoas é tão visível que não me espanta que defendam os horrores da ditadura de forma consciente. A racionalidade abandonou o debate político há muitos anos.

    Tenho uma colega com mestrado e doutorado cursados no exterior. Quando lembrei que Dilma nos deu 15% de aumento e FHC deu zero, ela defendeu que zero era maior do que 15. Não colocou as coisas em perspectiva de qualquer forma, apenas declarou que zero era numericamente maior do que quinze.

    Já contei aqui antes a estória de um colega cuja filha cursou faculdade por conta do Prouni. Foi a 1ª pessoa da família a ir à faculdade. E ele tem um ódio figadal do PT. Tem uma outra pessoa que conheço, que foi o 1º de sete irmãos a comprar um apartamento, a ter a casa própria. Só conseguiu graças ao Minha Casa, Minha Vida. E ele odeia o PT com toda a força do seu ser.

    É desse tipo de indignação seletiva e irracional que falo. Ainda que saibam de todos os horrores da ditadura em minúcias, essas pessoas continuarão a defendê-la e a pedir a sua volta. Ainda que a saída do PT do poder os afete diretamente, pois os ricos não perderão nada – ao contrário, vão ganhar ainda mais e sozinhos — continuarão a gritar que antes tudo era lindo e que só o fim do PT os fará melhorar de vida…

  3. Vantagens

    Podem começar o apedrejamento, mas:

    1) a Corporação no poder tinha muito mais convicção de um projeto nacional – nacionalista – do que a cambada que extra-oficialmente (Moro, delegados, pig) está no poder agora. Exemplos: acordo nuclear Brasil-Alemanha e renúncia do acordo militar histórico Brasil-EUA (governo Geisel).

    2) Mandava que podia e obedecia quem tinha juízo. Exemplos: enquadramento do 2o exército – Silvio Frota – após Herzog, Manioel Fiel Filho. Contra-exemplo: no executivo civil federal hoje, a polícia (federal) faz o que quer, até tiro ao alvo no retrato da presidente e f…-se.

    Obs: para quem se lembra, o governo Figueiredo perdeu a moral quando após aquele papo de ‘prendo e arrebento’, afinou e acomodou com a linha dura, por ocasião do Riocentro.

    3) shits happen: quem quis entrar em luta armada com uma ditadura militar sul-americana, na época da guerra fria e pouco após o Vietnam, sofreu as consequências disso, como era de se esperar. Sem lugar para mi mi mi.

    4) possivelmente os melhores pereceram na luta armada, mas uns oportunistas descompromissados sobreviveram e se infltraram nas vitórias pós-ditadura que a ‘esquerda democrática’ obteve pelas regras da ‘democraica burguesa’.

  4. Esta história de que os

    Esta história de que os amigos se cotizaram para fazer os enterros é uma grande piada. Todos foram aposentados com polpudos subsidios e vantagens adicionais por terem sido presidentes (atenção revisor é com minúscula mesmo), embora nenhum eleito pelo voto popular. Vão contar esta para outro trouxa. utro detalhe da grande piada é que os escândalos de corrupção nunca vieram à baila pois a imprensa livre estava manietada e a mídia que comia namão dos DITADORES só publicava o que os patrõe autorizavam. Tudo dominado.

  5. Pura Desinformação

    Pura desinformação. O Brasil possui muito mais que 22 hidrelétricas. São pelo menos mais que 70, fora as PCHs (hidréltricas de pequeno porte). Não se cansam de mentir. A desconstrução das maluquices que eles divulgam tem que começar pela própria frase inicialmente divulgada propagada por memes ridículos.

  6. vendo essas perseguições

    vendo essas perseguições todas contra o pt e contra lula dá té vontade,

    assim de supetão,de concordar com essa gente louca…

    mas a razão soa mais alto e  o coração bate mais forte pela democrfacia,

    mesmo porque sofemos horrorres com a tal . ditadura….

    depois de viver uma vida ineira lutando pela redemocratização

    é como se jogassemos  tudo fora pela janela.

    é como se disséssemos>

    a morte venceu a vida…

    nada, nada  valeu a pena,

    a vida é só jogo de cena,

    a solidariedade é  obscena

    e o que fizemos nos condena

     

  7. Estatizaram a divida em

    Estatizaram a divida em dolares das empreiteiras e transformaram em divida publica. A vontade de entrar para a historia pela porta dos fundos corrompe tambem, a ponto de fazerem vista grossa diante de aparatos para-legais e criminosos usados contra adversarios politicos.

  8. Nem tanto ao mar…

    Tá bom, me convenceu.

    Agora deixa eu tentar te convencer de outro fato: Tão nocivo quanto a ditadura, que é o excesso de poder nas mãos de um só governante, é o oposto, a descentralização do poder em inúmeras ilhas de poder, que se traduz no caos e na anarquia que estamos vivendo hoje. Os petistas chamam esta descentralização de “republicanismo”; eu chamo de imbecilidade ingênua.

    Nem tanto ao mar, nem tanto à Terra. Se a ditadura exagerou ao concentrar poderes, a constituição de 88 errou feio ao decentralizar. Hoje, não temos mais três poderes, e sim, uns seis ou sete. Ministério Publico, Midia, Polícia Federal, as forças armadas, fora os três habituais, e se não tiver mais alguns poderes escondidos por aí.

    O que os manifestantes pró ditadura querem, na verdade, inconscientemente, é uma democracia com mais centralização de poder, nas mãos do presidente eleito. Só que como não sabem pedir isto, pedem a volta da ditadura.

    Com esta anarquia que o país se encontra, acumularemos recessão em cima de recessão, até que o poder volte a cair nas mãos da direita, e aí sim teremos uma ditadura.

    País nenhum do planeta teve uma anarquia como o Brasil tem, e sobreviveu para contar história. Mesmo as democracias que funcionam, no fundo tem uma centralização de poder similar a uma ditadura.

    Os EUA, por exemplo, Não tem mandato para o Ministério Público, nem para Procurador Geral da República, ele pode ser demitido e nomeado outro a qualquer momento em seu lugar, pelo próprio presidente da República, sem precisar pedir autorização a ninguém.

    Nos EUA o FBI, que é a Policia Federal deles, trabalha em rigorosa disciplina, diferente daqui, onde os Policiais Federais praticam tiro ao alvo com a foto da Presidente.

    Poderia citar inumeras coisas, mas no fundo, os EUA só funcionam, e tem o poderio que tem, por que são uma ditadura bipartidária, com fachada de democracia. Saber temperar a centralização de poder sem criar um monstro, ou a descentralização sem criar uma anarquia é que é o desafio, que aliás o Brasil ainda precisa aprender.

  9. Eles sabem muito bem do que se trata
    Depois de ver o cartaz daquela senhora na manifestação dos coxinhas em 15/3 – “Porque [sic] não mataram todos em 1964” – a tese de ingenuidade cai por terra.

  10. Caiu em desuso!
    Os militares

    Caiu em desuso!

    Os militares cumpriam um papel de preparar terreno e geravam problemas. Quem no fundo bancava estas aventuras eram os EUA só que focava essencialmente na geopolítica. Para o mercado não era bom porque os milirares fechavam espaços para suas empresas entrarem. Por conta disso fizeram um trabalho de pesquisa e depois de financiamento de figuras civis que coadunavam com as políticas deles. Nesta esteira surgiram figuras como FHC financiados via fundações deles e outros tantos com suas fugas espetaculares do Estádio de Santiago para os EUA.

    Do ponto de vista prático, isso que estes caras pedem nas ruas, só eles querem e não tem efeito algum. Giram em torno de uma figura folclórica e inclusive um mau militar. Caiu em desuso! Militar tá noutra, até porque ninguém mais quer que eles se prestem a isso. A sedução agora tem outros ares. Outros seguimentos da sociedade também não querem eles, nem os EUA , então… É coisa de gente que cheira nafitalina e não entende de nada. Hoje as ditaduras tem outra face e são muito mais eficientes tanto na capacidade do enfrentamento como na rapidez de resposta. Do passado ficaram com a comunicação isso não dá pra abrir mão. Os demais são as agências de risco, o sistema financeiro e suas instituições, o poderio bélico dos EUA, veja o que passa a Europa, e essencialmente aqui dentro, instituições como o MP, a PF o judicário. Se ao menos um PGR sério e de cabeça já me veio uns dez que não se curvariam a Globo,  e colocasse a Lista de Furnas pra andar, nada do que estamos passando e que se passou com a AP 470 teria existido. Mas quando quem escolhe são reaças…Veja como são as coisas!

  11. deve ser burrice mesmo…

    talvez por falta de história oral

    vejam a Globo, mudou alguma coisa ao passar para os filhos? seguiu no tempo

    e do nosso lado, da memória subterrânea, oral, quantos sobraram? praticamente nenhum(a)

    é por isso que até hoje chamam os trabalhadores de comunistas

    e muitos, por estarem muito bem, em situação completamente diferente das que tivemos nas década de 60 e 70, quando dominados e pagos como escravos, são levados a concordar

    desse período Brasil perdeu algo essencial, muito valioso e preservado em qualquer outro país

    sua história oral, colhida em vilas operárias, por exemplo, por alguns que ouviram, mas que também nem tiveram coragem para escrevê-la, passar para o papel

    com o que tivemos por aqui, traição generalizada e bem paga pelos estados unidos, qualquer historiador corajoso seria morto ou desaparecido

    como foram e estão

  12. Não acho que seja

    Não acho que seja ingenuidade. É cegueira mesmo, de quem só queria ver o que estava diante do seu nariz: as ruas limpas de indesejáveis, a tela da TV cheia de bons exemplos, o caminho limpo de contestadores que “só atrapalham”.

    Só ver o que está diante dos seus olhos esconde as atrocidades que passam no porão de sua casa.

  13. Mas não foi uma DITADURA,

    Mas não foi uma DITADURA, segundo o tavinho frias (assim mesmo em minúsculas) foi só uma ditabranda! E o jornal (jornal?) dele, a FEL-LHA de são paulo serviu muito bem os porões da DITADURA.

  14. Sem contar que o modelo de

    Sem contar que o modelo de hidrelétricas hoje é altamente questionável. Vejam só o apagão em 2001 e a alta taifa que pagamos agora. O odelo de grandes hidrelétricas desmantelou um sistema minimamente sustentável como o das pequenas usinas, além, claro, do seu impacto ambiental e social. 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome